Os bebês e a Educação Infantil: concepções de pedagogas em processo de formação inicial

Débora de Barros Silveira, Adriana Mendonça Pizatto

Resumo


Esse artigo apresenta um estudo que teve como objetivo identificar as concepções de estudantes ingressantes no Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), de Dourados, Mato Grosso do Sul, sobre bebês e sua educação em espaços coletivos. A importância dessa investigação é justificada na medida em que as concepções mapeadas influenciam a maneira como se organiza as práticas pedagógicas com os bebês nas instituições de educação infantil. Participaram desse estudo treze estudantes do primeiro ano do referido curso, as quais optaram por se matricular na disciplina eletiva denominada “Conhecimentos e saberes sobre as práticas com bebês na educação infantil”. A coleta de dados foi feita mediante aplicação de um questionário e ocorreu no início do ano letivo. Conhecer as concepções das ingressantes no curso em relação ao trabalho pedagógico com bebês é importante, pois contribui para a reflexão sobre a formação inicial de professores na Universidade, possibilitando discussões que promovam o repensar de ideias que possam não ser adequadas à sua formação acadêmica.

Palavras-chave


Bebês. Educação Infantil. Formação de Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, de Maria Carmem. As especificidades da ação pedagógica com os bebês. In.: Anais do I Seminário Nacional Currículo em Movimento –Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, novembro de 2010. Disponível em: portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7154-2-2-artigo-mec-acao-pedagogica-bebes-m-carmem/file:. Acesso em: 03 jul. 2013.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Brasília –DF, MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010.

CERISARA, Ana Beatriz. Professoras de Educação Infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

DAHLBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Qualidade na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 2003.

DIDONET, Vital. Creche: a que veio... para onde vai...Em aberto. Brasília, v. 18, n. 73, 2001. p. 11-27. Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/2133/0. Acesso em: 03 de jul. 2018.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GOLDSCHMIED, Elinor; JACKSON, Sonia. Educação de 0 a 3 anos. O atendimento em creche. Tradução Marlon Xavier.2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Brinquedos e Brincadeiras na Educação Infantil. In.: Anais do I Seminário Nacional: currículo em movimento –Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, novembro de 2010. Disponível em: portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7155-2-3-brinquedos-brincadeiras-tizuko-morchida/file. Acesso em: 12 ago. 2015.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Encontros e desencontros na formação dos profissionais de educação infantil. In: MACHADO, Maria Lucia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2011. 4.ed.p. 107-115.

KRAMER, Sônia. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões. In: MACHADO, Maria Lucia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2011. 4.ed.p. 117-132.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Sobre a organização curricular da Educação Infantil: conversas com professoras a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais. Revista Zero-a-seis, v. 19, n. 35 p. 46-68, jan./jun. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5007/1980-4512.2017v19n35p46. Acesso em: 03 abr. 2018.

RICHTER, Sandra Regina; BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Os bebês interrogam o currículo: as múltiplas linguagens na creche. Revista Educação, Santa Maria, v. 35, n. 1, p. 85-96, jan./abr. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/1605/900. Acesso em: 13 mai. 2018.

TEBET, Gabriela Guarnieri Campos; ABRAMOWICZ, Anete. Creches, educação infantil e políticas públicas municipais: um olhar sobre a cidade de São Carlos-Brasil. Políticas Educativas, v. 3, n. 2, p. 25-39, 2010. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/Poled/article/view/22720. Acesso em: 03 de abr. 2018.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v9i27.12631

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.