O sujeito como objeto de desejos na produção de discursos

Antônio Carlos do Nascimento Osorio, Ruberval Franco Maciel, Nelagley Marques, Daniel Derrel Santee

Resumo


Este artigo apresenta apontamentos das obras foucaultianas que tratam da teoria do discurso nas dimensões de saber e poder, cujo propósito é o Sujeito em suas heterogeneidades, produzidas pelas práticas culturais que o determinam e os cuidados de si. Em pauta as condutas como exercícios de sujeição. São condições do meio que captam o corpo do Sujeito a ser submetido constantemente a agressões biológicas, psicológicas e sociais. O estudo parte da visão do discurso sócio histórico instituído, como um movimento ideológico de como se vê o outro, anulando muitas vezes quem ele é. São tentativas de relativizar a noção de discurso, contrapondo fatores históricos e sociais. É necessário resgatar o sujeito humanizado pelo que ele é e não o que ele representa ser. Além da abordagem interpretativa de nosso estudo, adotamos em alguns movimentos, dos elementos da gramática sistêmico funcional, demarcados por um tempo, espaço ontológico, valores e intenções subjacentes em anunciar quem é o Sujeito como objeto de desejos na produção de discursos.

Palavras-chave


Foucault. Discursos. Sujeito.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.