A banalização do insólito na modernidade líquida: uma leitura d'O ex-mágico da Taberna Minhota

Marcela de Castro Ávila Aguiar

Resumo


Este artigo propõe a investigação do fantástico na obra do contista Murilo Rubião. Constitui-se da análise do conto “O ex-mágico da Taberna Minhota” publicado no primeiro livro do autor, O ex-mágico (1947), ancorada na teoria da modernidade líquida de Zygmunt Bauman (2001). O estudo tem como perspectiva a construção da identidade na literatura à época em que o autor produziu e publicou suas narrativas ficcionais e, para tanto, busca a conexão entre essa produção literária e o contexto sócio-político brasileiro. Essa análise pretende demonstrar que a estética muriliana, mais que representar um novo modo discursivo na literatura brasileira, ilustrou aspectos da sociedade líquido-moderna, como a fluidez identitária, uma vez que esses contos retratam uma sociedade desordenada, cujas estruturas sociais são alteradas frequentemente, fazendo escapar ao sujeito um modo de se firmar como indivíduo e agente social.

Palavras-chave


Conto fantástico brasileiro. Insólito banalizado. Murilo Rubião.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Trad. Plinio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

___. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Trad. Plinio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

___. Identidade. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

___. Vida líquida. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

___. Diálogos com Zygmunt Bauman: entrevista. [25 de julho de 2011] Londres: Produção CPFL Cultura e Seminário Fronteiras do Pensamento, 2011. Entrevista concedida ao Núcleo de Pesquisa em Estudos Culturais Npec. Disponível em: . Acesso em 02/02/2018.

BESSIÈRE, I. O relato fantástico: forma mista do caso e da adivinha. FronteiraZ, São Paulo, v. 3, n. 03, set/2009. Disponível em: . Acesso em 28/02/2018.

BÍBLIA SAGRADA. Salmo 86: oração de Davi. Trad. Luís Stadelmann. 52 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

CANDIDO, Antonio. Literatura e cultura: de 1900 a 1945. In: ___. Literatura e sociedade. 9 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

___. A nova narrativa. In:___. A educação pela noite. 6 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011. p. 241-260.

CALVINO, I. Seis propostas para o novo milênio: lições americanas. Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHEVALIER, Jean. GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. 20 ed. Trad. Vera da Costa e Silva. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006. p. 77-79.

GARCÍA, F. O insólito na narrativa ficcional: a questão e os conceitos na teoria dos gêneros literários. In: ___. (Org.) A banalização do insólito: questões de gênero literário – mecanismos de construção narrativa. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2007. Disponível em: . Acesso em 13/03/2018.

______. Fantástico: a manifestação do insólito ficcional entre modo discursivo e gênero literário – literaturas comparadas de língua portuguesa em diálogo com as tradições teórica, crítica e ficcional. Anais. XII Congresso Internacional da ABRALIC, Curitiba/PR, 18 a 22 de julho de 2011. Disponível em: . Acesso em 07/03/2018.

LUCAS, Fábio. O caráter social da literatura brasileira. 2 ed. São Paulo: Quíron, 1976.

LUKÁCS. G. A teoria do romance. Trad., posfácio e notas José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades; Ed34, 2000.

PALHARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. Entrevista com Zigmunt Bauman. Tempo social. São Paulo: EdUSP, vol.16, n.1, 2004, p. 301-325. Disponível em: . Acesso em 13/03/2018.

PIGLIA, R. Formas breves. Trad. José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

RUBIÃO, M. O pirotécnico Zacarias. São Paulo: Ática, 1986.

___. Murilo Rubião: obra completa. Edição do Centenerário. Textos críticos: Jorge Schwartz e Carlos de Brito e Mello. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SARTRE, J. P. O existencialismo é um humanismo. Trad. Rita Correia Guedes. 3 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

SCHWARTZ. J. Murilo Rubião: a poética do uroboro. São Paulo: Ática, 1981.

TODOROV, T. Introdução à literatura fantástica. Trad. Maria Clara Correa Castello. São Paulo: Perspectiva, 2007.

WERNECK, H. A aventura solitária de um grande artista. 1988. Em: RUBIÃO, Murilo. O pirotécnico Zacarias e outros contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v12i29.7780

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.