Formação de professores no cenário educacional brasileiro: desafios à formação continuada de alfabetizadores

Elis Regina dos Santos Viegas, Elisângela Alves da Silva Scaff

Resumo


Este artigo tem por objetivo situar a formação de professores no âmbito das políticas educacionais brasileiras, com o intuito de delinear o contexto no qual a formação de professores adquire centralidade, procurando compreender as orientações que a definem, bem como sua materialização no município de Dourados, MS. Para tanto, foram realizados estudos bibliográficos e documentais; como também pesquisa de campo junto a Secretaria Municipal de Educação de Dourados com recorte temporal de 2006 a 2012.A primeira parte do texto busca contextualizar as políticas de formação docente no Brasil;e em um segundo momento, apresenta-se a materialização dessas formações no âmbito municipal.Os dados levantados permitem constatar que a política de formação continuada, na área de alfabetização, consolidada no município de Dourados tem como característica a convergência das políticas educacionais emanadas do governo central, que assumem um caráter regulatório baseado em metas definidas nacionalmente e que contribuem para um cenário público municipal de passividade em relação às ações implementadas.

Palavras-chave


Política Educacional. Formação de Professores. Formação Continuada de Alfabetizadores.

Texto completo:

PDF

Referências


BALL, S. J. Reformar escolas/reformar professores terrores da performatividade. Revista Portuguesa da Educação, Braga, v.15, n. 2, p.3-23, 2002. Disponível em: http://josenorberto.com.br/BALL.%2037415201.pdf Acesso em: set. 2013.

BRASIL. Portaria nº 867, de 4 de julho de 2012. Institui o Pacto pela Educação na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. Brasília, 2012.

DOURADOS. Lei Complementar nº118, de 31 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Profissional da Educação Municipal de Dourados-MS. Disponível em: www.dourados.ms.gov.br Acesso em: jun. 2012.

______.Lei Orgânica do Município, 1990. Disponível em:

www.camaradourados.ms.gov.br. Acesso em: jul. 2012.

______.Resolução nº 278, de 12 de março de 2004, que institui o Programa de Formação Continuada dos profissionais de Educação da Rede Municipal de Ensino de Dourados-MS. DOURADOS: SEMED, 2004.

ENS, R. T.; EYNG, A. M.; GISI, M. L. O trabalho do professor nas representações sociais de alunos de licenciaturas em pedagogia e biologia. In: ENS, R. T. VOSGERAU, D. S. R.; BEHRENS, M. A. (Orgs.). Trabalho do professor e saberes docentes. Curitiba: Champagnat, 2009.

FREITAS, H. C. L. de. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educ. Soc., Campinas, v.28, n.100, p.1203-1230, out. 2007.

FRIGOTTO, G. Educação e formação humana: ajuste neoliberal e alternativa democrática. In: GENTILI, P. A. A.; SILVA, T. T. da (Orgs.). Neoliberalismo, qualidade total da educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. de S. (Coord.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GENTILI, P. A falsificação do consenso: simulacro e imposição na reforma educacional do neoliberalismo no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998.

GUIMARÃES, V. S. Saberes docentes e identidade profissional: a formação de professores na Universidade Federal de Goiás. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: forma-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2002.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professor? Novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 2007.

MACHADO, L. R. O modelo de competências e a regulamentação da base curricular e de organização do ensino médio. Trabalho e Educação, Belo Horizonte, n. 4, p.79-95, ago./dez. 1998.

MARCELO GARCÍA, C. A Formação de professores- para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

MARQUES, M. O. A formação do profissional da educação. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2000.

MAUÉS, O. C. Reformas internacionais da educação e formação de professores. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p.89-117, mar. 2003.

OLIVEIRA, D. A. As reformas educacionais e suas repercussões sobre o trabalho docente. In: OLIVEIRA, D. A. (Org.). Reformas educacionais na América Latina e os trabalhadores docentes. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SANTOS, M. S. dos; MESQUITA, P. As matilhas de Hobbes: o modelo da pedagogia por competência. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2007.

SCHEIBE, L. Valorização e Formação dos Professores para a Educação Básica: questões desafiadoras para um novo plano nacional de educação. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 112, p. 981-1000, jul./set. 2010. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br Acesso em: out.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M. de; EVANGELISTA, O. Política Educacional. 4. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.