Desdobramentos da Pandemia Covid: 19 na educação formal: uma análise da unidade afeto-cognição

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.13943

Palavras-chave:

Atividade Pedagógica. Ensino remoto. COVID-19.

Resumo

O objetivo deste estudo é explicitar contradições históricas e condições necessárias para o desenvolvimento humano no enfrentamento aos desdobramentos do distanciamento físico na educação formal a partir das vivências de estudantes do ensino superior público, durante a pandemia da Covid-19. O enfoque histórico-cultural fundamenta o estudo no campo da educação, problematizam-se as contradições históricas na educação brasileira, a implantação do ensino remoto na escolarização, assim como são apresentados os princípios do sistema de ações conscientes na atividade pedagógica, considerados a base teórico-prática para o ensino devidamente organizado e promotor do desenvolvimento do psiquismo. Defendemos a tese que para a promoção do desenvolvimento dos participantes, há de se considerar a unidade afeto-cognição que contemple as necessidades objetivas e subjetivas dos sujeitos. Consideramos que para a efetividade do desenvolvimento psiquismo dos participantes dos processos educativos deva-se contemplar a formação profissional que desenvolva a consciência do professor sobre: a) sua função social na sociedade de classes, b) a importância do ensino devidamente organizado, c) as relações sociais fundamentadas em processos colaborativos e coletivos, d) a relevância da historicidade do objeto real de estudo enquanto direito de todos ao acesso à produção humana. O estudo de campo analisa o relato de estudante do ensino superior que evidencia a dialética afeto-cognição e o drama vivido no primeiro semestre de 2020 com as transformações pedagógicas emergenciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Eliza Mattosinho Bernardes, Universidade de São Paulo

Docente do Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza - EACH USP

Pesquisadora dos PPG em Educação ( FE USP) e em Mudança Social e Participação Política ( PROMUSPP - EACH USP)

Ana Paula Barbosa, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo - USP

Doutoranda na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Pedagoga na UFSP

Mara Aparecida de Castilho Lopes, Docente no IFRJ

Pedagoga habilitada em Educação Especial - Deficiência Auditiva, pela Universidade Estadual Paulista - Unesp de Marília. Mestra em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela Unesp de Bauru. Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo - USP. Professora no Instituto Nacional de Educação de Surdos - INES. Atua principalmente nas áreas de Educação Especial, Educação Inclusiva, Educação Bilíngue, Políticas públicas, Surdez e Libras.

Referências

ALVARENGA, F. ; PARREIRA, M. Comissão da Câmara faz relatório com críticas à atuação do Ministério da Educação durante a pandemia. Disponível em: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/06/17/comissao-da-camara-faz-relatorio-com-criticas-a-atuacao-do-ministerio-da-educacao-durante-a-pandemia.ghtml Acesso em: 28 de jul. de 2020.

BATISTÃO, S. P. S. Educação inclusiva ou educação para todos? - contribuições da teoria histórico-cultural para uma análise crítica da realidade escolar. 2013. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BEATÓN, G. A.. La persona en el enfoque histórico cultural. São Paulo: Linear B, 2005.

BERNARDES, M. E. M. Ensino e aprendizagem como unidade dialética na atividade pedagógica. Psicol. Esc. Educ. (Impr.) [online]. 2009, vol.13, n.2, pp.235-242.

______. Mediações simbólicas na atividade pedagógica: contribuições da Teoria Histórico-Cultural para o ensino e a aprendizagem. Curitiba: CRV, 2012.

______. Modos de ação na atividade pedagógica: uma proposição de ensino e aprendizagem ativos. PBL 2010 Congresso Internacional. São Paulo, Brasil, 8-12 de fevereiro de 2010.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, Brasília, DF.

______. Lei Federal n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília. Diário Oficial da União, 1996.

______. Parecer n. 17, de 3 de julho de 2001. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília: MEC/SEESP, 2001.

______. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BUENO, J. G. S. Função social da escola e organização do trabalho pedagógico. Educar em Revista. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2001, n. 17, p. 101-110.

DEBORD, G. Sociedade do espetáculo. eBooksBrasil.com, 2003. Disponivel em: https://a36b27e2-7d86-45f4-b828-d8b03593f647.filesusr.com/ugd/dcac6b_453c47d2871a4f0a8eeee0a1ddc7bc89.pdf Acesso em: 5 de jul. 2020.

DUARTE, N. A pedagogia histórico-crítica e a formação da individualidade para si.Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, p. 59-72, dez. 2013.

ELKONIN, D. B. Epílogo. In: VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas IV : Psicología infantil. Madrid: Visor, 1996. p. 387- 421.

HELLER, A. O cotidiano e a história. 8. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

INEE - INTER-AGENCY NETWORK FOR EDUCATION IN EMERGENCIES, THEIRWORLD E A RIGHT TO EDUCATION INITIATIVE -. Requisitos mínimos para a educação em situação de emergência, crises crónicas e reconstrução. Tradução Gabinete de Estudos para a Educação e o Desenvolvimento. Escola Superior de Educação de Viana do Castelo, Programa Educar sem Fronteiras, Portugal, 2006. Disponível em http://internacional.ipvc.pt/sites/default/files/livro_INEE_MSEE_PT.pdf. Acesso em 12 jan. 2021.

LEONTIEV, A. N. Los motivos, las emociones y la personalidad. In: Actividad, conciencia, personalid. Ciudad del Habana: Editorial Pueblo y educación, 1983.

LESSA, S. Trabalho e luta de classes na “sociedade do conhecimento". In: JIMENEZ, S.; de OLIVEIRA, J. L.; SANTOS, D. (orgs) Marxismo, Educação e Luta de Classes.

LIBÂNEO, J.C. Formação de Professores e Didática para Desenvolvimento Humano. Educ. Real., Porto Alegre , v. 40, n. 2, p. 629-650, June 2015.

LOPES, M. A. C. Professores interlocutores e educação de surdos: a inclusão na rede estadual paulista. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 23, n. 4, p. 563-576, 2017.

MARX, K.; ENGELS, F. Ideologia alemã. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MILL, D. Mudanças de mentalidade sobre educação e tecnologia. In: MILL, D. Escritos sobre educação e tecnologias emergentes: desafios e possibilidades para ensinar e aprender na contemporaneidade. São Paulo: Paulus, p. 11-38, 2012.

MORAN, J. M. Educação híbrida: Um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 11-38.

PEREIRA, E. C. Os processos formativos do professor de alunos com Transtorno do Espectro Autista: contribuições da Teoria Histórico-Cultural. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

POLITZER, G. Crítica dos fundamentos da psicologia: a psicologia e a psicanálise. Piracicaba, SP: Editora UNIMEP, 1998.

SAMPAIO, M. M. F. Um gosto amargo de escola: relação entre currículo, ensino e fracasso escolar. São Paulo: EDUC, 1998.

SANTOS, J. S. Pandemia evidencia a emergência de superar o capitalismo e conceber outro socialismo. Entrevista especial com Luiz Marques. Instituto Humanas Unisinos. Disponivel em: http://www.ihu.unisinos.br/601328-pandemia-evidencia-a-emergencia-de-superar-o-capitalismo-e-conceber-outro-socialismo-entrevista-especial-com-luiz-marques?fbclid=IwAR3TOJsPOpKB6HoDHAXTfBVv-ELHIwnrPXKygwm5tmOxr4AEuhyvaUaoTjc Acesso em: 29 de jul. de 2020.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

TANAMACHI, E. de R.; MEIRA, M. E. M. A atuação do psicólogo como expressão do pensamento crítico em psicologia e educação. In: MEIRA, M. E. M.; ANTUNES, M. A. M. Psicologia escolar: práticas críticas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003. p. 11-62.

TONET, I. Atividades educativas emancipadoras. Rev. Práxis Educativa. Vol. 9, n. 1, p.9-24, 2014.

UECE/IMO/SINTSEF, Fortaleza, 2008. Disponivel em: https://b8798a67-b1f1-4006-95f0-2a0e0a3411dd.filesusr.com/ugd/4c396a_f8e6f16171364d3ea10f1e57ac45ff73.pdf Acesso em: 5 de jul. 2020.

UNESC. Declaração de Salamanca. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Salamanca, Espanha, 7 - 10 de junho de 1994. Editado pela Unesco.

______. Education in emergencies. Disponível em: https://en.unesco.org/themes/education-emergencies#:~:text=UNESCO%20helps%20strengthen%20education%20systems,and%20psychological%20safety%20to%20children. Acesso em 12 jan. 2021.

______. Declaração Mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas na aprendizagem. Jomtien, 1990. Editado pela Unesco, 1998.

VÁSQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2. ed. Filosofia da práxis Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

VYGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

______. Sobre los sistemas psicológicos. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas I. 2a ed. Madrid: Visor Dis. SA., 1997a.

______. El problema del retraso mental. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas V. 2a ed. Madrid: Visor Dis. SA., 1997b.

______. La crisis de los siete años. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas IV. 2a ed. Madrid: Visor Dis. SA., 2006.

______. Manuscrito de 1929. Educ. Soc., Campinas, v. 21, n. 71, p. 21-44, July 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302000000200002&lng=en&nrm=iso. Acesso em 05 jul 2020.

______. Teoría de las emociones: Estudio histórico-psicológico. Ediciones Akal S. A., Madrid, Espanha, 2004.

______. Teoria e método em psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Bernardes, M. E. M., Barbosa, A. P., & Lopes, M. A. de C. (2021). Desdobramentos da Pandemia Covid: 19 na educação formal: uma análise da unidade afeto-cognição. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 218–245. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.13943

Edição

Seção

Dossiê 2 - Educação em tempos de pandemia