A escolarização pública e o imprevisto mais do que previsto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14475

Palavras-chave:

Educação pública. COVID 19. Desigualdade.

Resumo

Resumo: O artigo analisa alguns dos impactos da pandemia de COVID 19 no campo educacional público brasileiro, utilizando para isso informações extraídas de um acervo de dados coletados pelo autor ao longo do período março 2020 a março 2021. O acervo reúne tanto informes gerais sobre a pandemia quanto, em especial, notícias que mostram os efeitos do prolongado período de pandemia sobre a escola e os processos de escolarização. Analisam-se alguns discursos em torno da alternativa de EaD, do ensino híbrido, do retorno às aulas presenciais ou manutenção das escolas fechadas. Discutem-se os impactos da pandemia e do avanço das tecnologias de educação online no cenário de desigualdade em termos de acesso a uma educação de qualidade no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Seffner, UFRGS Faculdade de Educação

Professor na área de Ensino de História, docente e orientador na linha de pesquisa Educação Sexualidade e Relações de Gênero

Referências

BRASIL. Anuário Brasileiro da Educação Básica. São Paulo: Moderna, 2018.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9057 Acesso em 2 de março de 2021

BRASIL. Emenda Constitucional nº 59 de 11 de novembro de 2009. Brasília, 2009. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm Acesso em 2 de março de 2021

BRASIL, CNE/CP. Parecer CNE/CP nº 5/2020, aprovado em 28 de abril de 2020 - Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Disponível em Parecer CNE/CP nº 5/2020, aprovado em 28 de abril de 2020 - Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Brasília, 2020 Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192 Acesso em 2 de março de 2021

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 1988 Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm Acesso em 21 de fevereiro de 2021

CHARCZUK, Simone Bicca. Sustentar a Transferência no Ensino Remoto: docência em tempos de pandemia. Educação & Realidade, Porto Alegre, UFRGS, v. 45, n. 4, e109145, 2020 Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362020000400206&lng=en&nrm=iso Acesso em 2 de fevereiro de 2021

CHRISPINO, Álvaro & CHRISPINO, Raquel S. P. Políticas educacionais de redução da violência: mediação do conflito escolar. São Paulo: Biruta, 2002. Disponível para consulta parcial em https://issuu.com/editorabiruta/docs/amadores Acesso em 2 de março de 2021

GADOTTI, Moacir. Gestão democrática com participação popular: planejamento e organização da educação nacional. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2013.

JULIA, Dominique. A Cultura Escolar como Objeto Histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 9-43, jan./jun. 2001. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/rbhe/article/view/38749 Acesso em 19 janeiro de 2021

LIMA, Patrícia. Um ano de escolas fechadas: relatos de mães revelam fracasso do EAD na Capital. Porto Alegre, Matinal Reportagem, 2021 Disponível em https://www.matinaljornalismo.com.br/matinal/um-ano-ensino-remoto/?mc_cid=fcfaef8fd8&mc_eid=f6d0e1f891 Acesso em 19 de março de 2021

PARKER, Richard. COVID 19 e a produção da ignorância. Revista RADIS, FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 22 de março de 2021 Disponível em https://radis.ensp.fiocruz.br/index.php/home/opiniao/pos-tudo/covid-19-e-a-producao-da-ignorancia Acesso em 22 de março de 2021

SACRISTAN, José Gimeno. A educação obrigatória. Porto Alegre: Artmed, 2001.

SILVA, Maria das Graças Martins da & VELOSO, Tereza Christina Mertens Aguiar. Acesso nas políticas da educação superior: dimensões e indicadores em questão. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 18, n. 3, p. 727-747, nov. 2013. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-40772013000300011 Acesso em 2 de março de 2021

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão das interações humanas. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

UNESCO. Programa de Investigación y Prospectiva en Educación - Oficina Regional de Educación para América Latina y el Caribe. Seminario web: “Proteger y transformar lá educación para futuros compartidos y uma humanidad común”. Santiago de Chile, 2020. Documento disponível em https://es.unesco.org/node/321417 Acesso em 2 de março de 2021.

VICTORIO FILHO, Aldo. Pesquisar o cotidiano é criar metodologias. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 98, p. 97-110, abril 2007 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302007000100006&lng=en&nrm=iso Acesso em 7 de janeiro de 2021

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Seffner, F. (2021). A escolarização pública e o imprevisto mais do que previsto. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 38–63. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14475

Edição

Seção

Dossiê 2 - Educação em tempos de pandemia