Desenvolvendo letramento crítico em aulas de inglês para o Ensino Fundamental I: o ensino crítico de inglês como língua estrangeira para crianças

Patrícia Helena da Silva Costa

Resumo


Este artigo tem como objetivo propor o desenvolvimento de práticas de letramento crítico no ensino de Inglês como Língua Estrangeira para Crianças. A fim de contextualizar a presente proposta, este estudo discute brevemente sobre o histórico do ensino de Inglês no Ensino Fundamental I no contexto educacional brasileiro e a relevância desse ensino nas séries iniciais da Educação Básica. Em seguida, aborda-se a concepção de “crítico” (PENNYCOOK, 2004; TILIO, 2017b) e de letramento crítico (CERVETTI et al., 2001; EDMUNDO, 2013) utilizadas neste trabalho. Para materializar esses aspectos são propostas atividades para o ensino de Inglês para alunos(as) do 5º ano do ensino fundamental, de forma que os encaminhamentos sugeridos contemplem tanto problematizações a cerca dos discursos com os quais as crianças interagem em suas práticas sociais quantos as orientações propostas pelo Currículo Carioca de Língua Inglesa da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ). Por meio deste trabalho, sinaliza-se a possibilidade de formar alunos(as) como cidadãos(ãs) críticos(as) e participativos(as) desde o Ensino Fundamental I. Além disso, este estudo também se constitui como uma prática a ser realizada no ensino de Inglês como Língua Estrangeira para Crianças na SME-RJ.

 


Palavras-chave


Ensino de Inglês como Língua Estrangeira para Crianças. Ensino crítico de Inglês. Práticas de letramento crítico.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília, 1998, p. 43-51. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.pdf. Acesso em: 14 jul. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, 2006, p. 87-156. Disponível em:http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf. Acesso em: 14 jul. 2013.

BRASIL. Resolução CNE/CEB 7/2010. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de dezembro de 2010, Seção 1, p. 34.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018, p. 239-261. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 29 de fev. de 2020.

CERVETTI, G.; PARDALES, M.J.; DAMICO, J.S. A tale of differences: Comparing the traditions, perspectives and educational goals of critical reading and critical literacy. Reading Online, v. 4, n. 9, 2001. Disponível em: http://www.readingonline.org/articles/art_index.asp?HREF=/articles/cervetti/index.htm. Acesso em: 4 mar. 2013.

COLOMBO, C. S.; CONSOLO, D. A. O ensino de inglês como língua estrangeira para crianças no Brasil: cenários e reflexões. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2016.

EDMUNDO, E. S. G. O ensino de LI na Educação Básica: visões contemporâneas. In: ______. Letramento crítico no ensino de inglês na escola pública - planos e práticas nas tramas da pesquisa. Campinas: Pontes, 2013, p. 43-77.

GEE, J. P. Orality and Literacy: From The Savage Mind to Ways with Words Review. TESOL Quartely, v. 20, n. 4, p. 719-746, 1986.

GIMENEZ, T. A ausência de políticas para o ensino da língua inglesa nos anos iniciais de escolarização no Brasil. In: NICOLAIDES, C. S. et al. (Org.). Política e Políticas Linguísticas. Campinas: Pontes Editores, 2013, p. 199-218.

GIMENEZ, T. Aproximando a Linguística Aplicada Crítica da sala de aula. In: JESUS, D.; ZOLIN-VESZ, F.; CARBONIERI, D. (Orgs.). Perspectivas críticas no ensino de línguas: novos sentidos para a escola. Campinas: Pontes, 2017, p. 45-54.

NICOLAIDES, C. S.; TILIO, R. O material didático na promoção da aprendizagem autônoma de línguas por meio do letramento crítico. In: SZUNDY, P. T. C. et al. (Org.). Linguística Aplicada e Sociedade: Ensino e Aprendizagem de Línguas no Contexto Brasileiro. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 175-196.

PENNYCOOK, A. Critical Applied linguistics. In: DAVIES, A.; ELDER, C. (Eds.). The Handbook of Applied Linguistics. Oxford: Blackwell Publishing, 2004, p. 784-807.

PENNYCOOK, A. Uma Linguística Aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 67-84.

ROCHA, C. H. Provisões para ensinar LE no ensino fundamental de 1 a 4 séries: dos parâmetros oficiais objetivos dos agentes. 2006. 340 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) - Instituto de Estudos da Linguagem: Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

ROCHA, C. H. Reflexões e Propostas sobre Língua Estrangeira no Ensino Fundamental I: plurilinguismo, multiletramentos e transculturalidade. Campinas: Pontes Editores, 2012.

RUBBO, G. F. S. Por que Aprendemos Línguas Estrangeiras? com a palavra, as crianças. 2016. 176 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Setor de Educação: Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2016.

SANTOS, I. S.S. Presença de LE na sociedade e em contexto de ensino regular público. In: ROCHA, C. H.; TONELLI, J. R. A.; SILVA, K. A. (Orgs). Língua Estrangeira para Crianças: Ensino-Aprendizagem e Formação Docente. Campinas: Pontes Editores, 2010, p. 149-184.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Subsecretaria de Ensino. Coordenadoria de Educação. Currículo Carioca 2020 - Língua Inglesa. Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/leia/publicacoes/material-did%C3%A1tico/15476-curr%C3%ADculo-carioca-2020. Acesso em: 29 fev. 2020.

TILIO, R. Repensando a abordagem comunicativa: multiletramentos em uma abordagem consciente e conscientizadora. In: ROCHA, C. H.; MACIEL, R. (Orgs.). Língua estrangeira e formação cidadã: por entre discursos e práticas. Campinas: Pontes, 2013. p. 51-67.

TILIO, R. O livro didático no ensino de línguas: caracterização do objeto, função e critérios de escolha. In: BARROS, A. L. E. C.; TENO, N. A. C.; ARAUJO, S. D. (Orgs.) Manifestações: ensaios críticos de língua e literatura. Curitiba: Appris, 2016. p. 215-237.

TILIO, R. The contemporary coursebook: introducing a new proposal. In: TILIO, R.; FERREIRA, A. de J. (Orgs.). Innovations and challenges in language teaching and materials development. Campinas: Pontes, 2017a. p. 59-92.

TILIO, R. Ensino crítico de língua: afinal, o que é ensinar criticamente? In: JESUS, D.; ZOLIN-VESZ, F.; CARBONIERI, D. (Orgs.). Perspectivas críticas no ensino de línguas: novos sentidos para a escola. Campinas: Pontes, 2017b, p. 19-31.

TILIO, R. Uma pedagogia de letramento sociointeracional crítico como proposta para o ensino de línguas na contemporaneidade por meio de uma abordagem temática. In: FINARDI, K; SCHERRE, M.; VIDON, L. (Org.). Língua, discurso e política: desafios contemporâneos. Campinas: Pontes, 2019, p. 187-210.

URZÊDA-FREITAS, M. T.; PESSOA, R. R. Rupturas e continuidades na Linguística Aplicada Crítica: uma abordagem historiográfica. Calidoscópio. v. 10, n. 2, 2012, p. 225-238. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/issue/view/291. Acesso em: 12 out. 2019.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v14i36.11750

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.