Educação e Fronteiras https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao <p>A revista <em><strong>Educação e Fronteiras</strong> A4 (2017-2020), </em>é uma publicação quadrimestral de caráter interinstitucional coordenada pela UFGD por meio dos grupos de pesquisa “História da educação, memória e sociedade”, “Política e gestão da educação” e “Educação e diversidade” em parceria com as seguintes instituições de ensino do estado de Mato Grosso do Sul e seus respectivos grupos de pesquisa: UFMS/CPAN, “Políticas, práticas institucionais e exclusão/inclusão social” e “Formação de educadores e diversidade”, e UEMS, “Linguagem, literatura, educação e sociedade” e “Teorias e práticas educacionais”.</p> <p><br /><br /><br /><br /><br /><br /></p> <p> </p> UFGD pt-BR Educação e Fronteiras 2237-258X Experiência, trabalho e modos de vida https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16859 <p>Problematizamos a categoria <em>experiência</em> na definição dos territórios de povos e comunidades tradicionais, considerando seus modos de vida, lutas e resistências necessários para o processo de suas existências, em oposição ao modo de produção capitalista. Trata-se de investigação com abordagem qualitativa, por meio de pesquisa bibliográfica, dando condições para entender de forma crítica, interpretativa e analítica condicionantes da relação humana, no interior das contradições capital e trabalho, sobre modos de vida de povos e comunidades tradicionais. Inferimos que as <em>experiências</em> vividas e compartilhadas por sujeitos no contexto de comunidades e povos tradicionais expressam formas de luta e resistência contra sociabilidades, as quais intensificam desigualdades sociais e individualizam relações. Atestamos, por conseguinte, que a experiência pressupõe modos de vida, constituindo identidade peculiar e decorrente do território habitado, permitindo a homens e mulheres, mediados pela consciência social, refletirem sobre sua realidade e buscarem estratégias para modificá-la ou mantê-la.</p> Maria Isabel Batista Rodrigues Gilmar Pereira da Silva Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-01-01 2023-01-01 e023002 e023002 10.30612/eduf.v13i00.16859 Diálogo sobre o aprender https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16524 <p>A aprendizagem é um processo que ocorre de maneira indissociável das vivências humanas e permeia diversos contextos, ambientes e características. Pautado na convergência entre o envelhecimento populacional e a vivência da aprendizagem durante toda a vida, este estudo objetivou compilar conhecimentos referentes à vivência do processo de envelhecimento, destacando os possíveis efeitos da aprendizagem não formal ao longo da vida sobre o indivíduo. Para tal, realizou-se uma investigação narrativa da literatura científica disponível nos bancos de dados Scielo e PubMed. Foi possível reconhecer que há organizações institucionais que se atentam para os benefícios da aprendizagem na velhice, estes, versando sobre os benefícios sociais e individuais, relacionando-se com a criação de redes de apoio, aumento da independência e sentimentos positivos como a autoestima. Conclui-se que a aprendizagem no processo de envelhecimento é uma importante fonte de impacto positivo de maneira multidimensional, favorecendo a qualidade de vida e o bem-estar na velhice.</p> Dante Ogassavara Thais Silva-Ferreira Cintia Gonçalves de Mesquita Brites Jeniffer Ferreira-Costa José Maria Montiel Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-03-16 2023-03-16 e023003 e023003 10.30612/eduf.v13i00.16524 As Representações Sociais de inovação pedagógica na formação de professores https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16893 <p>As pesquisas sobre formação e trabalho docentes dizem que os professores não têm sido preparados para o complexo contexto profissional contemporâneo que vem transformando a escola. Sugere-se que isso se deve a uma formação de professores tradicional. Para fazer frente a essas demandas, é indicada a inovação pedagógica. Assim, o objetivo foi explicar as representações sociais que professores da graduação em Pedagogia elaboram sobre inovação pedagógica. Para isso, implementou-se uma pesquisa qualitativa, tendo sido entrevistados 23 formadores. O material coletado foi tratado com o apoio do programa IRaMuTeQ e, posteriormente, submetido à análise temática de conteúdo. Os resultados indicam que há uma mudança nas representações: por um lado, quando referidas à Escola Básica, tencionam-se para “emprego de recursos”; por outro lado, quando referidas ao trabalho na graduação, objetivam-se em “tecnologias”, “metodologias ativas” e “melhoria pedagógica”. Conclui-se que essas representações referentes à Formação Superior se ancoram no quadro histórico da Educação Brasileira.</p> Silvio Duarte Domingos Edna Maria Querido de Oliveira Chamon Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-03-16 2023-03-16 e023004 e023004 10.30612/eduf.v13i00.16893 Onde queremos chegar? https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16814 <p>Sabemos que a educação é um dos setores mais importantes da sociedade e que demanda investimentos constantes de melhoria em sua estrutura curricular e pedagógica para a garantia de uma formação mais humanizada às nossas crianças e jovens para superação de suas mazelas e tenham, o direito de aprenderem a conviver, garantido. O presente artigo teórico é resultado da pesquisa intitulada “A descrição da construção coletiva do programa anti bullying em uma rede de ensino: para a convivência ética ter valor” e tem em vista apontar as principais características de uma política pública para a educação que possa atender à necessidade de investimento no combate ao bullying e na promoção de uma convivência para a paz nas escolas brasileiras. Para tal, estabelece-se uma comparação com as políticas educacionais de outros países que, há décadas, já vêm implementando tais ações e que têm nos mostrado uma grande importância da garantia de manutenção de ações que auxiliam no combate às violências institucionalizadas.</p> Natália Cristina Pupin Santos Luciene Regina Paulino Tognetta Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-03-21 2023-03-21 e023005 e023005 10.30612/eduf.v13i00.16814 O pensamento complexo de Edgar Morin e o ensino de física https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16922 <p>Este estudo apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas com a abordagem do pensamento complexo na área do ensino de Física, como contribuição teórica nesse tema. Foi produzido um estado do Conhecimento a partir da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDBT) para seleção dos trabalhos que atendem aos critérios elencados, etapa seguida de um processo de sistematização dos dados técnicos e analíticos que organizou as produções de acordo com os objetivos, metodologia, coleta de dados e principais resultados alcançados. Foram localizadas apenas uma tese e quatro dissertações, totalizando cinco (05) pesquisas mapeadas. Ao final, almeja-se uma aproximação entre o pensamento complexo, a ciência e o ensino para trazer uma visão mais ampla acerca do conhecimento e a reflexão diante dos atuais moldes educacionais, demonstrando um possível caminho à inovação pedagógica humanizada.</p> Aline Luz Mesquita Ivan Fortunato José Anderson Santos Cruz Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-03-29 2023-03-29 e023006 e023006 10.30612/eduf.v13i00.16922 Do currículo instituído ao currículo experienciado https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16943 <p>Este estudo centra-se na Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo (LEDOC), habilitação em Ciências Humanas e Sociais, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Refere-se a uma pesquisa acerca do currículo, mais especificamente debruça-se para o currículo instituído no Projeto Pedagógico de Curso (PPC) e o currículo experienciado pelos egressos da licenciatura. Como objetivo central, salienta-se refletir, na perspectiva de egressos, sobre os conteúdos curriculares da habilitação em Ciências Humanas e Sociais da LEDOC/UFERSA. O estudo fez uso da abordagem qualitativa, utilizando do questionário composto por seis questões abertas como técnica para a produção dos dados. Participaram da investigação, 10 egressos da LEDOC/UFERSA, os quais vivenciaram os processos formativos na referida licenciatura entre os anos de 2013 e 2019. Como considerações, os egressos sinalizaram que os conteúdos curriculares vividos na habilitação em Ciências Humanas e Sociais são insuficientes em relação à atuação profissional na Educação Básica, nas disciplinas que constituem a área da habilitação, quais sejam: História, Geografia e Sociologia. De toda forma, assinalaram a boa qualidade da formação inicial no curso, especialmente no que toca à formação pedagógica.</p> Ramon Roseno Alves Emerson Augusto de Medeiros Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-03-31 2023-03-31 e023007 e023007 10.30612/eduf.v13i00.16943 Os caminhos abertos pela Lei 10.639/03 e a aplicação da educação antirracista nos currículos jurídicos https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16586 <p>Dentre as lutas por reconhecimento travadas pelas vítimas do racismo, o campo jurídico se mostra desafiador. Além dos obstáculos na formulação e implementação de leis em prol da igualdade formal, a conduta dos profissionais do direito influência a efetividade dessas conquistas, revelando uma formação jurídica indiferente à desigualdade racial. Por outro lado, a Lei 10.639/03, ao estabelecer o ensino da história afro-brasileira, abriu caminho para medidas correlatas e a criação de um programa curricular antirracista. Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo analisar a aplicação da educação antirracista nos currículos jurídicos, utilizando uma abordagem hipotético-dedutiva e técnicas de pesquisa bibliográfica e documental. Ao final, constatou-se que a implementação das diretrizes curriculares antirracistas também possibilitou a criação de currículos jurídicos antirracistas.</p> Vanessa Cristina Lourenço Casotti Ferreira da Palma Evelyn da Costa Souza Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-05-26 2023-05-26 e023008 e023008 10.30612/eduf.v13i00.16586 O consumo de drogas no ambiente acadêmico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16575 <p>O uso de drogas causa diversos efeitos funestos ao organismo e à vida social, podendo afetar gravemente a saúde do usuário e causar até mesmo dependência. O objetivo deste estudo, é investigar o consumo de drogas entre os discentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, atentando ao fato de que os estudantes têm fácil acesso a entorpecentes na universidade e tem seu uso justificado desde a aceitação social até a fuga da realidade ou até mesmo para conseguir boas notas. A pesquisa revelou que a maioria das exposições ocorreu com homens e com maiores de 18 anos. A medida do tempo que o aluno está na universidade, aumenta o seu percentual de uso, sendo que o uso era para momentos de lazer, ou em momentos de semana de prova/final de semestre. Entretanto, muitos já tiveram vontade de usar drogas com o único objetivo de aumentar suas notas.</p> Beatriz Costa Brauer Emily Colle de almeida soares Maria Luísa Vieira Mello de Oliveira Mell Mariane Lima dos Santos Pâmela Iohana Nantes Moraes Cássio Pinho dos Reis Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-05-26 2023-05-26 e023009 e023009 10.30612/eduf.v13i00.16575 Educação Ambiental e Direitos da Natureza https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16348 <p>O presente artigo situa-se no campo das abordagens de ecopolítica, no contexto latino-americano, de crítica à Educação e ao Direito Ambiental e, propõe uma aproximação da Educação com os Direitos da Natureza, cuja base situa-se no reconhecimento da natureza como sujeito de direitos e das sociedades do bem viver. O estudo caracteriza-se como um ensaio teórico hipotético-dedutivo com revisão bibliográfica e análise de dados através de normas jurídicas. Tem como objetivo central indagar se o reconhecimento dos Direitos da Natureza pode contribuir para a construção de propostas teóricas e práticas de uma Educação Ambiental Crítica.</p> Verônica Maria Bezerra Guimarães Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-10-03 2023-10-03 e023010 e023010 10.30612/eduf.v13i00.16348 Educação do campo nos marcos do direito constitucional https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/16262 <p align="justify">Este trabalho analisou as lutas sociais em prol da educação do campo como um direito humano-social, explorando como essas lutas levaram à conquista desse direito, as formas de resistências adotadas e a importância da existência material das escolas no campo como um direito constitucional. O trabalho partiu da hipótese de que somente através da luta é possível conquistar e garantir a existência legal das escolas no campo no âmbito da educação rural. O estudo se baseou em documentos produzidos por movimentos sociais, legislações conquistadas e na historiografia sobre a educação no campo. Para isso, adotamos o Materialismo Histórico-Dialético como método de investigação do objeto, permitindo uma compreensão mais profunda do processo histórico e dos fatores econômicos que desempenham um papel nas lutas de classes. Os resultados da pesquisa demonstraram que as lutas sociais são ressignificadas e estão em evolução para a conquista e ampliação dos direitos à educação no campo, crucial para a unificação e enriquecimento das comunidades rurais.</p> Vanderlei Amboni Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-10-03 2023-10-03 e023011 e023011 10.30612/eduf.v13i00.16262 Competências digitais na educação básica https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/17778 <p>A adoção do ensino híbrido, em muitas escolas, tem obrigado os professores a desenvolverem competências digitais para a integração das tecnologias da informação e comunicação (TIC). O objetivo desta pesquisa foi avaliar o nível de competências digitais dos professores de Ensino Médio numa rede de ensino privado. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quali-quantitativa que utilizou o questionário <em>DigCompEdu check-in</em>, instrumento criado para compreender as expectativas, necessidades de formação em competências digitais e desafios com o ensino híbrido, em um grupo de professores do Ensino Médio do interior do Estado de São Paulo. Após a aplicação do instrumento, analisou-se os resultados utilizando o <em>software</em> IBM SPSS Statistics® 22.0 para análise estatística descritiva e inferencial das questões. Os resultados mostraram que os professores têm uma percepção de sua competência digital próxima da realidade, porém autoavaliaram-se em níveis um pouco acima do revelado pelo instrumento <em>DigCompEdu check-in</em>.</p> Heber Ceribelli Francislê Neri de Souza Helena Brandão Viana Roberta Rodrigues de Oliveira Guimarães Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-12-06 2023-12-06 e023012 e023012 10.30612/eduf.v13i00.17778 Fanon, os filósofos e a questão do homem negro https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/17799 <p>Partindo da teoria pós-colonial enquanto uma área de estudo interdisciplinar que se preocupa com as estruturas históricas, políticas, filosóficas, sociais, culturais, estéticas e seus discursos, este artigo propõe refletir sobre a questão do reconhecimento do sujeito colonial a partir do diálogo que Fanon estabelece com três filósofos (Karl Jaspers, Jean-Paul Sartre e Friedrich Hegel) em Pele negra, máscaras brancas (2008). Será dada atenção especial ao problema do reconhecimento a partir do contraponto que Fanon estabelece com Hegel e a Fenomenologia do espírito (2003), obra na qual o filósofo alemão aborda a lógica do reconhecimento, um dos pontos fulcrais do processo da dialética. Fanon adverte que o homem negro está fora do processo da história, porque é sempre apresentado dentro do circuito fechado da consciência-de-si ou “em-si” e jamais como o estágio da consciência crítica de um “ser-para-si”, uma vez que não lhe é dada a reciprocidade do reconhecimento.</p> Paulo Andrade Rafael César Pitt Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-12-11 2023-12-11 e023013 e023013 10.30612/eduf.v13i00.17799 Da ontologia à ecosofia do turismo https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/17779 <p>O ensaio apresenta reflexões sobre a urgência de desenvolvimento epistemológico-teórico-prático de uma Ecosofia do Turismo, diante das demandas contemporâneas no cenário de caosmose de guerras múltiplas, pandemias, colapso climático e desafios de superação do Antropoceno. A fundamentação teórica é transdisciplinar e holística, envolvendo Epistemologia da Ciência e do Turismo, na composição de Ecossistemas Turístico-Comunicacionais-Subjetivos; Complexidade, Ecologia dos Saberes e Ecologia; Biologia Amorosa, do Conhecimento e Cultural. As estratégias metodológicas da Cartografia dos Saberes e das Matrizes Rizomáticas são processuais, complexas e plurimetodológicas no plano operacional, envolvendo dimensões: epistemológica, teórica, metódica e técnica. O texto traz, como resultados, reflexões sobre o Turismo e sua deriva histórica. Entre o funcionalismo pragmático desenvolvimentista e o acirramento da crítica do caráter capitalístico, a Ecosofia do Turismo pode nos ajudar a encontrar sinalizadores para o Turismo-Trama – o Turismo em sua dimensão complexa, ecossistêmica, holística – para o Mundo N’Ovo, o Mundo que precisamos ajudar a construir.</p> Maria Luiza Cardinale Baptista Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-12-20 2023-12-20 e023014 e023014 10.30612/eduf.v13i00.17779 Experiência Estética https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/17727 <p>A Curadoria Educativa e Experiência Estética apresentam uma lacuna. O presente estudo tem como objetivo compreender a experiência estética na curadoria educativa. Por meio de uma revisão bibliográfica acerca dos conceitos presentes nas produções remanescentes dos últimos 5 anos, foram consultados artigos em dois bancos de dados. A seleção abrangeu os artigos que mais se aproximam das temáticas em questão. Os dados foram organizados em um quadro para facilitar a análise. Na interpretação desses dados, adotou-se a hermenêutica filosófica. Nessa perspectiva, o pesquisador encontra limitações impostas por sua própria historicidade, revelando assim o horizonte histórico e o caráter da tradição. Os resultados obtidos indicam a necessidade de abordar a curadoria educativa alinhada a aspectos estéticos e éticos, visando o desenvolvimento da autonomia dos sujeitos. Além disso, surgem questionamentos acerca da consolidação da curadoria educativa nas formações iniciais e da sua importância nas formações continuadas dos educadores de Arte.</p> Leila Sampaio da Silva Margaréte May Berkenbrock- Rosito Kiara Maia de Oliveira Juliana Cavalcanti Candelária Copyright (c) 2023 Educação e Fronteiras https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2023-12-20 2023-12-20 e023015 e023015 10.30612/eduf.v13i00.17727