A percepção das professoras e dos professores sobre a avaliação municipal: o caso do SMAEF

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14240

Palavras-chave:

Educação. Avaliação Externa. Autonomia Docente.

Resumo

O ato de avaliar é cada vez mais entendido como um dos principais parâmetros para se pensar a elaboração de políticas públicas e organização do trabalho docente. Este artigo tem como objetivo analisar a percepção das professoras e dos professores sobre uma avaliação municipal, doravante Sistema Municipal de Avaliação do Ensino Fundamental (SMAEF), levando em consideração suas implicações na autonomia docente. A pesquisa é de cunho qualitativo e classificada como um estudo de caso descritivo. Foi ambientada no município de Russas-CE, com 57 docentes. Utilizou-se como instrumento de mapeamento de dados um questionário eletrônico semiestruturado. No que se refere aos principais resultados encontrados, identificamos que a periodicidade do SMAEF se expressa muito mais como um fiscal do cumprimento da organização curricular vigente, do que, um parâmetro formativo da aprendizagem das alunas e dos alunos. O método de comunicação dos resultados nesta avaliação é mobilizado pela gestão escolar, no sentido de identificar os potenciais erros do corpo docente e construir um cenário de desconfiança da capacidade profissional do grupo. Os professores apresentaram insatisfação com o prestígio de algumas áreas do conhecimento, em detrimento de outras. Chegamos às conclusões provisórias que o trabalho docente naquela região é, por extensão, reflexo da política educacional que vem sendo implementada no Ceará. Nesse sentido, apostam vorazmente em avaliações padronizadas, sem se importarem com os resultados adversos por elas produzidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphaell Moreira Martins, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará.

Possui Licenciatura em Educação Física pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UEVA (2008). Com Especialização em Educação Física Escolar pela Faculdades Nordeste - FANOR (2010). Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2015). Doutor em Desenvolvimento Humano e Tecnologias pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP - Rio Claro (2017). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas dos Aspectos Pedagógicos e Sociais do Futebol (PROFUT/UFSCar). Membro do grupo de pesquisa em Educação, Saúde e Exercício Físico (IFCE). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Professor da Universidade Aberta do Brasil vinculada a Universidade do Estado do Ceará. Linhas de estudo: Metodologias de Ensino da Educação Física Escolar; Educação Física escolar e Formação de Professores de Educação Física escolar; Educação Física no Ensino Médio.

Pedro Henrique Silvestre Nogueira, Faculdade Vale do Jaguaribe (FVJ) Aracati, Ceará, Brasil

É estudante do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino, oferecido pela Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos (FAFIDAM/UECE), campus Limoeiro do Norte-CE. Possui Especialização lato senso em Psicomotricidade pelo Instituto de Ensino Superior de Fortaleza (IESF) e licenciatura em Educação Física pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza (UNIFAMETRO), 2016. Atualmente é professor de educação física do município de Eusébio-CE e da Faculdade Vale do Jaguaribe e é membro do Grupo de Estudos e pesquisa em Educação Física Escolar GEPEFE/UECE.

Antonio Carlos de Sousa, Escola Doutor José Martins de Santiago Russas, Ceará, Brasil

Especialista em Teoria, Metodologia e Práticas de Ensino pelo Instituto Federal do Ceará, Campus Tabuleiro do Norte. Graduado em Pedagogia e Letras/Língua Portuguesa e suas Literaturas pela Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA) e Universidade Federal do Ceará (UFC)/ Instituto UFC Virtual, respectivamente. Membro do Grupo de Estudos FILHAS DE AVALON: O Feminismo em Pauta, da Universidade Estadual do Ceará, campus Quixadá (FECLESC/UECE), liderada pela Profa. Dra. Yls Rabelo Câmara. Atualmente, é Professor Efetivo Polivalente/Pedagogia no município de Russas-CE, atuando nos anos iniciais do Ensino Fundamental(1ºao 5º) e na Educação Infantil. Tenho experiências em turmas de Educação Infantil (2019) e Ensino Médio (Professor de Linguagens e Códigos [2017]). Trabalhei, ainda, como Agente Administrativo no período de 2012 a 2015 na Escola Estadual Padre Augusto Régis Alves/ Jaguaretama-CE (Seduc-CE), atuando na prestação de serviços técnico-pedagógicos à Secretaria da Escola, aos Docentes e Discentes e ao Núcleo Gestor. Atuei, também, como Tutor de Língua Portuguesa em três Escolas Estaduais Regulares (Uma em Jaguaribara-Ce e duas em Jaguaretama-Ce) pertencentes à CREDE 11/ Jaguaribe nos anos de 2012, 2014 e 2016, sendo essa Tutorial fruto de um Projeto da Seduc/CE: JOVEM DE FUTURO. Tenho experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística (Sociolinguística), Subárea de Pesquisa da Especialização. Na área de Educação, tenho experiência com ênfase em Currículo e Ensino. E, por fim, no tocante à Literatura, nutro interesses acerca da Literatura produzida por mulheres.

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Políticas avaliativas e accountability em educação—subsídios para um debate iberoamericano. Sísifo, n. 9, p. 57-70/EN 57-70, 2016.

ANDRÉ, Marli. O que é um estudo de caso qualitativo em educação?. Revista da FAEEBA, v. 22, n. 40, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB). Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/saeb. Acesso em: 10 fev. 2021.

CARLOMAGNO, Márcio Cunha. Estudando cultura e comunicação com mídias sociais. Org: SILVA, Tarcízio. BUCKSTEGGE, Jaqueline. ROGEDO, Pedro. Ed. BPAD. Brasília, 2018.

CEARÁ. Secretaria da Educação. Histórico da CREDE 10. 2012. Disponível em: https://crede10.seduc.ce.gov.br/index.php/institucional/historico. Acesso em: 21 fev. 2021.

CEARÁ. Secretaria da Educação. Sistema Permanente de Avaliação Básica do Ceará (SPAECE). 2018. Disponível em: http://www.spaece.caedufjf.net/o-sistema/o-spaece/. Acesso em: 12 fev. 2021.

CHAVES, Vera Lúcia Jacob. Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. Org. Fernando Cássio. 1. Ed. Boitempo. São Paulo, 2019.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil). Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 98, p. 44, 24 maio 2016. Disponível em: https://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&data=24/05/2016&pagina=44. Acesso em 28 jan. 2021.

COSTA, Fábio Luciano. A mercantilização da educação no Brasil sob a lógica da especulação financeira. FINEDUCA-Revista de Financiamento da Educação, v. 1, 2011.

CUNHA, Niágara Vieira Soares et al. Avaliação externa e autonomia docente: o SMAEF como meio de reprodução da cultura por resultados. movimento-revista de educação, v. 7, n. 15. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistamovimento/article/view/44467/27661. Acesso em: 03 fev. 2021.

DE SOUZA CASTRO, Marilia; DE SOUSA, Eliane Pinheiro. Eficiência dos gastos públicos da rede de ensino municipal cearense. Gestão & Regionalidade, v. 34, n. 100, 2018.

DIAS, Rubia Mara Ribeiro. Ideb, quantificação e qualidade: avaliação do desempenho no ensino fundamental e os impactos do trabalho docente em escolas de Aguari-MG. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Uberlândia, Minas Gerais, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13969. Acesso em: 21 fev. 2021.

EFFGE, Deliane Paula; SAMPAIO, Adelar Aparecido. Implicações no processo pedagógico pela redução de aulas de educação física. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. Cadernos PDE, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre: Editora Mediação, 2003.

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação mediadora: uma relação dialógica na construção do conhecimento. Avaliação do rendimento escolar. São Paulo: FDE, p. 51-9, 1994.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António. Vida de professores. Porto Alegre, Porto Editora, 1995.

IBGE. Cidades e Estados: Russas. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: https:// https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ce/russas.html. Acesso em: 02 fev. 2020.

LEHER, Roberto. Um novo senhor da educação? A política educacional do Banco Mundial para a periferia do capitalismo. Outubro, v. 1, n. 3, p. 19-30, 1999.

LIMA, Alessio Costa. Ciclo de avaliação da educação básica do Ceará: principais resultados. Estudos em Avaliação Educacional, v. 23, n. 53, p. 38-58, 2012.

LUCKESI, Cipriano. Avaliação escolar: estudos e preposições. São Paulo: Cortez, 1996.

MACHADO, Mikeully Meire de Andrade. Responsabilização (accountability), gestão por resultados, rotina escolar e perda da autonomia profissional dos docentes do município de Russas - CE. 2019. Dissertação (Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2019.

MARTINS, Raphaell Moreira. Caminhos e descaminhos do currículo da Educação Física no IFCE, campus Itapipoca. PINTO, Nilson Vieira; LIMA, Patrícia Ribeiro Feitosa; MARTINS, Raphaell Moreira. Transfazeres do ensino na educação profissional e tecnológica. Fortaleza: INESP, 2020.

MEIRINHOS, Manuel; OSÓRIO, António. O estudo de caso como estratégia de investigação em educação. Eduser - Revista de Educação, [S.l.], v. 2, n. 2, dec. 2016. ISSN 1645-4774. Disponível em: https://www.eduser.ipb.pt/index.php/eduser/article/view/24. Acesso em: 18 feb. 2021. DOI https://dx.doi.org/10.34620/eduser.v2i2.24.

MINAYO, Maria Cecília. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21 ed. Editora Vozes. Petrópolis, 2002.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

NOSELLA, Paolo. A atual política para a educação no Brasil: a escola e a cultura do desempenho. Revista Faz Ciência, v. 12, n. 16, p. 37, 2010.

ROSSATO, Maristela; MATOS, Jonas Filippe; PAULA, Ribanna Martins de. A subjetividade do professor e sua expressão nas ações e relações pedagógicas. Educação em Revista, v. 34, 2018.

RUIVO, João. Formação, avaliação e autonomia docente. Avaliação de Desempenho de Professores, p. 35, 2009.

RUSSAS. Secretaria Municipal da Educação e do Desporto Escolar. Diretrizes da Educação Municipal 2017-2020. Russas: SEMED, 2017.

RUSSAS. Secretaria Municipal da Educação e do Desporto Escolar. IDEB 2017: Desempenho de Russas supera médias do Ceará e Brasil. Prefeitura Municipal de Russas, Russas, 2019. Disponível em: https://russas.ce.gov.br/destaque/ideb-2017-educacao-de-russas-de-parabens-desempenho-do-municipio-supera-medias-do-ceara-e-brasil/. Acesso em: 21 fev. 2021

RUSSAS. Secretaria Municipal da Educação e do Desporto Escolar. Plano Municipal de Educação: Russas - Ceará: 2015-2025. Russas: SEMED, 2015.

SANTANA, Andréia da Cunha Malheiros. A constituição do Estado Avaliativo e o aumento das avaliações externas: propagando um ensino desigual para todos. Avaliação da educação, p. 37, 2018.

SANTOS, Elieser dos; GURSKI, Luciano de Lacerda. A diminuição de aulas de educação física nas escolas públicas de Curitiba de ensino fundamental anos finais. XI EVINCI — Anais [...], v. 2 n. 1: Caderno de Resumos, 2016.

VOSS, Dulce Mari Silva; GARCIA, Maria Manuela Alves. O discurso da qualidade da educação e o governo da conduta docente. Educação & Realidade, v. 39, n. 2, p. 391-412, 2014.

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Martins, R. M., Nogueira, P. H. S., & Sousa, A. C. de. (2021). A percepção das professoras e dos professores sobre a avaliação municipal: o caso do SMAEF. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 368–390. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14240