Representações de professores de língua inglesa por uma perspectiva racializada: o ideal do falante nativo e identidades docentes

Layenne Humberto de Oliveira

Resumo


Concebendo o ensino de língua inglesa como uma prática racializada (PENNYCOOK, 1998; KUBOTA, 2019) e as identidades docentes como múltiplas e complexas (VARGHESE et al, 2005), o objetivo deste artigo é compreender as possíveis interfaces entre as representações acerca dos falantes nativos de língua inglesa e a construção das identidades docentes de professores negros e negras de língua inglesa. As análises de excertos de narrativas de professoras negras apontaram que os falantes nativos de língua inglesa estão representados na sociedade como pessoas brancas oriundas de países do norte global (KUBOTA; LIN, 2006; ANYA, 2018) e que tais representações perpassam os processos de ensino e aprendizagem, influenciando currículos acadêmicos (CARVALHO, 2006), modelos educacionais e materiais didáticos adotados (KALVA; FERREIRA, 2013; JORGE, 2014). O estudo também mostrou que as professoras negociam suas identidades docentes por meio de processos comparativos visando apagar características racializadas como o sotaque. Além disso, devido ao contingente ainda limitado de pessoas negras nos ambientes acadêmicos (NASCIMENTO, 2019), as professoras encontram dificuldades para construir identificação com os colegas de profissão e também com a língua inglesa.


Palavras-chave


Representações. Raça. Identidade docente.

Texto completo:

PDF

Referências


AMIN, N. Nativism, the native speaker construct, and minority immigrant women teachers of English as a second language. CATESOL Journal, v. 13, n. 1, p. 89-107, 2001.

AMIN, N. Race and the identity of the nonnative ESL teacher. TESOL Quarterly, v. 31, n. 3, p. 580-583, 1997.

ANEJA, G. Disinventing and reconstituting native speaker ideologies through the classroom experiences of international TESOL students. Working Papers in Educational Linguistics (WPEL), v. 29, n. 1, p. 23-39, 2014.

ANYA, U. Race and ethnicity in teacher education. In: LIONTAS, J. I. (Ed.). THE TESOL Encyclopedia of English Language Teaching. New Jersey: John Wiley & Sons, p. 1-7, 2018.

ARAUJO, J. M; FERREIRA, A. J. Identidade sociais de gênero: mulheres nativas e não nativas em livros didáticos de inglês na visão de professores e professoras. Travessias, v. 12, n. 4, p. 36-54. 2018

AZEVEDO, A. S. Reconstruindo identidades discursivas de raça na sala de aula de Língua Estrangeira. 2010. 185 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) –Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BARCELOS, A. M. F. Identities as emotioning and believing. In: BARKHUIZEN, G. (Ed.). Reflections on language teacher identity research. New York: Routledge, v. 1. p. 145-150, 2017

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BHATTACHARYA, U.; JIANG, L.; CANAGARAJAH, S. Race, representation, and diversity in the American Association for Applied Linguistics. Applied Linguistics, p. 1-7, 2019.

BENTO, M. A. S. Branqueamento e branquitude no Brasil. In: CARONE, I., BENTO, M. A. S. (Org.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis: Vozes, p. 5-58, 2002.

BERGER, K. Reflecting on Native Speaker Privilege. CATESOL Journal, v. 26, n.1, p. 37-49, 2014.

BEZERRA, I. C. R. M.; NASCIMENTO, A. B. C.; FERREIRA, W. S. Um livro didático de inglês e a representação de pessoas negras: desenhando uma abordagem de ensino-aprendizagem crítica. A Cor das Letras, v. 18, n. 4, p. 221-240, 2018. Número especial.

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em ciências sociais. Em Tese, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 68-80, jan. 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/18027/16976. Acesso em: 15 mar. 2019.

BRIGHT, D. Native English-speaking teachers in Vietnam: Professional identities and discourses of colonialism. TESOL in Context: Journal of ACTA, 2012.

CAMPOS, A. G. Entre discursos e mitos: a construção da identidade da professora de inglês não nativa no discurso midiático. Revista Interfaces, v. 7, n. 1, p. 61-69, 2016.

CAMPOS, C. J. G. Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista brasileira de enfermagem, Brasília, v. 57, n. 5, p. 611-614, out. 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672004000500019. Acesso em: 27 set. 2019.

CARVALHO, J. J. O confinamento racial do mundo acadêmico brasileiro. Revista USP, n. 68, p. 88-103, 2006.

Charles, Q. D. Black teachers of English in South Korea: Constructing identities as a native English speaker and English language teaching professional. TESOL Journal, v. 10, issue 4., p. 1-16, 2019

CORACINI, M. J. Representações de professor: entre o passado e o presente. Reflexão e Ação, v. 23, n. 1, p. 132-161, 2015.

CRENSHAW, K. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, jan. 2002.

Cruz, E. S. Eu era a única professora negra na escola de inglês: histórias de vida de professoras negras de Imperatriz-MA. ANTARES: Letras e Humanidades, 5(10), 59-75, 2014.

DE COSTA, P. I.; NORTON, B. Introduction: identity, transdisciplinarity, and the good language teacher. The Modern Language Journal, v. 101, n. S1, p. 3-14, 2017.

DENARDI, D. A. C.; GIL, G. How do I see myself? What do I want to become? A study on English as an additional language teachers’ identity reconstruction. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 54, n. 1, p. 137-160, jun. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0103-18134436145881. Acesso em: 18 out. 2019.

FAEZ, F. Linguistic identities and experiences of generation 1.5 teacher candidates: Race matters. TESL Canada Journal, p. 124-124, 2012.

FAN, F; DE JONG, E. J. Exploring professional identities of nonnative-English-speaking teachers in the United States: A narrative case study. TESOL Journal, v. 10, n. 4, p. e495, 2019.

FERREIRA, A. J. Social identities of black females in English textbooks used in Brazil and Cameroon: intersecctionalities of race, gender, social class and critical racial literacy. Revista X, [S.l.], v. 14, n. 4, p. 20-40, set. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v14i4.66191. Acesso em: 10 nov. 2019.

FERREIRA, A. J. What has race/ethnicity got to do with EFL teaching? Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 10, n. 1, p. 211-233, 2007.

GAMERO, R.; CRISTÓVÃO, V. L. L. A construção de identidade profissional no estágio de regência de inglês. Revista Eletrônica do Pro-Docência, v. 1, n. 3, p. 80-92, jan.-jun. 2013.

GARCIA, M. M. A.; HYPOLITO, A.; VIEIRA, J. S. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 45-56, jan.-abr. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n1/a04v31n1.pdf. Acesso em: 5 jan. 2019.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GONÇALVES, R. A invisibilidade das mulheres negras no ensino superior. Poiésis, v. 12, n. 22, 2018.

JONES, S. Untold narratives: the experiences of black teachers in predominantly white schools. 2016. 270 p. Thesis (Doctorate in Education) – Ohio University, 2016.

JORGE, M. Livros didáticos de línguas estrangeiras: construindo identidades positivas. In: FERREIRA, A. J. (Org.). As políticas de livros didáticos e identidades sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em livros didáticos. Campinas: Pontes, p. 73-90, 2014.

KABEL, A. Native-speakerism, stereotyping and the collusion of applied linguistics. System, v. 37, n. 1, p. 12-22, 2009.

KALVA, J. M.; FERREIRA, A. J. Aprende-se melhor estudando com nativos? Ensino de inglês como língua franca. Intersecções, Jundiaí, v. 6, n. 11, p. 92-110, 2013.

KOHLI, R. Critical race reflections: valuing the experiences of teachers of color in teacher education. Race Ethnicity and Education, v. 12, n. 2, p. 235-251, 2009.

KUBOTA, R. Confronting epistemological racism, decolonizing scholarly knowledge: race and gender in applied linguistics. Applied Linguistics, p. 1-22, 2019. Disponível em: https://academic.oup.com/applij/advance-article/doi/10.1093/applin/amz033/5519375. Acesso em: 9 set. 2019.

KUBOTA, R. Race and language learning in multicultural Canada: towards critical antiracism. Journal of Multilingual and Multicultural Development, n. 36, n. 1, p. 3-12, 2014.

KUBOTA, R.; LIN, A. Race and TESOL: concepts, research, and future directions. TESOL Quarterly, n. 40, n. 3, p. 471-493, 2006.

LEE, E.; SIMON‐MAEDA, A. Racialized research identities in ESL/EFL research. TESOL Quarterly, v. 40, n. 3, p. 573-594, 2006.

LIMA, F.S; CÂNDIDO-RIBEIRO, D. Crenças de alunos de escola privada sobre aprendizagem da língua inglesa. Cadernos do IL, (48), p.062-081, 2014.

LIN, A.; GRANT, R.; KUBOTA, R.; MOTHA, S.; SACHS, G. T.; VANDRICK, S.; WONG, S. Women faculty of color in TESOL: Theorizing our lived experiences. TESOL Quarterly, v. 38, n. 3, p. 487-504, 2004.

LLURDA, E. Non-native-speaker teachers and English as an International Language. International Journal of Applied Linguistics, v. 14, n. 3, p. 314-323, 2004.

MACKIE, A. Race and desire: Toward critical literacies for ESL. TESL Canada Journal, p. 23-37, 2003.

MARIOSA, G.; MAYORGA, C. Mulheres de tabuleiro/Mulheres de terreiro: trajetórias de mulheres negras. Revista Escrita da História, v. 5, n. 9, p. 101-121, jan.-jun. 2018.

MATTOS, A. M. A. Educating Language Teachers for Social Justice Teaching. Interfaces. Brasil/Canadá, Canoas, v. 14, n. 2, p. 125-151, 2014.

MATTOS, A. M. A.; JUCÁ, L.; JORGE, M. L. S. Formação crítica de professores: por um ensino de línguas socialmente responsável. Pensares em Revista, São Gonçalo-RJ, n. 15, p. 64-91, 2019 Disponível em: https://doi.org/10.12957/pr.2019.38666. Acesso em: 16 out. 2019.

MEIRINHOS, M.; OSÓRIO, A. O estudo de caso como estratégia de investigação em educação. Revista EduSer, v. 2, n. 2, p. 49-65, 2010.

MORAES, R. H. Nos meandros do processo de formação da identidade profissional de professoras e professores negros. 2006. 217 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006.

MOREIRA, N. L. M Mulheres negras professoras: das barreiras raciais a ascensão social. In: Encontro de Pesquisa em Educação e Congresso Internacional de Trabalho docente e Processos Educativos, 2013, Uberaba. Anais... p. 152-161, 2013. Disponível em: http://www.revistas.uniube.br/index.php/anais/article/view/747/1044. Acesso em: 15 set. 2019.

NASCIMENTO, G. Racism in English language teaching? Autobiographical narratives of black English language teachers in Brazil. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 19, n. 4, p. 959-984, dez. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-6398201914813. Acesso em: 17 dez. 2019.

NUNAN, D. Research methods in language learning. New York: Cambridge University Press, 1992.

OLIVEIRA, L. H. (Des)construindo identidades: narrativas de professoras negras de língua inglesa. 2020. 147f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

OLIVEIRA, L. H. Performatividade, ensino de língua inglesa e raça: professoras de inglês negras e identidade profissional. Revista Inventário (online), Salvador, v.2, n. 23, p. 241-258, 2019.

PASSOS, J. C. As relações étnico-raciais nas licenciaturas: o que dizem os currículos anunciados. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.l.], v. 8, n. 13, p. 172-188, jun. 2014. ISSN 2179-2534. Disponível em: < http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/2254 >. Acesso em: 01 fev. 2020.

PENNYCOOK, A. English and the cultural constructs of colonialism. In: ____________. English and the discourses of Colonialism. London: Routledge, p. 1-32, 1998.

PEROTONI, C. Relação entre professoras negras e brancas no interior do sistema educacional em Lucas do Rio Verde-MT. 2016. 112 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, Cuiabá, 2016.

PESSOA, R. R. A critical approach to the teaching of English: pedagogical and identity engagement. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 353-372, jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982014000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em:19 set. 2019.

RIVERS, D. J.; ROSS, A. S. Idealized English teachers: The implicit influence of race in Japan. Journal of Language, Identity & Education, v. 12, n. 5, p. 321-339, 2013.

SILVA, P. A. Reflections on race and racism in the classroom: a survey of two teachers of English black. 2009. 164 f. Dissertação (Mestrado em Linguística, Letras e Artes) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2009.

SILVA, T. T. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. (Org.); HALL, S.; WOODWARD, K. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 8. ed. Petrópolis: Vozes, p. 73-102, 2008.

SLEETER, C. E. Critical race theory and the whiteness of teacher education. Urban Education, v. 52, n. 2, p. 155-169, 2017.

STEMLER, S. An overview of content analysis. Practical Assessment, Research & Evaluation, v. 7, n. 17, 2001.

TALMY, S. Qualitative interviews in applied linguistics: from research instrument to social practice. Annual Review of Applied Linguistics, n. 30, p. 128-148, 2010. DOI 10.1017/S0267190510000085

TAYLOR, L. Wrestling with race: The implications of integrative antiracism education for immigrant ESL youth. Tesol Quarterly, v. 40, n. 3, p. 519-544, 2006.

TELLES, J. A. Reflexão e identidade profissional do professor de LE: que histórias contam os futuros professores?. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, p. 57-83, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-3982004000200004&lng=e n&nrm=iso. Acesso em: 13 maio 2019.

TURNER, C. S. V. Women of color in academe: living with multiple marginality. The Journal of Higher Education, v. 73, n. 1, p. 74-93, 2002.

VARGHESE, M., MORGAN, B., JOHNSTON, B., JOHNSON, K. A. Theorizing language teacher identity: three perspectives and beyond. Journal of Language, Identity & Education, v. 4, n. 1, p. 21-44, Jan. 2005.

WINDLE, J. Social identity and language ideology: challenging hegemonic visions of English in Brazil. Gragoatá, Niterói, v. 22, p. 370-392, 2017.

WINDLE, J. A.; MUNIZ, K. Constructions of race in Brazil: resistance and resignification in teacher education. International Studies in Sociology of Education, v. 27, n. 2-3, p. 307-323, 2018.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZHANG, Y.; WILDEMUTH, B. M. Unstructured interviews. In: WILDEMUTH, B. (Ed.). Applications of social research methods to questions in information and library science. Westport, CT: Libraries Unlimited, p. 222-231, 2009.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v14i36.11685

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.