Notas sobre os processos de constituição identitária de indígenas terenas nas redes sociais

Autores

  • Nair Cristina Carlos de Medeiros UFMS
  • Claudete Cameschi de Souza Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.30612/arredia.v7i12.8511

Palavras-chave:

Processos identitários. Povos Terenas. Análise do discurso.

Resumo

O processo  de  diáspora vivido pelo povo  Terena  e o  seu posterior reajuntamento  afetaram  o modo  de  vida  e operaram grandes mudanças na paisagem ecológica e social  desse  povo  indígena,  o  qual  se viu,  a  partir  daí,  forçado  a  buscar  novas estratégias de sobrevivência em um processo crescente de territorialização e de busca de autoafirmação nos  territórios ocupados. Devido a este processo, há um discurso corrente de estigmatização dos povos Terena que assevera que eles abandonaram suas raízes, se aculturaram e se tornaram "índios urbanos".  Neste contexto de estigmatização e de institucionalização de sentidos vários sobre o sujeito índio, nos propomos a problematizar as representações  imaginárias desses sujeitos sobre  si mesmos, através de publicações de postagens no facebook realizadas por professores indígenas destes povos. Nossa referência teórica é a Análise do Discurso de linha francesa através dos conceitos de memória, interdiscurso e formações discursivas propostos por Pecheux (2009), da formulação do conceito de formações discursivas realizada por Foucault (1986) e da problematização de noções como identidade e processos identitários propostas por Hall (2006) e Coracini (2003), além das concepções de território e  territorialidade e propostas por  Haesbart (2004). Os resultados iniciais apontam para identidades construídas a partir das relações territoriais que encenam o  funcionamento  de  diferentes  posições  sujeito,  constituídas  em  duas  formações  discursivas  que  estão relacionadas  entre  si  por  oposição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nair Cristina Carlos de Medeiros, UFMS

Doutoranda em Estudos Linguísticos

Referências

AZANHA, G. As terras indígenas Terena no Mato Grosso do Sul. Revista de Estudos e Pesquisas, FUNAI, Brasília, v.2, n.1, p.61-111, jul. 2005

CORACINI, Maria José R. F. (Org.). O desejo da teoria e a contingência da prática: discursos sobre e na sala de aula (língua materna e língua estrangeira). Campinas: Mercado de Letras, 2003.

CORACINI, Maria José R. F. (Org). O jogo discursivo na aula de leitura. Língua materna e língua estrangeira. Campinas: Pontes, 1995.

COSTA, Adriana Aparecida Vaz da; HONÓRIO, Maria Aparecida. Lugares de identificação do sujeito-índio no discurso do conhecimento: entre lugares. In: CELLI – Colóquio de estudos linguísticos e literários. 3, 2007, Maringá. Anais... Maringá, 2009, p. 1095-1103.

FOUCAULT, M. [1969]. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro, Forense niversitária, 1987.

GUERRA, Vânia M. L. O indígena de Mato Grosso do Sul: práticas identitárias e culturais. São Carlos: Pedro & João, 2010, 160 p.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multi-territorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

PECHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 4. ed. Campinas: Pontes, 2009.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. O conceito de identidade em linguística: é chegada a hora para uma reconsideração radical? In: SIGNORINI, I. (Org.). Linguagem e identidade. Campinas: Mercado de Letras, 1998. p.21-45.

VARGAS. I. A. Territorialidade e representação dos Terenas da Terra Indígena Buriti (MS) – possibilidades didáticos pedagógicos. In: SERPA, A. (Org.). Espaços culturais: vivências, imigrações e representações. Salvador: EDUFBA, 2008

VARGAS, Vera Lúcia. A dimensão sóciopolítica do território para os Terena: as aldeias no século XX e XXI. RJ: UFF, 2010. (tese de doutoramento)

Downloads

Publicado

2018-12-19

Como Citar

Medeiros, N. C. C. de, & Souza, C. C. de. (2018). Notas sobre os processos de constituição identitária de indígenas terenas nas redes sociais. ArReDia, 7(12), 33–44. https://doi.org/10.30612/arredia.v7i12.8511

Edição

Seção

Artigos