Fabricando paraquedas coloridos: linguística aplicada, decolonialidade e formação de professores

Alexandre José Cadilhe

Resumo


Neste ensaio, tenho como objetivo construir uma compreensão sobre alguns desafios da Linguística Aplicada indisciplinar na formação docente (MOITA LOPES, 2006; 2009; CAVALCANTI, 2013; MILLER, 2013) que, em diálogo com as lentes decoloniais (MIGNOLO, 2003; 2005; QUIJANO, 2010; WALSH, 2013; MALDONADO-TORRES, 2019; GROSFOGUEL, 2019), apresenta perspectivas para uma formação de professores de línguas comprometida com a justiça social. Intercalo uma reflexão epistêmica em diálogo com as práticas que me engajo enquanto formador de professores de língua portuguesa na graduação e pós-graduação na área de Letras/Linguística Aplicada, mobilizando algumas cenas da sala de aula e pesquisas. Para isso, discuto o tema da Linguística Aplicada na formação de professores e a sua agenda crítica já assumida no contexto brasileiro; elenco alguns princípios dos estudos decoloniais, em especial da pedagogia decolonial; e proponho alguns “paraquedas coloridos” para a formação de professores de línguas considerando essas perspectivas. Ao fim, concluo com algumas implicações e desafios para uma formação docente orientada pela linguística aplicada interseccionada com os princípios discutidos, considerando estratégias que podem ajudar a “sulear” (FREIRE, 1992) uma educação calcada na esperança de um mundo social menos desigual.


Palavras-chave


Linguística Aplicada. Decolonialidade. Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. A.; SILVA, T.C. O ensino de Literatura na BNCC: discursos e (re)existências. In: GERHARDT, A.F.; AMORIM, M. (org.). A BNCC e o ensino de línguas e literaturas. Campinas: Pontes, 2019.

AZEVEDO, B. D. Ressignificando a sala de aula de língua portuguesa: narrativas em interação no estágio supervisionado. Dissertação de Mestrado em Linguística. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2020.

BALLESTRIN, L. América Latina e o Giro Decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, pp. 89-117, 2013.

BALLESTRIN, L. Modernidade/Colonialidade sem “Imperialidade”? O Elo Perdido do Giro Decolonial. Revista Dados, v. 60, n. 2, pp. 505-540, 2017.

BERNARDINO-COSTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, N. Introdução: decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. In: ______(org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

BORELLI, J. D. V. P. ; PESSOA, R. R.. O estágio e o desafi o decolonial: problematizações sobre as relações interpessoais de seus/suas agentes. Moara, v. 51, pp. 75-96, 2019.

CADILHE, A.J. Direitos humanos, educação e multiletramentos: o uso do Instagram na formação do/a professor/a de língua. Fólio - Revista de Letras, v. 10, pp. 315-343, 2018.

CADILHE, A.J.; SALGADO, A. C. P. Beijar, verbo intransitivo: Narrativas, diversidade e sexualidade na formação de professores/as de línguas. Letras & Letras (UFU), v. 35, pp.

-89, 2019.

CADILHE, A.J.; SANTANNA, P. F. Narrativas da experiência em formação docente inicial mobilizadas em práticas de letramentos online. (Con)Textos Linguísticos, v. 13, pp. 138-155, 2019.

CADILHE, A.J.; LEROY, H.R. Formação de Professores de Língua e Decolonialidade: o Estágio Supervisionado como espaço de (Re) Existências. Calidoscópio (Unisinos), v. 18, n. 2, pp. 250-271, 2020.

CANAGARAJAH, S.. Teacher development in a global profession: An autoethnography. TESOL Quarterly, 46, pp. 258–279, 2012.

CANAGARAJAH, S. From critical research practice to critical research reporting. TESOL Quaterly, v. 30, n. 2, pp. 321-330, 1996.

CARVALHO, J.J.de. Encontro de Saberes de descolonização: para uma refundação étnica, racial e epistêmica das universidades brasileiras. In: BERNARDINO-COSTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, N.(org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

CAVALCANTI, M. Educação linguística na formação de professores de línguas. In: MOITA LOPES, L.P.(org.). Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola, 2013.

COLLINS, P.H. Epistemologia feminista negra. In: BERNARDINO-COSTA, J. MALDONADOTORRES, N.; GROSFOGUEL, N. (org.) Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

FALS-BORDA, O. Pesquisa-ação, ciência e educação popular nos ano 90. In: STRECK, D. (org.). Fontes da Pedagogia Latino-Americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

FANON, F. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Ed. da UFJF, 2005.

FRANCISCO, L. Letramento e Direitos Humanos: a Vinheta Narrativa como dispositivo de reflexão na Formação de Professores. Dissertação de Mestrado em Linguística. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 47. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FRIDMAN, L.C. Vertigens pós-modernas: configurações institucionais contemporâneas. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000.

GARCEZ, P. [Conversa com] Pedro Moraes Garcez. In: SILVA, K.; ARAGÃO, R. (org.). Conversas com formadores de professores de línguas. Campinas: Pontes, 2013.

GIL, G. Mapeando os estudos de formação de professores de línguas no Brasil. In: FREIRE, M.; ABRAHÃO, M.H.; BARCELOS, A.M.(org.). Linguística Aplicada e Contemporaneidade. São Paulo: Pontes, 2005.

GIMENEZ, T. Desafios contemporâneos na formação de professores de línguas: contribuições da Linguística Aplicada. In: FREIRE, M.; ABRAHÃO, M.H.; BARCELOS, A.M.(org.). Linguística Aplicada e Contemporaneidade. São Paulo: Pontes, 2005.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2009.

GROSFOGUEL, R. Para uma visão decolonial da crise civilizatória e dos paradigmas da esquerda ocidentalizada. In: BERNARDINO-COSTA, J. MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, N. (org.) Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

GUIMARÃES, T.F.; ZOLIN-VESZ, F. Práticas linguísticas e construção de (des)colonialidades na contemporaneidade. Raído, Dourados, v. 13, n. 33, pp. 7-9, dez. 2019.

HOOKS, B. Ensinando a Transgredir: educação como prática de liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

JOHSON, K.; GOLOMBEK, P. The transformative power of Narrative in Second Language Teacher Education. Tesol Quaterly, v. 45, n.3, pp. 486-509, 2011.

KLEIMAN, A. Modelos de Letramentos e as Práticas de Alfabetização na Escola. KLEIMAN, A. (org.). Os Significados do Letramento: uma perspectiva sobre a prática social da escrita.

Campinas: Mercado de Letras, 1995.

KLEIMAN, A.; VIANNA, C.; GRANDE, P.B. de. A Linguística Aplicada na contemporaneidade: uma narrativa de continuidades na transformação. Revista Calidoscópio, v. 17, n. 4, pp. 724-742, 2019.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: Macrostrategies for Language Teaching. New Haven: Yale University Press, 2003a.

KUMARAVADIVELU, B. Critical Language Pedagogy: a postmethod perspective on English language teaching. Word Englishes, v. 22, n.4, pp. 539-550, 2003b.

KUMARAVADIVELU, B. Desconstructing Applied Linguistics: a postcolonial perspective. In: FREIRE, M.; ABRAHÃO, M.H.; BARCELOS, A.M. (org.). Linguística Aplicada e Contemporaneidade. São Paulo: Pontes, 2005.

KUMARAVADIVELU, B. The Decolonial Option in English Teaching: Can the Subaltern Act? TESOL QUARTERLY, v. 50, n. 1, pp. 66-85, 2016.

LIBERALI, F. Formação Crítica de Educadores: questões fundamentais. Campinas: Pontes, 2015.

MALDONADO-TORRES, N. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: BERNARDINO-COSTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, N.(org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

MASTRELLA-DE-ANDRADE, M. R. ; PESSOA, R. A critical, decolonial glance at language teacher education in Brazil: on being prepared to teach. DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 35, v. 2, pp. 1-28, 2019.

McKINNEY, C. Language and Power in Post-Colonial Schooling: ideologies in practice. New York: Routledge, 2017.

MIGNOLO, W. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

MIGNOLO, W. Histórias Globais/projetos Locais. Colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

MILLER, I. Formação de professores de línguas: da eficiência à reflexão crítica e ética. In: MOITA LOPES, L.P. (org.). Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola, 2013.

MOITA LOPES, L.P. Linguística Aplicada como lugar de construir verdades contingentes: sexualidades, ética e política. Gragoatá, n. 27, pp. 33-50, 2009.

MOITA LOPES, L.P. Linguística Aplicada e vida contemporânea: problematização dos constructos que têm orientado a pesquisa. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo (org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006.

MOITA LOPES, L.P.; FABRICIO, B. Por uma ‘proximidade crítica’ nos estudos em Linguística Aplicada. Calidoscópio 17(4), pp. 724-742, dezembro 2019.

NELSON, C. Narratives of Classroom Life: changing conceptions of knowledge. Tesol Quaterly, v. 45, n. 3, pp. 463-495, 2011.

NELSON, C. Narrativas queer da vida em sala de aula: lições intrigantes para os Estudos de Linguagem. In: FERREIRA, A. (org.). Narrativas autobiográficas de identidade sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em Estudos de Linguagem. Campinas: Pontes, 2015.

OLIVEIRA, L.F.; CANDAU, V.M. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista, v. 26, n. 1, pp. 15-40, 2010.

PESSOA, R. R.; SILVESTRE, V. P. V.; BORELLI, J. D. V. P.. Challenges of a decolonial undertaking in teacher education. Calidoscópio, v. 17, n. 2, pp. 343-360. 2019.

PESSOA, R. Formação de professores/as em tempos críticos: refl exões sobre colonialidades e busca por um pensar decolonial. In: SILVA, W.; SILVA, V.; CAMPOS, D.(org.). Desafios da formação de professores na Linguística Aplicada. Campinas: Pontes, 2019.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, B. de S. & MENESES, M.P. (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

RODRÍGUEZ, S. Inventamos ou erramos. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

SANTOS, B.S. Na oficina do sociólogo artesão: aulas de 2011-2016. São Paulo: Cortez, 2018.

SANTOS, B.S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, B. de S. & MENESES, M.P. (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SIGNORINI, I. Prefácio. In: _____. (org.). Gêneros catalisadores: letramento e formação do professor. São Paulo: Parábola, 2006.

SILVA Jr, A.C.; MATOS, D.C. Linguística Aplicada e o SULear: práticas decoloniais na educação linguística em espanhol. Revista Indisciplinar SULear (Uemg), v. 2, n. 2, pp. 101-116, 2019.

SOUZA, A.L. Letramentos de reexistência: poesia, grafite, música, dança, hip-hop. São Paulo: Parábola, 2011.

STRECK, D. (org.). Fontes da Pedagogia Latino-Americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

STRECK, D. R. Fontes da educação popular na América Latina: contribuições para uma genealogia de um pensar pedagógico decolonial. Educar em Revista, v. 35, pp. 207-223, 2019.

STRECK, D. Descolonizar a participação: pautas para a pedagogia latino-americana. Educar em Revista, Edição especial, n. 2, pp. 198-202, 2017.

STRECK, D.; MORETTI, C. Colonialidade e insurgência: contribuições para uma pedagogia latino-americana. Revista Lusófona de Educação, n. 24, pp. 33.48, 2013.

STREET, B. Letramentos Sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola, 2014.

TARDIFF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

WALSH, C. Introducción: lo pedagógico y lo decolonial: entretejiendo caminhos. In: WALSH, C. (org.). Pedagogías decoloniales: prácticas insurgientes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Quito, Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 2013.

ZOLIN-VESZ, F.(org.). Linguagens e Decolonialidades – arenas e embates de sentido. Campinas: Pontes, 2016.

ZOLIN-VESZ, F. (org.). Linguagens e Decolonialidades – práticas linguageiras e produção de (des)colonialidades no mundo contemporâneo. Campinas: Pontes, 2017.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v14i36.11943

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.