Políticas educacionais para a Educação Básica em região de fronteira

A Concepção dos Planos de Educação (2014-2024)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/eduf.v13i00.17584

Palavras-chave:

Educação, Fronteira, Políticas Públicas

Resumo

O presente artigo tem por objetivo principal analisar os planos de educação sancionados válidos para a década de 2014 a 2024, desde o nacional até chegar à realidade municipal, buscando compreender de que forma os mesmos se posicionam quando se fala da especificidade em região de fronteira. A metodologia escolhida foi de caráter qualitativo, partindo para análise documental e bibliográfica, possuindo como foco os Planos de Educação, buscando responder ao questionamento “qual a necessidade de políticas públicas educacionais específicas para a etapa da educação básica em região de fronteira?”. O artigo dividiu-se em três seções, salvo a introdução e conclusão, a primeira discorre sobre políticas públicas educacionais que se desenvolveram com o tempo e qual sua importância. Já a segunda seção realiza uma análise do Plano Nacional de Educação e do Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul. Por fim, na terceira seção, faz-se uma análise do Plano Municipal de Educação de Ponta Porã (MS). Como resultado, foi possível observar que políticas públicas são essenciais para que ações ocorram no cenário educacional, e, que regiões fronteiriças necessitam de maior atenção e desenvolvimento de programas específicos que contemplem suas especificidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lucinéia Marques Correa Bueno, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Pedagoga, Mestre em Educação e Doutoranda em Educação pela UFGD. Professora Assistente da UFMS/Campus de Ponta Porã.

Gabriela Pereira dos Santos, Escola Municipal Prof.a Zaira Portela em Ponta Porã

Egressa do Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/Campus de Ponta Porã. Professora efetiva da Educação Básica na Escola Municipal Prof.a Zaira Portela em Ponta Porã.

Referências

ANASTÁCIO, L. M. C.; JUNIOR, O. M. Educação e Fronteira: Possibilidades e desafios a partir da experiência do PEIF em Ponta Porã (BR) e Pedro Juan Caballero (PY). Revista Pedagógica, [S. l.], v. 22, p. 1–20, 2020. DOI: 10.22196/rp.v22i0.4353. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/4353. Acesso em: 15 jul. 2023.

BASSO, I. S. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos CEDES, Campinas, São Paulo, v. 19, n. 44, p. 19–32,1998. DOI: 10.1590/S0101-32621998000100003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/Sc7BRSNfgRFsvLMyYTP9Fzf/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

BATTISTUS, C. T.; LIMBERGER, C.; CASTANHA, A. P. Estado militar e as reformas educacionais. Educere et Educare, [S. l.], v. 1, n. 1, p. p. 227–232, 2000. DOI: 10.17648/educare.v1i1.1038. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/1038. Acesso em: 13 mar. 2024.

BITTAR, M.; BITTAR, M. História da educação no Brasil: a escola pública no processo de democratização da sociedade. Acta Scientiarum, Education, Maringá, v. 34, n. 2, p. 157-168, 2012. DOI: 10.4025/actascieduc.v34i2.17497. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/17497. Acesso em: 15 jul. 2023.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: Brasília, DF, seção 1, p. 27833, 1996.

BRASIL. Lei n.º 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, seção 1, p. 1, 2001.

BRASIL. Emenda constitucional n.º 59, de 11 de novembro de 2009. Acrescenta § 3º ao art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para reduzir, anualmente, a partir do exercício de 2009, o percentual da Desvinculação das Receitas da União incidente sobre os recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino de que trata o art. 212 da Constituição Federal, dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos e ampliar a abrangência dos programas suplementares para todas as etapas da educação básica, e dá nova redação ao § 4º do art. 211 e ao § 3º do art. 212 e ao caput do art. 214, com a inserção neste dispositivo de inciso VI. Diário Oficial da União: Brasília, DF, seção 1, p. 8, 2009.

BRASIL. Lei n.º 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, seção 1, p. 1, 2014.

BUENO, M. L. M. C.; SOUZA, K. R. Programa Escolas Interculturais de Fronteira e a realidade Brasil/Paraguai: uma política de integração regional para a fronteira. Jornal de Políticas Educacionais, [S. l.], v. 15, n. 07, 2021. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/jpe/article/view/74213. Acesso em: 15 jul. 2023.

CANDAU, V. M. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2.ed., Petrópolis: Vozes, 2008

CURY, C. R. J. A educação básica como direito. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, p. 293-303, 2008. DOI: 10.1590/S0100-15742008000200002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/QBBB9RrmKBx7MngxzBfWgcF/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: Tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, 1995. DOI: 10.1590/S0034-75901995000300004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rae/a/ZX4cTGrqYfVhr7LvVyDBgdb/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Municípios da faixa de fronteira, 2020 e 2022. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/estrutura-territorial/24073-municipios-da-faixa-de-fronteira.html. Acesso em: 15 jul. 2023.

JÚNIOR, A. F.; BITTAR, M. Educação e ideologia na ditadura militar. Cad. Cedes, Campinas, v. 28, n. 76, p. 333-355, 2008. DOI: 10.1590/S0101-32622008000300004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/Y59LVTRh6zQ8WCyXYkkRGQt/. Acesso em: 15 jul. 2023.

LORENZETTI, A.; TORQUATO, C. P. O programa escolas interculturais de fronteira (PEIF) como política linguística. Matraga, Rio de Janeiro, v. 23, n. 38, 2016. DOI: 10.12957/matraga.2016.20785. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/matraga/article/view/20785. Acesso em: 15 jul. 2023.

MATO GROSSO DO SUL. Plano Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (PEE). 2014. Disponível em: https://www.sed.ms.gov.br/plano-estadual-de-educacao/. Acesso em: 15 jul. 2023.

MENEGATTI, E. Mercosul Educacional: Análise da gestão educacional na promoção da integração regional. Dissertação (Pós-Graduação em Educação) - Universidade Federal da Fronteira Sul, Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), Chapecó, SC, 2016.

MILITÃO, S. C. N.; ARANDA, M. A. M. Dos primórdios à (quase) universalização dos planos de educação no Brasil: Avanços e desafios no cenário contemporâneo. Textura. v. 21, n. 48, p. 54-71, 2019. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/Dos-prim%C3%B3rdios-%C3%A0-(quase)-universaliza%C3%A7%C3%A3o-dos-planos-Milit%C3%A3o-Aranda/aa4c5955a9a2641a8ae1696e79c840b11dfc41bb. Acesso em: 15 jul. 2023.

OLIVEIRA, J. D. O.; RIBEIRO, S. V. Desafios encontrados pelos professores no processo de alfabetização de alunos paraguaios em escolas brasileiras da região de fronteira. Revista Magsul de Educação da Fronteira, Faculdades Magsul, v.1, n. 1, p. 34-40, 2016.

PEREIRA, J. H. V. Educação na fronteira: o caso de Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (PY). Papéis - revista do programa de pós-graduação em estudos de linguagens, Campo Grande, v. 18, n. 36, p. 93-106, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/papeis/article/view/3015. Acesso em: 15 jul. 2023.

PONTA PORÃ. Plano Municipal de Educação de Ponta Porã (PME). 2015. Disponível em: https://server2.pontapora.ms.gov.br/diarios-2006a2020/2554.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

QUEIROZ, A. M. P. F. A emenda constitucional n.º 59/2009: caráter social, fundamental e pétreo do direito à educação, efetivação do direito à educação e fortalecimento mediato de valores constitucionais. Revista da escola superior da magistratura do estado do Ceará, 2011.

SANTANA, M. L. S. Práticas pedagógicas na região de fronteira: um olhar a partir de escolas de Ponta Porã. Educação, Santa Maria, v. 43, n. 1, p. 75-88, 2018. DOI: 10.5902/1984644423299. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/23299. Acesso em: 15 jul. 2023.

SANTOS, K. S. Políticas públicas educacionais no Brasil: Tecendo fios. 2011. Disponível em:https://anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/trabalhosCompletos/comunicacoesRelatos/0271.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, [S. l.], v. 14, n. 40, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/45rkkPghMMjMv3DBX3mTBHm/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, [S. l.], v. 1, n. 1, 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351. Acesso em: 15 jul. 2023.

SCHERMA, Márcio Augusto. Cidades-gêmeas e integração: o caso de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. Anais do II Simpósio Internacional Pensar e Repensar a América Latina, 2018. Disponível em: https://www.hu.usp.br/wp-content/uploads/sites/35/2016/12/Marcio_Scherma_II-Simposio-Internacional-Pensar-e-Repensar-a-America-Latina.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

SIQUEIRA, V. A. S. S.; DAVID, A. A concepção de avaliação educacional sobre a educação básica expressa nos documentos oficiais: A LDB/9.394/96, O PNE (2001) e o PDE (2007). III Congresso Internacional de Avaliação e VIII Congresso Internacional de Educação,.2013.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, 2000. DOI: 10.1590/S1413-24782000000200005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/HsQ3sYP3nM8mSGSqVy8zLgS/?format=pdf&lang=pt> Acesso em: 13 mar. 2024.

VALENTE, I.; ROMANO, R. PNE: Plano Nacional de Educação ou carta de intenção?. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 96–107, 2002. DOI: 10.1590/S0101-73302002008000007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/bQ4bLxjqWQ6y8PBWPZD9pwk/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

Publicado

2023-12-22

Como Citar

BUENO, Mara Lucinéia Marques Correa; SANTOS, Gabriela Pereira dos. Políticas educacionais para a Educação Básica em região de fronteira: A Concepção dos Planos de Educação (2014-2024). Educação e Fronteiras, Dourados, v. 13, n. 00, p. e023020, 2023. DOI: 10.30612/eduf.v13i00.17584. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/educacao/article/view/17584. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua