Impacto do ensino remoto na formação dos discentes do curso de Engenharia Agronômica: UEMG Unidade Ituiutaba - MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14468

Palavras-chave:

Eduçação, Pandemia, Agronomia.

Resumo

Na atualidade é inevitável não considerar a pandemia causada pelo vírus COVID-19 e seus impactos na vida, na sociedade, nas mais distintas atividades econômicas, e na educação. O objetivo principal da investigação foi identificar e analisar o impacto do ensino remoto na formação dos discentes do curso de Engenharia Agronômica oriundos da Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Ituiutaba. Trata-se de uma pesquisa quali-quantitativa. A coleta de dados foi composta pela aplicação de um questionário com questões abertas e fechadas para os estudantes do referido curso, o índice de resposta foi representado por um total de 158 discentes. Os resultados apontam que atual modalidade de ensino não é o mais favorável, pois a maior parte dos discentes vem enfrentando dificuldades, principalmente no que concerne à parte prática do curso. Porém conclui-se que ainda é a forma mais indicada devido o cenário atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elicardo Heber de Almeida Batista, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG Unidade Ituiutaba).

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista- FCT/UNESP. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - CPDA/UFRRJ. Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Migrações e Comunidades Tradicionais do rio São Francisco (UNIMONTES). É membro do Grupo de Estudos Dinâmica Regional e Agropecuária (GEDRA-FCT/UNESP). É professor membro do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Extensão em Ecologia, Agrobiodiversidade e Agroecologia (NEPEEA UEMG Unidade Ituiutaba), coordenador da linhas de pesquisa Sociedade, ruralidade e desenvolvimento e Tecnologias da informação e comunicação (TICs) e mídias eletrônicas na popularização dos estudos em Ecologia e Agrobiodiversidade. Foi pesquisador visitante no Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) sediado na Universidade de Coimbra (UC) em Portugal. Foi professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas (IFSULDEMINAS) no Técnico Integrado ao Ensino Médio e na Pós-Graduação. É professor nos cursos de Ciências Agrárias (área) da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG Unidade Ituiutaba) e coordenador do curso de Tecnologia em Agronegócio da mesma Universidade. É membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) dos cursos Tecnologia em Agronegócio, Tecnologia em Produção sucroalcooleira e Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG Unidade Ituiutaba). É presidente do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso Tecnologia em Gestão Ambiental da mesma universidade.Tem experiência nas áreas de Ciências Sociais e Geografia, com ênfase nos estudos rurais, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas públicas,politicas sociais, mobilidade espacial e migração, pobreza, desenvolvimento regional, desenvolvimento rural e lugar. (Fonte: Currículo Lattes)

Ana Cecilia Guedes, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG Unidade Ituiutaba)

Professora da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) Unidade Ituiutaba. Subcoordenadora do curso de Agronomia na UEMG. Pós-doutora em Agroecossistemas, Doutora Agroecossistemas, área de concentração desenvolvimento rural e desempenho ambiental pela Universidade Federal de Santa Catariana. Mestra em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria . Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal de Santa Maria. Tecnóloga em Processos Gerencias pela Faculdade de Tecnologia Internacional. Dedica-se aos temas: questão agrária, mercado de terras, economia rural, administração rural, políticas públicas, desenvolvimento rural e sustentável, cooperativismo, sustentabilidade, extensão rural, agroecologia, educação ambiental e educação do campo.

Referências

CAMILLO, C. M; MÜLLER, L. A usabilidade de um ambiente virtual de ensino e aprendizagem: um estudo sobre o Moodle da UFSM. Temática - Revista eletrônica de publicação mensal, v. 15, p. 14-19, 2019.

CABECINHAS, R., Lima, M., e Chaves, A. (2006). Identidades nacionais e momória social: hegemonia e polemica nas representações sociais da história. In Miranda J. e João, M. I. (Eds.), Identidades Nacionais em Debate (p. 67-92). Oeiras: Celta, 67-92.

GOMES, E. Exclusão digital: um problema tecnológico ou social? Rio de Janeiro: Trabalho e Sociedade – ano 2 – n especial – dezembro de 2002. P.4

BAVARO. (2003). Conferência Ministerial Regional Preparatória de América Latina y el Caribe para la Cumbre Mundial sobre la Sociedad de la Información. Diponível em: http://www.eclac.cl/cgi-bin/getProd.asp?xml=/prensa/noticias/noticias/9/11719/P11719.xml&xsl=/prensa/tpl/p1f.xsl&base=/ddpe/tpl/top-bottomdirector.xsl. Acesso em: 29 de agosto de 2020

DIAS, R. A; LEITE, L. S. Educação a distância: da legislação ao pedagógico. Petrópolis: Vozes, 2010.

ELY, D. Aulas presenciais nas escolas do RS não têm prazo para retorno. GAÚCHAZH, Porto Alegre, 29 abr. 2020.

Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/educacao-e-emprego/noticia/2020/04/aulas-presenciais-nas-escolas-do-rs-nao-tem-prazo-para-retorno-ck9lwcmbi00oj017ndtzewi2r.html.

Acesso em: 25 setembro. de 2020.

FIORENTINI, L. M. R. A perspectiva dialógica nos textos educativos escritos. In: FIORENTINI, Leda Maria Rangearo; MORAES, Raquel de Almeida (Org.). Linguagens e interatividade na educação a distância. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 15-50.

KENISTON, K, KUMAR, D. (2004). It experience in India. Delhi. India: Sage Publishers.

LIMA, C. K. T., Carvalho, P. M. M., Lima, I. A. A. S., Nunes, J. V. A. O., Saraiva, J. S., Souza, R. I., Silva, C. G. L., & Neto, M. L. R. (2020). The emotional impact of Coronavirus 2019- nCoV (new Coronavirus disease). In Psychiatry Research (Vol. 287, Issue 1, pp. 1–2). Elsevier Ireland Ltd. doi: https://doi.org/10.1016/j.psychres.2020.112915

LIVINGTSONE, S. e Helsper, E. (2007). Gradations in digital Inclusion: Children, Young People and the Digital Divide. New Media & Society, 4, 671-696.

MEDINA, J. (2005). Brecha e inclusion digital en Chile: los desafíos de una nueva alfabetización. Comunicar, 24, 77-84.

MINAYO, M. C. De s. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In:_ pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de janeiro: vozes, 2008.

MOORE, Moore G.; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. Tradução de Roberto Galman. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. 3 ed. Petrópolis, RJ: vozes, 2010. VII, 2004, Caxambu.

PETERS, Otto. Didática do ensino a distância: experiências e estágio da discussão numa visão internacional. Tradução de Ilson Kayser. São Leopoldo: Unisinos, 2006.

SANTOS, S., Mendes, S., e Amaral, L. (2006). E-Government e outras políticas públicas para o fomento de participação pública. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/8266 . Acesso em 10 de agosto de 2020

SATHLER, L. Educação pós-pandemia e a urgência da transformação digital – Anup [Internet]. Disponível em: https://anup.org.br/noticias/educacao-pos-pandemia-e-aurgencia-datransformacao-digital/. Acesso 09 de agosto de 2020

STEVANIM, L.F. Desigualdades sociais e digitais dificultam a garantia do direito à educação na pandemia. RADIS n.215 | AGO 2020.

SILVA, K. K. A. Mapeamento de competências: um foco no aluno da educação a distância. 2012. 185 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

TORRES, A. C; Educação e Saúde: reflexões sobre o contexto universitário em tempos de COVID-19. Disponível em:https://www.researchgate.net/publication/341811676_Educacao_e_Saude_reflexoes_sobre_o_contexto_universitario_em_tempos_de_COVID-19. Acesso em: 25 de setembro de 2020

UNESCO. A Comissão Futuros da Educação da Unesco apela ao planejamento antecipado contra o aumento das desigualdades após a COVID-19. Paris: Unesco, 16 abr. 2020. Disponível em: https://pt.unesco.org/news/comissao–futuros–da–educacao–da–unesco–apela–ao–planejamento–antecipado–o–aumento–das. Acesso em: 05 de agosto de 2020

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Batista, E. H. de A., Guedes, A. C., & Paula, M. M. D. (2021). Impacto do ensino remoto na formação dos discentes do curso de Engenharia Agronômica: UEMG Unidade Ituiutaba - MG. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 264–285. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14468

Edição

Seção

Dossiê 2 - Educação em tempos de pandemia