A trama e a urdidura: percursos para o letramento literário

Alice Atsuko Matsuda, Maria de Lourdes Rossi Remenche

Resumo


O processo de letramento literário constitui-se em prática privilegiada de inserção no mundo da escrita, pois explora a palavra por ela mesma em um processo interativo que se constrói e reconstrói continuamente. Nessa perspectiva, a formação do leitor literário requer uma prática pedagógica de leitura mediada, sistematizada e planejada. Neste artigo, temos por objetivo fazer uma retomada de percursos metodológicos para o processo de ensino-aprendizagem da leitura em sala de aula, assim como partilhar uma proposta de trabalho possível para tornar a aula de Língua Portuguesa um espaço-tempo de vivência de leitura literária. Dessa forma, apresentaremos uma sequência didática para o ensino de literatura para alunos do 6º ano do Ensino Fundamental, que explora o tema da relação do jovem com o idoso. Essa proposta didática toma por pressuposto teórico o Método Recepcional, organizado por Bordini e Aguiar (1993), e a Sequência Básica, de Cosson (2006). Nota-se uma postura mais crítica dos alunos a cada etapa de leitura desenvolvida.

Palavras-chave


Letramento literário. Práticas de leitura. Metodologias de ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail (Volochinov). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2004.

BORDINI, Maria da Glória; AGUIAR, Vera Teixeira. Literatura: a formação do leitor: alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução Reginaldo de Moraes. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo; Edunesp, 1998.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2006.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

FOUCAMBERT, Jean. A leitura em questão. Tradução B. C. Magne. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

FOX, Mem. Guilherme Augusto Araújo Fernandes. Tradução de Gilda de Aquino e ilustração de Julie Vivas. São Paulo: Brinque-Book, 1996.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 1985.

GERALDI, J. W. (Org.). O texto em sala de aula. 2. ed. São Paulo: Ática, 1999.

JAUSS, Hans Robert. A História da Literatura como provocação à Teoria Literária. São Paulo: Ática, 1994.

KLEIMAN, Ângela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 9. ed. Campinas: Pontes, 2004.

KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura - teoria e prática. 14. ed. Campinas: Pontes, 2012.

LEAL, Leiva de Figueiredo Viana. Leitura e formação de professores. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani. (Orgs.). A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 263-268.

MACHADO, Ana Maria. Bisa Bia, Bisa Bel. São Paulo: Salamandra, 1999.

NUNES, Sandra R. Sobre livros, leituras e literatura. FACOM. São Paulo, n. 19, 1º sem, 2008, p. 52-56.

PAULINO, Graça; COSSON, Rildo. Letramento literário: para viver a literatura dentro e fora da escola. In: ZILBERMAN, Regina; RÖSING, Tania (Orgs.). Escola e leitura: velha crise; novas alternativas. São Paulo: Global, 2011.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos de. O olho de vidro do meu avô. São Paulo: Salamandra, 2000.

RAMOS, F. B; PANOZZO, N.; ZANOLLA, T. Práticas de leitura em sala de aula. Revista Iberoamericana de Educación. Madrid: Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI), nº 46/ fev. 2008.

ROJO, Roxane. (Org.). Escola conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

ROJO, Roxane. (Org.). Letramento escolar, oralidade e escrita em sala de aula: diferentes modalidades ou gêneros do discurso. In: SIGNORINI, I. (Org.). Investigando a relação oral/escrito e as teorias do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 2001. p. 51-74.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v12i30.9389

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.