Diferentes contextos do ensino de biologia no Brasil de 1970 a 2010

Iara Mora Longhini

Resumo


Este texto objetiva traçar um panorama histórico sobre o ensino de Biologia, no Brasil, no período de 1970 a 2010. Para tanto, ele está dividido por décadas a fim de se destacar fatos considerados fundamentais no ensino deste componente curricular. A década de 1970 tem seu enfoque na experimentação e na vivência do método científico; a década de 1980 é caracterizada pelos processos de investigação científica e a formação de habilidades cognitivas e sociais. As diretrizes e os parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio marcam a década de 1990 e os parâmetros curriculares mais ensino médio e as orientações curriculares nacionais para o ensino médio caracterizam a primeira década do século XXI.

Palavras-chave


Ensino de Ciências; Ensino de Biologia e Contexto histórico

Texto completo:

PDF

Referências


BIZZO, N. Ciências biológicas: orientações curriculares para o ensino

médio. Brasília: MEC/SEB, 2004. p.148-169.

BORGES, G. L. A. Utilização do método científico em livros didáticos de

ciências para o 1º grau. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de Educação. Unicamp, Campinas, São Paulo, 1982, 381p.

BRASIL, Reforma do Ensino Superior. Lei nº 5540, de 28 de novembro de

Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Brasília, DF, 1968.

BRASIL, Lei nº 5692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, DF, 1971.

BRASIL, Coletânea de Leis, Pareceres, Decretos-lei, Resoluções e

Portarias. Ensino. Uberlândia, UFU, 1980, 1986, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de

de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação

nacional. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental.

Resolução CEB n. 2, de 7 de abril de 1998a.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio.

Resolução CEB n. 3, de 26 de junho de 1998b.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e

Tecnológica (SEMTEC). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino

Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e

Tecnológica. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da

Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, SEMTEC, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica.

Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ciências da

Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006.

CICILLINI, G. A. História e Memória da Prática de Ensino de Biologia:

inovações e mudanças. In: SELLES. S. E. e FERREIRA, M. S. (Orgs.).

Formação docente em Ciências – memórias e práticas. Niterói, RJ: Eduff,

p. 93-103

DELIZOICOV, D. e ANGOTTI, J. A. P. Metodologia do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 1990. (Coleção magistério 2º grau. Série

formação do professor).

FRACALANZA, H. O conceito de ciência veiculado por atuais livros didáticos de Biologia. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de

Educação. Unicamp, Campinas, São Paulo, 1982, 201p.

FRACALANZA, H. O que sabemos sobre os livros didáticos para o ensino

de Ciências no Brasil. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de

Educação. Unicamp, Campinas, São Paulo, 1992, 304p.

FRACALANZA, H. Histórias do ensino de biologia no Brasil. In: SELLES,

S. E. et. al. (Orgs). Ensino de biologia: histórias, saberes e práticas

formativas. Uberlândia: EDUFU, 2009. p. 25-48.

GOUVEIA, M. S. F. Cursos de Ciências para professores do 1º grau:

elementos para uma política de formação continuada. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação. Unicamp, Campinas, São Paulo, 1992, 283p.

KRASILCHIK, M. O professor e o currículo das ciências. São Paulo: EPU:

Editora da Universidade de São Paulo, 1987.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Editora

Harbra Ltda, 1996.

NASCIMENTO, F.; FERNANDES, H. L. e MENDONÇA, V. M. O ensino de ciências no Brasil: história, formação de professores e desafios atuais.

Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.39, set.2010, p.225-249.

RODRIGUES, M. L. B. e MENDES SOBRINHO, J. A. C. Aspectos

históricos do ensino de Ciências Naturais de 5ª a 8ª série do ensino

fundamental. In: MENDES SOBRINHO, J. A. C. (Org.) Práticas

Pedagógicas em Ciências Naturais: abordagens na escola fundamental.

Teresina: EDUFPI, 2008.

SANTOS, A. R. R. e MENDES SOBRINHO, J. A. C. Contextualizando o

Ensino de Ciências Naturais nas Séries Iniciais. In: MENDES SOBRINHO,

J. A. C. (Org.) Práticas Pedagógicas em Ciências Naturais: abordagens na

escola fundamental. Teresina: EDUFPI, 2008.

SILVA, E. P. Q. A invenção do corpo e seus abalos: diálogos com o ensino

de biologia. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação.

Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia/MG, 2010, 201p.

THEÓPHILO, I. M. e MATA, M. F. Ensino de ciências. Fortaleza: Brasil

Tropical, 2001. (Coleção para professores nas séries iniciais).

VIANA, I. O. A. A formação de docentes no Brasil: história, desafios atuais e futuros. In: RIVERO, C. M. L. e GALLO, S. (orgs.) A formação de

professores na sociedade do conhecimento. Bauru: Edusc, 2004, p. 21-54.

VIEIRA, S. L. e FARIAS, I. M. S. Política educacional no Brasil: introdução histórica. Brasília: Plano Editora, 2003.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.