Aulas virtuais, universidades vazias e as práticas de linguagem dos estudantes de pedagogia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/raido.v16i40.16379

Palavras-chave:

Letramento acadêmico, Letramento literário, Formação de professores, Pandemia

Resumo

A pandemia impactou o processo de formação de professores de Língua Portuguesa nas licenciaturas de Pedagogia, em um contexto de aulas remotas e universidades com atividades presenciais paralisadas. Orientado pela abordagem Indisciplinar da Linguística Aplicada, o artigo objetiva investigar como práticas de linguagem podem contribuir para um possível fortalecimento de habilidades de leitura e escrita e também para o aumento do repertório literário dos estudantes de Pedagogia, a partir de aulas virtuais no contexto pandêmico. As interações nas aulas remotas virtuais e as leituras e produções discursivas de gêneros acadêmicos (síntese, resenha, perguntas de leitura subjetiva) e literários (mudando a história, memórias literárias) das estudantes são focalizadas. A pesquisa é de natureza qualitativa e de análise descritiva documental. As atividades realizadas parecem contribuir com o desenvolvimento linguístico, com as práticas de letramentos acadêmicos e literários dos estudantes com a ampliação de competências linguísticas, discursivas e sensíveis a questões sociais no âmbito da linguagem. Desvelou, entretanto, a partir de categorias analíticas, a necessidade de um trabalho formativo contínuo de leitura, escrita, reescrita, atividades contextualizadas com as vivências dos estudantes, para o possível fortalecimento de suas práticas letradas, que devem refletir no exercício futuro de sua profissão, como agentes de letramentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 345, de 19 de março de 2020. Brasília, DF, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer nº 05 do CNE, de 28 de abril de 2020. Brasília, DF, 2020.

CANDAU, J. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2011. (Coleção Linguagem e Ensino).

CANDIDO, A. A literatura e a formação do homem. In: Textos de intervenção – seleção, apresentações e notas de Vinícius Dantas. São Paulo: Duas Cidades Editora 34, 2002. (Coleção Espírito Crítico).

CAVALCANTE, M. M. Os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2013. CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Tradução Reginaldo Carmelo Corrêa de Moraes. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo / Editora UNESP, 1998.

COMPAGNON, A. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Tradução Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

CONSUNI/UFT. Conselho Universitário da UFT. Resolução Nº 28, de 08 de outubro de 2020. Palmas, TO: Universidade Federal do Tocantins, 2020. COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2014a.

COSSON, R. Círculos de leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2014b.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

KLEIMAN, Â. B. Introdução: O que é letramento? Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Â. B (org.). Os significados do letramento. São Paulo: Mercado de Letras, 2004.

IZQUIERDO, I. Memórias. Estudos avançados [online]. 1989, vol.3, n.6, pp. 89-112. ISSN 0103-4014. Disponível em: . Acesso em: 15 de janeiro de 2022.

KOCK, I. G. V. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

LAJOLO, M. Literatura: leitores e leitura. São Paulo: Moderna, 2001.

MOITA LOPES, L. P. da. A transdisciplinaridade é possível na Linguística Aplicada no Brasil. In: SIGNORINI, I.; CAVALCANTE, M. C. (orgs). Linguística Aplicada e Transdisciplinaridade: questões e perspectivas. Campinas: Mercado das Letras, 1998, p. 113-128.

MOITA LOPES, L. P. da. (org). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MOTTA-ROTH, D.; HENDGES, G. R. A produção textual na universidade. São Paulo: Parábola, 2010. (Série Estratégias de Ensino 20).

NECCHI, V. A potencialização da leitura na era do audiovisual. In: SANTOS, F. dos; NETO, J. C. M.; RÖSING, T. M. K (orgs.). Mediação de leitura: discussões e alternativas para a formação de leitores. São Paulo: Global, 2009. p. 267-279.

PENNYCOOK, A. Critical Applied Linguistics: a critical introduction. New York/ London: Routledge, 2001. PETIT, M. A arte de ler: ou como resistir à adversidade. São Paulo: Editora 34, 2009.

RICOEUR, P. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain Franções [et al.]. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

SANTOS, B. de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, B. de S., MENESES, M. P. (Orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 31-83.

SAVIANI, D.; GALVÃO, A. C. Educação na pandemia: a falácia do “ensino” remoto. Universidade e Sociedade, p. 36-49, 2021, ANDES – SN. SILVA, W. R. Formação sustentável do professor no mestrado profissional. Revista Brasileira de Educação, v. 22 n. 70, jul.-set., p. 708-731, 2017.

SILVA, W. R.; DINIZ, A. L. S. Estágio supervisionado obrigatório das licenciaturas como contexto de pesquisa da Linguística Aplicada, Trab. Ling. Aplic., Campinas, n(53.2), jul./dez., p. 333-355, 2014.

SILVA, W. R.; LIMA, P. da S.; MOREIRA, T. M. (orgs.). Gêneros na prática pedagógica: diálogos entre escolas e universidades. Campinas, SP: Pontes, 2016. SILVA, W. R.; CAMPOS, L. Empoderamento profissional de alfabetizadoras em sessões virtuais colaborativas. Revista Brasileira de Educação, (a sair 2022).

SILVA, A. M. da (coord.). Trabalho docente na Uerj em tempos de pandemia. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2022.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

STREET, B. Eventos de letramento e práticas de letramento: teoria e prática nos No vos Estudos do Letramento. In: MAGALHÃES, I. (org.). Discursos e práticas de letramento: pesquisa etnográfica e formação de professores. São Paulo: Mercado das Letras, 2012, p. 69-92.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

TFOUNI, L. V. Letramento e alfabetização. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

Downloads

Publicado

2022-09-30

Como Citar

Morais, M. R. (2022). Aulas virtuais, universidades vazias e as práticas de linguagem dos estudantes de pedagogia. Raído, 16(40), 135–160. https://doi.org/10.30612/raido.v16i40.16379

Edição

Seção

Formação de professoras de Português na Licenciatura em Pedagogia: olhares da LA