Vozes de professores da escola básica: experiência com a iniciação científica do ensino médio

Cristiane Carvalho de Paula Brito, Marianna Ferreira Andrande, Laura Pazini de Matos Siqueira, Giovana Quites Machado Resende

Resumo


Este artigo contribui com reflexões teóricas e práticas sobre letramento científico, no âmbito da Linguística Aplicada, a partir da investigação dos resultados de um projeto de iniciação científica desenvolvido por alunas do Ensino Médio, com objetivo de: (i) delinear algumas representações de professores da educação básica sobre si mesmos e sobre os processos de ensino-aprendizagem; (ii) investigar algumas vozes evocadas por esses sujeitos ao construírem essas representações; e (iii) discutir possíveis implicações das representações para a prática docente. Com base no escopo teórico-metodológico da Análise do Discurso, de concepções bakhtinianas e dos estudos a Linguística Aplicada, apreendemos quatro vozes, nos dizeres dos participantes da pesquisa, a saber: a voz da vocação, da satisfação, da insatisfação e da responsabilidade, as quais funcionam de forma a corroborar o imaginário de completude acerca da profissão, abafando a percepção da falta.

Palavras-chave


Escola básica. Letramento científico. Representação discursiva.

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva: elementos para uma abordagem do outro no discurso. Tradução Alda Scher; Elsa M. N. Ortiz. In: Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 11-80.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução Paulo Bezerra. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BOHN, H. Linguística Aplicada e Contemporaneidade. In: FREIRE, M.; ABRAHÃO, M. H. V. e BARCELOS, A. M. F. (Orgs.). Linguística Aplicada e Contemporaneidade. Campinas: Pontes, 2005. p. 11-23.

BRITO, C. C. P. Ser professor... Vozes de professores de línguas em formação inicial. In: SANTOS, J. B. C.; GUILHERME, M F. F. (Orgs.). Estudos polifônicos em língua, literatura e ensino: laboratório de estudos polifônicos (Linguística in focus, v. 11). Edufu: Uberlândia, 2015. p. 213-230.

BRITO, C. C. P.; GUILHERME, M. F. F. Ensino de culturas estrangeiras em escolas brasileiras: um olhar sobre o discurso da mídia. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 15, n.1, p.159-180, jan./jun. 2012.

BRITO, C. C. P.; GUILHERME, M. F. F. Linguística Aplicada e Análise do Discurso: possíveis entrelaçamentos para a constituição de uma epistemologia. Cadernos Discursivos, v.1, n.1, p.17-40. 2013.

CUNHA, R. B. Alfabetização científica ou letramento científico?: interesses envolvidos nas interpretações da noção de scientific literacy. Revista Brasileira de Educação, v. 22, n. 68, p. 169-186. 2017.

DI FANTI, M. G. C. A linguagem em Bakhtin: pontos e pespontos. Revista de Estudos Linguísticos Veredas, v.7, n. 1 e n. 2, p. 95-111, jan./dez. 2003.

FIORIN, J. L. Linguagem e Ideologia. 6. ed. São Paulo: Ática, 1998.

GUILHERME, M. F. F. (2008). Competência oral-enunciativa em língua estrangeira (inglês): fronteiras e limites. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (LAEL), PUC-SP. 2008.

KLEIMAN, A. B. Os estudos de letramento e a formação do professor de língua materna. Linguagem em (Dis)curso, v. 8, n. 3, p. 487-517, 2008.

LEFFA, V. J. Aspectos políticos da formação do professor de línguas estrangeiras. In: LEFFA, Vilson J. (Org.). O professor de línguas estrangeiras; construindo a profissão. Pelotas: Educat, 2001. p. 333-355.

MELO, L. C.; BRITO, C. C. P. Literatura (d)e (des)motivação: representações sobre o “bom professor” em relatórios de estágio supervisionado. Linguagem em (Dis)curso – LemD, v. 14, n. 2, p. 355-375. 2014.

MOITA LOPES, L. P. Linguística Aplicada e vida contemporânea: problematização dos construtos que tem orientado a pesquisa. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma lingüística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 85-107.

ORLANDI, E. P. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 4. ed. Campinas: Pontes, 2004.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2005a.

ORLANDI, E. P. A Análise de Discurso em suas diferentes tradições intelectuais: o Brasil. In: INDURSKY, F.; Ferreira, M.C.L. (Orgs.). Michel Pêcheux e a análise do discurso: uma relação de nunca acabar. São Carlos: Claraluz, 2005b. p. 75-88.

PÊCHEUX, M. O Discurso: Estrutura ou Acontecimento. 3. ed. Tradução Eni Puccinelli Orlandi. Campinas: Pontes, 2002.

PÊCHEUX, M. Papel da Memória. In: ACHARD, P. et al. (Orgs.). Papel da Memória. Tradução José Horta Nunes. Campinas: Pontes, 1999. p. 49-57.

PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET. F.; HAK, T. (Orgs.). Por uma Análise Automática do Discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução Eni Orlandi. Campinas: Unicamp, 1997. p 61-151.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução Eni Puccinelli Orlandi et al. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997.

PENNYCOOK, A. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 67-84.

PIRES, V. L. Dialogismo e alteridade ou a teoria da enunciação em Bakhtin. Organon, v. 16, n. 32-33, p. 35-48. 2002.

SANTOS, J. B. C. Forma-sujeito professor & lugar discursivo formador. In: SZUNDY, P. T. C. et al (Orgs.) Linguística aplicada e sociedade: ensino e aprendizagem de línguas no contexto brasileiro. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. p. 77-93.

SERRANI-INFANTE, S. Abordagem transdisciplinar da enunciação em segunda língua. In: SIGNORINI, Inês; CAVALCANTI, Marilda. (Org.). Linguística aplicada e transdisciplinaridade. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998. p. 143-167.

SILVA, W. R. Letramento científico na formação inicial do professor. Revista Práticas de Linguagem, v. 6 especial - Escrita discente, p. 8-23. 2016.

STELLA, P. R. Palavra. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: conceitos-chave. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 177-190.

STREET, B. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v12i30.9386

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.