Recontextualização lexical: um estudo descritivo-comparativo do português brasileiro

Caio Santilli Oranges, Marcus Garcia, Bruna Loria Garcia

Resumo


Conforme propõe Basílio (1989), a função da língua e das unidades lexicais que a constituem é, inicialmente, a comunicação e nomeação de seres ou eventos específicos no mundo e, sendo um sistema de caráter heterogêneo, ela está intrinsicamente relacionada com a sociedade na qual ela é utilizada. Por esse motivo, as questões sociais acarretam alterações no léxico. Assim, a língua sofre constantes inovações para, a todo momento, suprir as necessidades de quem a utiliza. Tendo como base a denominação recontextualização de palavras, proposta por Borba (2003), propomos uma análise descritivo-comparativa que pretende atestar as alterações no nível lexical do seguinte grupo de unidades lexicais: nomes de profissões. A análise é composta por uma amostra de 50 unidades sendo elas caracterizadas por: serem lexias dicionarizadas do Português Brasileiro e serem nomes masculinos que indiquem profissões ou ofícios. Para fins comparativos, utilizamos dois dicionários para consultas:Novo Diccionário da Língua Portuguesa, elaborado por Cândido de Figueredo (1913); Dicionário UNESP do português contemporâneo, elaborado por Francisco da Silva Borba (2004). Sendo assim, este trabalho tem como objetivo identificar, registrar e analisar a recontextualização de um determinado grupo de unidades lexicais, contribuindo, assim, para os estudos de léxico do português brasileiro.

Palavras-chave


Recontextualização lexical. Profissões e ofícios. Século XX. Século XXI.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.