O Amor Cortês – suas origens e significados

Autores

  • José D'Assunção Barros Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Trovadores medievais. Amor Cortês. Literatura medieval.

Resumo

Entre os séculos XI e XIV – no contexto do desenvolvimento do trovadorismo medieval – o Ocidente Europeu conheceu uma nova forma de sensibilidade que logo ficaria conhecida pelo nome de Amor Cortês. A poesia trovadoresca, os romances corteses e as próprias vidas dos trovadores medievais foram os principais veículos deste novo sistema de práticas e representações. Diversas teorias têm buscado compreender a origem e o significado deste singular fenômeno medieval. O objeto deste artigo será discutir e examinar as relações entre a poesia dos trovadores medievais e o Amor Cortês, bem como as posições teóricas relacionadas com esta questão.

Biografia do Autor

José D'Assunção Barros, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), nos cursos de Graduação e Mestrado em História, e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em História Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutor em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Publicou os livros O Campo da História (Petrópolis: Vozes, 2004) e O Projeto de Pesquisa em História (Petrópolis: Vozes, 2005), Cidade e História (Petrópolis: Vozes, 2007), A Construção Social da Cor (Petrópolis: Vozes, 2009), Arte Moderna e Alteridade (Vassouras: LESC, 2008) e Nacionalismo e Modernismo: a Música Erudita Brasileira nas seis primeiras décadas do século XX (Rio de Janeiro: CBM, 2002)

Downloads

Publicado

10/11/2011

Como Citar

Barros, J. D. (2011). O Amor Cortês – suas origens e significados. Raído, 5(9), 195–216. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/979

Edição

Seção

ARTIGOS - LINGUÍSTICA E LINGUÍSTICA APLICADA