Escrita e formação docente: desafios na prática de escrita na formação inicial para a docência em Língua Portuguesa

Tânia Guedes Magalhães, Andreia Rezende Garcia Reis

Resumo


Este trabalho apresenta o resultado de uma pesquisa empreendida com alunos do curso de Letras/Português da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG) que buscou analisar a compreensão dos alunos sobre a escrita de gêneros acadêmicos em disciplinas de estágio supervisionado em Língua Portuguesa, realizada no último ano do curso integral, em 2014. Consideramos que a inserção do aluno em práticas de escrita de gêneros acadêmicos é um importante processo de socialização. Como metodologia, utilizamos questionário aberto, aplicado ao final do período em que os alunos produziram seus textos, após escrita-reescrita-reflexão sobre a escrita. Os dados mostram que a) uma minoria discente está imersa em práticas de escrita acadêmica ao longo do curso de Letras; b) os alunos deparam-se ao final do curso com dificuldades de escrita ainda não detectadas ao longo da graduação; c) há maior envolvimento dos alunos na escrita de artigos e relatos quando há contexto de circulação.

Palavras-chave


Formação de professores. Gêneros textuais. Escrita.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, L. T. Uma proposta discursiva de formação docente. Revista Práticas de Linguagem. v. 1, n. 2, jul./dez. 2011. Disponível em http://www.ufjf.br/praticasdelinguagem/files/2012/02/Fale-para-o-professor-Uma-proposta-discursiva-de-forma%C3%A7%C3%A3o-docente-C%C3%B3pia.pdf Acesso em janeiro de 2016.

BEZERRA, B. G. Letramentos acadêmicos na perspectiva dos gêneros textuais. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 9, n. 4, p. 247-258, out./dez. 2012. Acesso em abril de 2014.

Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2012v9n4p247/24296

BRASIL/MEC. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental. Língua Portuguesa / Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL/MEC. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRONCKART, J. P. Atividades de linguagem, discurso e desenvlvimento humano. (organização Anna Rachel Machado; Maria de Lourdes Meirelles Matencio; tradução Anna Rachel Machado; Maria de Lourdes Meirelles Matencio (et al). Campinas-SP: Mercado de Letras, 2006.

_______. Gêneros de textos, tipos de discurso e sequências. Por uma renovação no ensino da produção escrita. Revista Letras. Santa Maria, v. 20, n. 40, p. 163-176, 2010

_______. Meio século de didática da escrita nos países francófonos: balanço e perspectivas. In: RINCK, F.; BOCH. F.; ASSIS, J.A. Letramento e formação universitária: formar para a escrita e pela escrita. Campinas- SP: Mercado de Letras, 2015.

CRISTÓVÃO, V.L.L; BORK, A. V. B.; VIEIRA, I. R. Mapeamento de grupos de pesquisa em torno de letramento (em língua materna): desdobramentos do Projeto ILEES no Brasil. LETRAS & LETRAS , v. 31, n. 3. jul./dez, 2015 Acesso em janeiro de 2016.

Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/30593/16707

FERRAREZI Jr., C. Pedagogia do silenciamento. São Paulo: Parábola, 2014

FIAD, R. S; SILVA, L. L. M. Escrita na formação docente: relatos de estágio. Acta Scientiarum. Maringá, v. 31, n. 2, p. 123-131, 2009 Acesso em janeiro de 2016.

Disponível em http://eduem.uem.br/ojs/index.php/ActaSciLangCult/article/view/3600

GARCIA-REIS, A. R.; MAGALHÃES, T. G. As experiências de escrita na formação de professores de Língua Portuguesa: uma prática no curso de Letras da UFJF. In: GARCIA-REIS, A. R.; MAGALHÃES, T. G. Letramentos e práticas de ensino. Campinas, SP: Editora Pontes, 2016.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010.

MARINHO, M. A escrita nas práticas de letramento acadêmico. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 2, p. 363-386, 2010.

MENDES, A. S.; SILVA, W. R.; GONÇALVES, A. V.; MELO, L. C. Intensificação da reflexão na escrita do professor em formação inicial: uma abordagem sistêmico-funcional. Revista Filologia e Linguística, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 509-537, jul./dez. 2015. Acesso em julho de 2016

Disponível em http://revistas.usp.br/flp/article/view/95938/111829

MOTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola editorial, 2010.

RINCK, F.; BOCH. F.; ASSIS, J.A. Apresentação. In: Letramento e formação universitária: formar para a escrita e pela escrita. Campinas-SP: Mercado de Letras, 2015.

STREET, B. Academic Literacies approaches to Genre? Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 347-361, 2010.




DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v11i27.5605

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.