As implicações linguísticas na aprendizagem dos alunos surdos fronteiriços de Ponta Porã/BR e Pedro Juan Caballero/PY

Karla Alexandra Benites Florenciano, Rita de Cássia Pacheco Limberti

Resumo


Objetiva-se com este trabalho apontar o papel que exerce e a relevância que tem a Língua de Sinais (LS) na vida dos surdos, como também relatar como os usuários dessa língua lidam com um contexto fronteiriço, de Ponta Porã- Brasil/Pedro Juan Caballero-Paraguai, em que há a presença de duas LS, sendo elas: a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e a Língua Paraguaia de Sinais - LSPY, além de três línguas orais: a Língua Portuguesa, o Espanhol e o Guarani.  Para tanto, a pesquisa bibliográfica foi o ponto de partida do estudo, a qual contribuiu para o levantamento de informações tanto gerais como específicas, relativas às teorias sobre a língua de sinais, suas particularidades linguísticas e seu contexto histórico. Este trabalho está organizado em três partes: na primeira parte apresenta-se uma visão histórica da educação dos surdos, as principais correntes metodológicas que nortearam essa especialidade de educação em diversos períodos históricos, bem como as semelhanças, diferenças e curiosidades da educação dos surdos no Paraguai e no Brasil. A segunda parte contém a metodologia utilizada na pesquisa. Na terceira parte apresentam-se os resultados e os relatos de alunos oriundos do Paraguai que estudam em escolas brasileiras e que lidam com essa condição linguística e cultural completamente híbrida.

Palavras-chave


Língua de Sinais. LIBRAS. LPS e Surdos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, Maria Lúcia Arruda Aranha. História da Educação. 2 ed. São Paulo: Moderna.1996.

BRASIL. Decreto n° 5626 de 22 de dezembro de 2005, dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS.

______. Lei n° 10436 de 24 de abril de 2002, regulamenta a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS.

CAMPOS, Tatiane da Silva;STIELER, Pedro. Linguagem, Surdez e Educação Bilingue, Uníntese, Santo Ângelo.

CAPOVILLA, Fernando. CAPOVILLA, Alessandra. O desafio da descontinuidade entre a língua de sinais e a escrita alfabética na educação bilíngue do surdo congênito. In:___. Linguagem e cérebro humano contribuições multidisciplinares. Porto Alegre: Artmed,

p. 19-51.

FALCÃO, Luis Albérico Barbosa, Educação de Surdos e a Formação docente na perspectiva Inclusiva - o caso concreto do Paraguay. Asunción – Paraguay 2012.

FELIPE. Tanya. Escola Inclusiva e os direitos linguísticos dos surdos. Artigo publicado na Revista Espaço, Rio de Janeiro: INES, Vol. 7. 1997: 41-46.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

HONORA, Marcia; FRIZANCO,Mary Lopes Esteves. Livro Ilustrado de Língua Brasileira de Sinais: desvendando a comunicação usada pelas pessoas com surdez. 1. ed. São Paulo: Ciranda Cultura, 2009.

LACERDA, C.B.F. A prática pedagógica mediada (também) pela língua de sinais: trabalhando com sujeitos surdos. Cadernos CEDES, Campinas, v.50, n.20 p.70-83,2000b.

OEI-PY. Organización y Estructura de la Formación Docente en Iberoamérica, Ministerio de Educación y Cultura de Paraguay Sistema Educativo de Paraguay. Dados mundiais de educação 2010/2011.

UNESCO. Disponível em: http://www.oei.es/index.php. acessado

em 30 dezembro de 2013.

PARAGUAY. Ley de Lenguas n° 4251. Disponível em: http://www.cultura.gov.py/lang/eses/2011/05/ley-de-lenguas-n%C2%BA-4251/ Acessado em 20 de dezembro 2013.

QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: A aquisição da linguagem – Porto Alegre: Artmed,1997.

_____. A escola que os surdos querem e a escola que o sistema “permite” criar: estudo de caso do estado de Santa Catarina, - UFSC.2006.

STROBEL, Karen. História da educação de surdos. Universidade Federal de Santa Catarina Licenciatura em Letras-LIBRAS na modalidade a distância. Florianópolis, 2009.

WIDELL, Joanna As fases históricas da cultura surda, Revista GELES – Grupo de Estudos Sobre Linguagem, Educação e Surdez. nº 6– Ano 5. UFSC. Rio de Janeiro: Babel, 1992.




DOI: https://doi.org/10.30612/eadtde.v5i6.6248

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.