Proposta de enriquecimento do currículo do estudante com superdotação em matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/tangram.v5i1.12211

Palavras-chave:

Demonstração. Geometria. Teoria Antropológica do Didático. Altas Habilidades.

Resumo

O presente trabalho é parte do resultado de uma pesquisa sobre a contribuição da demonstração em geometria para o enriquecimento curricular de alunos com altas habilidades em Matemática. Foi uma pesquisa experimental que resultou em uma Dissertação de Mestrado. Foi desenvolvida com estudantes atendidos no Centro Estadual Multidisciplinar para Altas Habilidades/Superdotação, situado em Campo Grande - MS no ano de 2019. Foram propostas tarefas de demonstração para os estudantes e depois solicitado que fizessem uma avaliação, em forma de redação, sobre a pertinência e o potencial motivador, na perspectiva deles, das tarefas desenvolvidas. A análise da técnica de resolução se deu com a contribuição da Teoria Antropológica do Didático.  Observou-se que essas técnicas variaram tanto quanto aos recursos representacionais utilizados como quanto à tecnologia presente. As avaliações mostraram ser pertinente e motivador para eles o uso da demonstração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Mirian da Silva Nogueira, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.  Atua como professora no atendimento à alunos com altas habilidades/Superdotação na Rede Pública de Ensino em Campo Grande – MS.

Antonio Sales, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Professor e Pesquisador do Mestrado Profissional em Educação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e do Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da UNIDERP/Anhanguera

Celi Correa Neres, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Pós- doutora em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Professora, Pesquisadora do Mestrado Profissional em Educação e vice-reitora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. 

Marlene Alves Dias, Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN)e Universidade Bandeirante de São Paulo.

Possui graduação em Matemática bacharelado e licenciatura pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1978), graduação em Física bacharelado e licenciatura pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1976), mestrado em DEA Didactique des Disciplines - opçaõa matemática pela Universidade Denis Diderot (1994), mestrado em Educação Matemática pela Pontificia Universidade Catolica de São Paulo (1992) e doutorado em Matemática - Didática da Matemática pela Universidade Denis Diderot (1998). Atualmente é professor contratado da Universidade Bandeirante de São Paulo. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: niveis de conhecimento, flexibilidade cognitiva, matemática, registros de representação semiótica e quadro ou dominio.

Referências

Bittar, M. (2017) A Teoria Antropológica do Didático como ferramenta metodológica para análise de livros didáticos. Zetetiké, revista de Educação Matemática. SP. v. 25, n. 3, set. – dez. de 2017, p. 364 - 387. ISSN 2176-1744. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8648640/17410

Brasil (2001). Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB n. 2, Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica/ Secretaria de Educação Especial – MEC, SEESP. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf

Brasil. (2006) Ministério da Educação: Secretaria de Educação Especial. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos com altas habilidades/superdotação. 2. ed. Brasília – DF. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/altashabilidades.pdf

Burns, D. E. et al. (2014)Altas Habilidades/Superdotação – Manual para guiar o aluno desde a definição de um problema até o produto final. Curitiba, Juruá.

Chevallard, Y. (1992) Concepts fondamentaux de la didactique: perspectives apportées par une approche anthropologique, Recherches en didactique des mathématiques, Vol.12-1, La Pensée Sauvage, Grenoble, 73-112.

Chevallard, Y. (1993)Ostensifs et non-ostensifs dans l’activité Mathématique. Intervention au Séminaire de l’Associazione Mathesis (Turin, 3 février 1994). Texte paru dans les Actes du Séminaire pour l’année 1993-1994, p. 190-200. Recuperado de http://yves.chevallard.free.fr/spip/spip/article.php3?id_article=125

Chevallard, Y.(1998) Analyse des pratiques enseignantes et didactique des mathématiques: l’approche anthropologique. In : L’UNIVERSITE D’ETE, 1998, p.91-118. Actes de l’Université d’été La Rochelle. Clermont-Ferrand, France: IREM

Chevallard, Y. (2007) Le développement actuel de la TAD: pistes et jalons.

Recuperado de http://yves.chevallard.free.fr/

Gómez, M. S.; Ruiz, M. J. & Prieto, L. (2014)Perfiles emocionales de superdotados y talentos. Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) Criatividade e Emoção. Curitiba – PR: Juruá.

Iezzi, G., Doice,O.,& Pompeo, N.(1985) Fundamentos da matemática elementar. Vol. 7. São Paulo: Atual

Leite, A. M., Franchi, A., Onaga, D.S., Pires, R.C., & Carvalho, D.L. (1985/1986) O ensino da Geometria no 1º grau. Grupo Momento

Maeder, A. M. (S.d) Curso de matemática. São Paulo: Edições Melhoramentos.

Machado, J. M. & Stoltz, T. (2014) O pensamento criativo de aluno superdotado matematicamente talentoso na resolução de problemas de matemática. Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) Criatividade e Emoção. Curitiba – PR: Juruá

Mendes, H. L. (2015) Análise Praxeológica de livro didático de matemática. REVEMAT. Florianópolis (SC), v.10, n. 1, p. 199-219

Muniz, C. (2014) O fazer matemática na escola e o desenvolvimento da inteligência: A criatividade revelando capacidades cognitivas. Altas Habilidades/Superdotação, inteligência e criatividade.Campinas – SP: Papirus.

Pastré, P., Mayen, P., & Vergnaud, G. (2019) Didática Profissional. In: Gruber, C.,

Allain, O., & Wollinger, P.(Orgs.). Didática profissional: princípios e referências para a Educação Profissional. Florianópolis: Publicações do IFSC, p.11-87.

Robert, A. (1987) Quelques outils d’analyse épistemologique et didactique de connaissances mathématiques à enseigner au lycée et à l’université. Actes de la IX école d’ete de didactique des mathématiques. Houlgate. França.

Silva, J. J. (2002) A Demonstração Matemática da Perspectiva da Lógica Matemática. In: Borba, M. C. Boletim de Educação Matemática – BOLEMA. ano 15, n. 18, Rio Claro, UNESP

Stadler, R. R. (2016) Investigação do raciocínio – lógico matemático de alunos com Altas Habilidades/Superdotação presentes na sala de recursos multifuncional, Tipo I. Guarapuava, PR, 2016. 223f. Dissertação de Mestrado. Guarapuava: Universidade Estadual do Centro-Oeste. Recuperado de https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4931829 2018.

Downloads

Publicado

30/03/2022

Como Citar

Nogueira, C. M. da S., Sales, A., Neres, C. C., & Dias, M. A. (2022). Proposta de enriquecimento do currículo do estudante com superdotação em matemática. TANGRAM - Revista De Educação Matemática, 5(1), 87–109. https://doi.org/10.30612/tangram.v5i1.12211

Edição

Seção

Artigos