A Música Ensina: Educação e Multiculturalismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14565

Palavras-chave:

Educação. Música. Multiculturalismo.

Resumo

Este texto propõe-se a demonstrar o poder educacional e lúdico da música e da arte na construção do conhecimento. Apresenta a reflexão de como as canções refletem o contexto cultural, político, social e econômico ao qual os compositores estão inseridos no momento de criação. Analisa a diversidade cultural presente nas regiões brasileiras, enfatiza como a música tradicionalista “conta” a história do Rio Grande do Sul e como estas exerceram influência no Rock Gaúcho. Mediante tal abordagem, elenca questionamentos acerca das Ciências Humanas à luz da Arte e da especificidade da linguagem musical, o que enriquece a percepção aos conceitos vinculados ao Multiculturalismo, na medida em que a dimensão musical amplia as possibilidades de aprendizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre dos Santos, Doutorando do PPG em Educação nas Ciências da UNIJUÍ / Professor Servidor da Rede de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ. Mestre em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ. Pós-graduado em Game Desing pela Universidade Positivo. Graduado em História pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI. Professor e pesquisador nas áreas de cinema, música, gamificação e novas abordagens metodológicas no Ensino de História.

Referências

BHABHA, Homi K. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). História. Ensino Médio. MEC/SEF. 1998.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 1998.

CANEN, Ana. Educação multicultural, identidade nacional e pluralidade cultural: tensões e implicações curriculares. Cadernos de Pesquisa, Rio de Janeiro, n. 102, p. 135-149, 2000.

COSTA, Oswaldo Rui da. Olhos Coloridos. In: SANDRA DE SÁ. Olhos coloridos. Rio de Janeiro: Som Livre, 1995. Faixa 9.

DARDE, Vaine. Herdeiro da Pampa Pobre. In: ENGENHEIROS DO HAWAI. Várias Variáveis. Rio de Janeiro: BMG, 1991. Faixa 2.

ESTIVALET, Felipe. Hibridações na canção Amigo Punk, da Graforréia Xilarmônica. Revista Sonora, Curitiba, v. 6, n. 11, p. 61-72, 2016.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário da Língua Portuguesa. 5. ed. Curitiba: Ed. Positivo: 2010.

FRANÇA, Francisco de Assis; MAIA, Lúcio. Manguetown. In: CHICO SCIENCE & NAÇÃO ZUMBI. Afrociberdelia. Rio de Janeiro: 1996: Chaos. Faixa 12.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1989.

GIL, Gilberto. In: GILBERTO GIL. Realce. Los Angeles: WEA, 1979. Faixa 7.

GOLIN, Tau. Identidades: questões sobre as representações socioculturais no gauchismo. Passo Fundo: Clio, Méritos, 2004.

GONÇALVES, Francisco César. Beradêro. In: CHICO CÉSAR. Aos vivos. São Paulo: Velas, 1995. Faixa 1.

GONZAGA, Luiz. In: LUIZ GONZAGA. Vou pra roça. Rio de Janeiro: Victor, 1947. Faixa 2.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

JORGE, Frank, BIRK, Marcelo. Amigo Punk. In: GRAFORRÉIA XILARMÔNICA. Coisa de Louco II. Porto Alegre: Banguela Records, 1995. Faixa 10.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2. ed, São Paulo: Editora Cortez, 2013.

MARX, K. O Capital - Livro I – crítica da economia política: O processo de produção do capital. Tradução Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

McLAREN, Peter. Multiculturalismo Crítico. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

McLAREN, Peter. Rituais na escola: em direção a uma economia política de símbolos e gestos na educação. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

MORAES, José Geraldo Vinci. História e música: canção popular e conhecimento histórico. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, n. 39, p. 203-221, 2000.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa. Currículo, diferença cultural e diálogo. Educação & Sociedade, Goiânia, n. 79, p. 15-38, 2002.

O RAPPA. Homem Amarelo. In: O RAPPA. Lado B Lado A. Rio de Janeiro: Warner Music, 1999. Faixa 9.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História do Rio Grande do Sul. 3. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1984.

SALDANHA, Elton. Eu sou do sul. In: OSVALDIR & CARLOS MAGRÃO. Osvaldir & Carlos Magrão. Porto Alegre: 1996. ACIT. Faixa 7.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 9. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 15. ed. Rio de janeiro: Record, 2008.

SILVA, Marcio Ferreira da. A Conquista da Escola: Educação escolar e movimento dos professores indígenas. In: Em aberto. Brasília, 1994. Disponível em: http://www.emaberto.inep.gov.br/ojs3/index.php/emaberto/article/view/2282. Acesso em: 31 nov. 2020.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica conceitual. SILVA, Tomas Tadeu da; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2013. p. 7-72.

TITÃS, Disneylândia. In: TITÃS. Titanomaquia. Rio de Janeiro: WEA, 1993. Faixa 3.

Downloads

Publicado

28/07/2021

Como Citar

Santos, A. dos. (2021). A Música Ensina: Educação e Multiculturalismo. Revista Interdisciplinar Em Educação E Territorialidade – RIET, 2(2), 391–408. https://doi.org/10.30612/riet.v2i2.14565