Tratamento lexicográfico de unidades lexicais que designam enfermidades cutâneas: uma análise comparativa

Carolina Domladovac Silva, Clotilde de Almeida Azevedo Murakawa

Resumo


O propósito deste artigo é apresentar uma análise do tratamento lexicográfico aplicado a unidades lexicais que designam enfermidades cutâneas em quatro diferentes dicionários da língua portuguesa. O olhar comparativo incide especificamente sobre os modos de organização da macro e da microestrutura de três grandes obras de referência da língua portuguesa no Brasil, que levam o nome de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, um de nossos maiores dicionaristas, além da consulta a um dicionário documental histórico do português do Brasil, ainda inédito, e a um banco de dados on-line para verificação da possível ocorrência de unidades lexicais que não foram contempladas na nomenclatura de um dos dicionários em questão. Procedeu-se a uma análise comparativa entre as definições encontradas, no intuito de comentar a tipologia estabelecida pelos teóricos estudados, além de apresentar um breve histórico da evolução no tratamento lexicográfico de tais unidades, no que tange à relevância e especialização das definições. Algumas dessas enfermidades que acometiam os brasileiros do século XVIII ainda os acometem nos dias atuais. O estudo contribui não só para o entendimento dos conceitos de macro e microestrutura, como também para uma reflexão de como devem se delimitar tais estruturas.

Palavras-chave


Tratamento lexicográfico. Definição. Enfermidade.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.