Indicando tarefas para um jogo pedagógico no ensino de probabilidade

abordando o conceito de espaço amostral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/tangram.v5i4.15779

Palavras-chave:

Jogo pedagógico. Espaço Amostral. Anos iniciais do Ensino Fundamental.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar tarefas relacionadas ao conceito de espaço amostral que farão parte de um jogo pedagógico direcionado ao ensino de Probabilidade para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Dessa forma, elaboramos cartas para o jogo: Perguntas (?) que são tarefas baseadas em situações problemas tendo como objetivo foi favorecer a apreensão dos conteúdos e o desenvolvimento do conhecimento probabilístico tendo como aporte teórico a Teoria Antropológica do Didático -  TAD de Yves Chevallard, composta por dois blocos, o prático e o teórico. Desenvolveu-se um trabalho pedagógico para o primeiro ciclo do Ensino Fundamental no Brasil baseado em jogos e resolução de problemas envolvendo conteúdos probabilísticos, criando um recurso que favoreça o repensar sobre os métodos estratégicos, redimensionando-os a fim de minimizar o hiato existente entre as atividades lúdicas cotidianas realizadas pelos alunos, espontaneamente, e o trabalho desencadeado em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ailton Paulo de Oliveira Júnior, Universidade Federal do ABC

Possui graduação em Ciências Estatísticas pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (1988), Licenciatura em Matemática pela Universidade Católica de Brasília (2005), Mestrado em Pesquisa Operacional pelo Instituto Militar de Engenharia (1991), Doutorado em Educação (Didática, Práticas Escolares e Técnicas de Ensino) pela Universidade de São Paulo (2003) e Pós-Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2009). Atualmente é professor do curso de Licenciatura em Matemática, do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-Graduação Strict Sensu em Educação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, vice coordenador do Mestrado Acadêmico em Educação da UFTM, coordenador do sub-projeto Matemática Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID, coordenador do projeto FAPEMIG/CAPES: Concepção e Prática de Professores das Séries Iniciais do Ensino Fundamental de Escolas em Uberaba no Triângulo Mineiro em Relação à Matemática e à Estatística. Coordenador do Grupo de Estudos em Educação Estatística e Matemática - GEEM, certificado junto ao CNPq.

Nilceia Datori Barbosa, Universidade Federal do ABC

Doutoranda do programa de pós-graduação em Ensino e História das Ciências e da Matemática da Universidade Federal do ABC - UFABC. Possui mestrado pelo mesmo programa e Universidade e especialização em Ciências e Tecnologia pela mesma Universidade. Especialista em Ensino Lúdico e em Educação Infantil, ambas pela Faculdade de Educação São Luís Jaboticabal - FESL. Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Conchas/SP e em Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo - UNIAN. Possui habilitação plena em Piano pelo Conservatório Musical Heitor Villa Lobos/SP e curso técnico com habilitação específica de Magistério - CEFAM. Como doutoranda investiga o desenvolvimento de competências e habilidades relativas às noções básicas de probabilidade nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Com relação à atuação profissional já desenvolveu diversos trabalhos na área musical, como docente e musicista, e na área da Educação como docente (Educação infantil e anos iniciais do Ensino fundamental) e assistente pedagógica de projeto voltado aos processos de ensino e aprendizagem da matemática. Atualmente trabalha com a Educação Infantil.

Referências

Abrahamson, D. (2006). The Shape of Things to Come: the computational pictograph as a bridge from combinatorial space to outcome distribution. International Journal of Computers for Mathematical Learning, 11(1), 137-146.

Almeida, C. M. C. (2018). Um modelo didático de referência para o ensino de probabilidade. [Dissertação de Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia].

Bosch, M., & Chevallard, Y. (1999). Ostensifs et sensibilité aux ostensifs dans l’activité mathématique. Recherches en Didactique des Mathématiques (pp. 77-124). Grenoble: La Pensée Sauvage.

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação é a Base. Brasília. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Brasil. Ministério da Educação. (2014). Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Educação Estatística. Brasília: MEC, SEB.

Brasil. Ministério da Educação. (1997). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF.

Bryant, P., & Nunes, T. (2012). Children’s understanding of probability: a literature review. Nuffield Foundation. http://www.nuffieldfoundation.org/sites/default/files/files/Nuffield_CuP_FULL_REPORTv_F INAL.pdf. Acesso em: 22 jan. 2022.

Campos, S. G. V. B., & Novais, E. S. (2010). Jogos e brincadeiras para ensinar e aprender probabilidade e estatística nas séries iniciais do ensino fundamental. X Encontro Nacional de Educação Matemática - Educação Matemática, Cultura e Diversidade [X ENEM]. Salvador, BA.

Chernoff, E. (2009). Sample space partitions: an investigative lens. Journal of Mathematical Behavior, 28, 19-29.

Chevallard, Y. (1999). L’analise des pratiques enseignantes en théorie antropologique du didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques. La Pensée Sauvage-Editions, 19(2), 221-265.

Chevallard, Y. (1996). Conceitos fundamentais da Didáctica: perspectivas trazidas por uma abordagem antropológica. In: J. Brun. Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Horizontes Pedagógicos.

Chevallard, Y., Bosch, M., & Gascón, J. (2001). Estudar Matemáticas: O Elo Perdido entre o Ensino e a Aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas.

Fonseca, J. S ., & Martins, G A. (2011). Curso de Estatística. São Paulo: Atlas.

Gascón, J. (2003). From the cognitive to the epistemological programme in the didactics of mathematics: two incommensurable scientific research programmers. For the learning of Mathematics, 23(2), 44-55.

Keren, G. (1984). On the importance of identifying the ‘correct’ problem space. Cognition, 16, 121–128.

Malaspina, U. (2012). El rincón de los problemas. UNIÓN – Revista Iberoamericana de Educación Matemática, 23, 191-200.

Meyer, P. L. (1982). Probabilidade Aplicações a Estatística. Rio de Janeiro: LTC.

Nunes, T., Bryant, P., Evans, D., Gottardis, L., & Terlektsi, M. (2015). Teaching primary school children about probability. Teacher handbook. Departamento de Educação, Universidade de Oxford.

Oliveira Júnior, A. P., Ciabotti, V., Costa, R., Silva, J. S., Da Silva, G. R., & Barbosa, N. D. (2018). O jogo “Brincando com a Estatística e a Probabilidade” e a metodologia da resolução de problemas no Ensino Fundamental. Curitiba: CRV.

Oliveira Júnior, A. P., Barbosa, N. D., Souza, N. G. S., & Cardoso, K. M. (2019). A apreensão do conceito de experimento aleatório: resolução de problemas e jogo pedagógico. Caminhos da Educação Matemática em Revista, 9(2), 238-257.

Oliveira Júnior, A. P., & Barbosa, N. D. (2020). O jogo pedagógico “Brincando com a Probabilidade” para os anos iniciais do ensino fundamental. Zetetiké 28, 1-21.

Pinheiro, J. I. D. et al. (2015). Estatística Básica: a arte de trabalhar com dados. Rio de Janeiro: Elsevier.

Ribeiro, C. E., & Goulart, A. (2013). O ensino de probabilidade por meio de jogos na Educação de Jovens e Adultos. X Encontro Nacional De Educação Matemática [X ENEM]. Curitiba, PR.

Soukeff, F. E. B. (2014). Jogo Mega-Duque: uma proposta para o ensino de probabilidade. [Dissertação de Mestrado Profissional em Matemática, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho]. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/122207

Van de Walle, J. A. (2009). Matemática no Ensino Fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Porto Alegre: Artmed.

Villarroel, S., & Sgreccia, N. (2012). Enseñanza de la geometría en secundaria. Caracterización de materiales didácticos concretos y habilidades geométricas. UNIÓN – Revista Iberoamericana de Educación Matemática, 29, 59-84.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

Oliveira Júnior, A. P. de, & Datori Barbosa, N. (2022). Indicando tarefas para um jogo pedagógico no ensino de probabilidade: abordando o conceito de espaço amostral. TANGRAM - Revista De Educação Matemática, 5(4), 2–24. https://doi.org/10.30612/tangram.v5i4.15779

Edição

Seção

Artigos