Geometria Dinâmica e Mobile Learning no ensino de cônicas:

discutindo a parábola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/tangram.v5i1.12967

Palavras-chave:

Geometria Dinâmica. Aprendizado Móvel. Celular.

Resumo

Este artigo apresenta um estudo que investiga a inserção de smartphones nas aulas de Geometria Analítica no ensino aprendizagem de cônicas, com o objetivo de analisar possibilidades e limites dessa inserção. Foi realizada uma reflexão teórica quanto ao uso das tecnologias, focando nas possibilidades da Geometria Dinâmica em uma perspectiva Mobile Learning. Foram elaboradas e desenvolvidas junto aos alunos atividades de construção e investigação das cônicas a partir de suas definições, usando o aplicativo GeoGebra para celular, o que permitiu que cada aluno investigasse a construção que realizava em seu próprio dispositivo, podendo retomá-la ou compará-la às dos colegas.  Em meio às adversidades encontradas, o planejamento e realização das atividades didáticas abriu caminhos para um ensino dialogado, permitindo o envolvimento dos alunos não apenas como observadores, mas como investigadores de suas próprias construções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORBA, M. C.; PENTEADO, M. G. (2001). Informática e educação matemática. São Paulo: Autêntica.

BRASIL (1994), Ministério da Educação e dos Desportos. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília SEF.

CARNEIRO, R. F., PASSOS, C. L. (2014). A utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação nas aulas de Matemática: Limites e Possibilidades. Revista Eletrônica de Educação, 8(2), 101-119.

FONSECA, A.G.M.F (2013). Aprendizagem, mobilidade e convergência: mobile learning com celulares e smartphones. Revista mídia e cotidiano, 2 (2), 265-283.

KENSKI, V. M. (2007). Educação e Tecnologias: O novo ritmo da informação. 2ª edição. Campinas – SP: Papirus.

MERIJE, W. (2012). Mobimento: educação e comunicação mobile. São Paulo. Editora Peirópolis LTDA.

MISKULIN, R. G. S.; PIVA JR., D. (2007). A relação entre aprendizagem significativa e aprendizagem colaborativa: um estudo de caso utilizando TICs e mapas conceituais. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (Org.). Múltiplos olhares: matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa. p. 136-150.

MÜLBERT, A. L., & PEREIRA, A. T. (2011). Um panorama da pesquisa sobre aprendizagem móvel (m-learning). In Anais do V Simpósio Nacional da ABCiber. Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura, Florianópolis.

NIEHUES, K. C. O. (2013). A Utilização do Software GeoGebra como ferramenta pedagógica no processo ensino-aprendizagem de Função Quadrática, uma alternativa metodológica. In Cadernos PDE: Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do professor PDE. Paraná, 2-17.

SCATTONE, C.; MASINI, E. (2007). O software educativo no processo de ensino-aprendizagem: um estudo de opinião de alunos de uma quarta série do ensino fundamental. Psicopedagogia, (24)75, 240-250.

SILVA, G. H. G. D., Penteado, M. G. (2013). Geometria dinâmica na sala de aula: o desenvolvimento do futuro professor de matemática diante da imprevisibilidade. Ciência Educação, 19(2), 279-292.

Downloads

Publicado

30/03/2022

Como Citar

Anjos, I. M. dos, & Santos, M. R. dos. (2022). Geometria Dinâmica e Mobile Learning no ensino de cônicas: : discutindo a parábola. TANGRAM - Revista De Educação Matemática, 5(1), 188–205. https://doi.org/10.30612/tangram.v5i1.12967

Edição

Seção

Iniciação científica