A polícia da distopia futura: Dredd e a uniformização

Autores

  • Ramiro Giroldo UFMS

DOI:

https://doi.org/10.30612/raido.v11i28.6329

Palavras-chave:

Juiz Dredd. Ficção científica. Utopia. Distopia. Violência.

Resumo

O ensaio se propõe a fazer uma leitura da personagem Juiz Dredd, conforme representada na revista em quadrinhos britânica 2000 A.D. Criada por John Wagner e Carlos Ezquerra, a personagem será discutida à luz da tradição literária distópica, a fim de colocar em maior evidência suas particularidades. Referências pontuais às duas adaptações cinematográficas das histórias da personagem auxiliarão na abordagem da relação travada entre obras de teor subversivo e a indústria cultural. O conceito de indústria cultural cunhado por Theodor W. Adorno e Max Horkheimer será abordado, portanto. Acerca das especificidades da ficção científica, proposições formuladas por Darko Suvin serão de auxílio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramiro Giroldo, UFMS

Possui graduação em Letras-Inglês pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2005), mestrado em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2008) e doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (2012). Atualmente é Professor Adjunto A da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira contemporânea, ficção científica, utopia e autoritarismo.

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de janeiro: Zahar, 1985.

BRADBURY, Ray. Fahrenheit 451. Tradução de Donaldson M. Garschagen. São Paulo: Círculo do Livro, [s.d.].

CANNON, Danny. Judge Dredd. Hollywood Pictures, 1995. 96 min. Filme.

BRANDÃO, Ignácio de Loyola. Não verás país nenhum. São Paulo: Global Editora, 1985.

ECO, Umberto. “A literatura contra o efêmero”. Folha de São Paulo. São Paulo, 18/02/2001.

EWING, Al; HIGGINS, John; HURST, Sally. “Escolha o seu natal”. Juiz Dredd Megazine Especial de Natal. São Paulo: Mythos, 2013.

_____. Seis passeios pelos bosques da ficção. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

HUXLEY, Aldous. Brave new world. New York: HarperCollins Publishers Inc., 1998.

_____. Brave new world revisited. New York: HarperCollins Publishers Inc., 2000.

MILLS, Pat; MCMAHON, Mike. “O retorno de Rico”. Juiz Dredd Megazine, n. 2. Sçao Paulo: Mytohs, 2013.

ORWELL, George. 1984. New York: New American Library, [s.d.].

SUVIN, Darko. Metamorphoses of science fiction. Bern: Peter Lang, 2016.

TRAVIS, Pete. Dredd. Reliance Entertainment, 2012. 95 min. Filme.

WAGNER, John; COLLINS, Mike; ROBINSON, Cliff. “Tempo esgotado”. Juiz Dredd Megazine, n. 3. São Paulo: Mythos, 2013.

WAGNER, John; FLINT, Henry. “Guerra total, parte 12”. Juiz Dredd Megazine, n. 4. São Paulo: Mythos, 2013.

WAGNER, John; HIGGINS, John. “Assassino geracional”. Juiz Dredd Megazine, n. 10. São Paulo: Mythos, 2014.

Downloads

Publicado

2017-12-21

Como Citar

Giroldo, R. (2017). A polícia da distopia futura: Dredd e a uniformização. Raído, 11(28), 165–177. https://doi.org/10.30612/raido.v11i28.6329

Edição

Seção

PARTE III - ENTRE A LINHA E A SUPERFÍCIE: LITERATURA E IMAGEM TÉCNICA