Indicadores de metodologias ativas no ensino remoto emergencial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14521

Palavras-chave:

Indicadores de Metodologias Ativas. Ensino Remoto Emergencial. Educação Superior.

Resumo

Pesquisas sobre metodologias ativas vêm sendo realizadas em cursos superiores ministrados no ensino remoto emergencial. Nessa perspectiva, o artigo em questão objetiva investigar a inclusão dos indicadores de metodologias ativas na prática de uma docente de uma instituição federal de ensino no semestre 2020.1. A pesquisa se caracterizou como de opinião no modelo escala de likert. Participaram da investigação, 28 discentes da disciplina de Didática Geral das licenciaturas em Educação Física e Matemática. Como instrumento, recorreu-se a um questionário no Google Forms contendo 14 questões. A análise dos dados seguiu três fases: preparação, descrição e interpretação dos dados. Os resultados mostraram que a docente apresentou todos os indicadores de metodologias ativas discutidos no referencial teórico, variando entre 57,1% a 92,9%. Apesar de terem sido desenvolvidos para o ensino presencial, os indicadores se mostraram aplicáveis à uma realidade específica como o ensino remoto emergencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Patrícia Barbosa Ventura, IFCE

Licenciada em Pedagogia, Especialista em Informática Educativa, Mestra e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (FACED/ UFC). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Campus Canindé, na subárea: Currículo e Estudos Aplicados ao Ensino e Aprendizagem. Coordenou a 1a oferta do Programa Residência Pedagógica (Agosto/2018 a Janeiro/2020) do Curso de Licenciatura em Matemática no referido campus. Tem formação e experiência com Educação a Distância, atuando nesta modalidade de ensino desde 2005. Seus estudos se voltam para a relação entre Educação e Tecnologias, especialmente nos temas: Didática do Ensino Superior, Uso Pedagógico de Tecnologias nos Processos de Ensino, Educação a Distância e Formação de Professores. 

Referências

ALMEIDA, Maria Claudice Rocha. Práticas pedagógicas mediadas por tecnologias digitais em período de pandemia. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 10, p. 1–20, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.24827. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24827 Acesso em: 8 abr. 2021.

BRASIL, Ministério da Educação. Portaria nº 544, de 16 de junho de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-544-de-16-de-junho-de-2020-261924872 Acesso em: 8 abr. 2021.

CLAPARÈDE, Edouard. A educação funcional. Tradução e notas de J. B. Damasco Penna. 5. ed. São Paulo: Companhia Editoria Nacional, 1958.

XXX (2020). Ofício Conjunto Circular nº 3/2020 PROEN/ PROEXT/ PRPI. Ações a serem executadas pelos campi para retorno às aulas de forma remota e gradativa. Disponível em: XXX Acesso em: 8 abr. 2021.

FOSSA, Rodolfo da Silva; BENEDETTI, André Campos; ESTEVES, Patricia Elisa do Couto Chipoletti; SILVA, Rinaldo Henrique Aguilar da. Ensino Remoto Emergencial em um curso de Medicina: avaliação do trabalho docente na perspectiva discente. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 10, p. 1–21, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.24654. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24654. Acesso em: 8 abr. 2021.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MOREIRA, Herivelto; CALEFFE, Luiz Gonzaga. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

OLIVERIA, Jussara de Fátima Alves Campos; FERNANDES, Juliana Cristina da Costa; ANDRADE, Elisângela Ladeira de Moura. Educação no contexto da pandemia da Covid-19: adversidades e possibilidades. Itinerarius Reflectionis, V. 16, n.1, p. 1-17, 2020. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/65332/35640 Acesso em: 8 abr. 2021.

PALMEIRA, Robson Lima; SILVA, Andrezza Araújo Rodrigues; RIBEIRO, Wagner Leite. As metodologias ativas de ensino e aprendizagem em tempos de pandemia: a utilização dos recursos tecnológicos na Educação Superior. HOLOS, [S.l], v.5, p.1-13, nov. 2020. ISSN 1807-1600. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/10810. Acesso em: 8 abr. 2021.

RIES, Edi Franciele; ROCHA, Verginia Margareth Possatti; SILVA, Carlos Gustavo Lopes da. Ensino de Epidemiologia durante pandemia de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, e382996898, 2020a. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6898. Disponível em https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/6898/6562 . Acesso em: 8 abr. 2021.

RIES, Edi Franciele.; ROCHA, Verginia Margareth Possatti; SILVA, Carlos Gustavo Lopes da. Avaliação do ensino remoto de epidemiologia em uma universidade pública do Sul do Brasil durante pandemia de COVID-19. Disponível em: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/download/1152/1736/1818

Acesso em: 8 abr. 2021.

XXX (2019). Omisso para submissão.

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Ventura, P. P. B. (2021). Indicadores de metodologias ativas no ensino remoto emergencial. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 167–183. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14521

Edição

Seção

Dossiê 2 - Educação em tempos de pandemia