PROUNI: políticas de inclusão ou exclusão no contexto das aprendizagens ao longo da vida

Edineide Jezine Mesquita Araujo, Elourdiê Macena Corrêa

Resumo


Este artigo analisa as políticas públicas voltadas à educação superior buscando compreender o processo de inclusão/exclusão de jovens e adultos efetivado pelo Programa Universidade para Todos – Prouni. Ao refletir sobre essa temática realiza um diálogo, fundamentado pelos indicadores sociais sobre o acesso à educação formal do nível fundamental ao superior indicando que, quanto mais alto o nível formal de educação, menor o acesso de jovens e adultos das classes populares. Parte-se da premissa que as políticas públicas contemporâneas de educação superior estão voltadas para as demandas de mercado e atendem ao prenuncio dos organismos internacionais para a reforma do estado, que passa de provedor a avaliador, e de políticas voltadas às demandas excluídas da sociedade a partir de programas de inclusão para jovens e adultos historicamente excluídos. Concluí-se que as políticas públicas contemporâneas de educação superior estão voltadas para as demandas de mercado e atendem as diretrizes dos organismos internacionais, não favorecendo a efetivação de políticas de Estado voltadas às demandas internas de Jovens e Adultos historicamente excluídos.

Palavras-chave


Educação Superior; Políticas de Inclusão; Exclusão.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Tânia Bacelar. Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro:

Heranças e urgências. Co-edição: IPPUR/UFRJ-FASE. 2000.

BANCO MUNDIAL. La enseñanza superior – las lecciones derivadas de la

experiência. Washington, 1995.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. De 05 de Outubro

de 1988. 12ª. ed. São Paulo. Editora Atlas, 1998.

BRASIL. Fundamentos Políticos em EJA. Disponível em Erro! A referência

de hiperlink não é válida.. Acessado em 10/05/2010

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa

Nacional por Amostra de Domicílios. Síntese de Indicadores, 2008

BRASIL. LDBEN. Disponível em: http://gepede.sites.uol.com.br/LDBEN.html (acessado em 17/10/2009).

BRASIL. MEC/INEP. Censo de Educação Superior: 1991-2004. Brasília:

INEP, 2006.

BRASIL. PROUNI. MEC. www.prouniinscricao.mec.gov.br/ PROUNI/

Oprograma.shtm. Acessado em 10/05/2010.

CATANI, Afrânio Mendes; HEY, Ana Paula; GILIOLI, Renato de Sousa Porto.

PROUNI: democratização do acesso às Instituições de Ensino Superior?.Educ. rev., Dez 2006, no.28, p.125-140.

CEPAL. Incidência da Pobreza na América Latina – 1980 a 2006. Cepal

mostra melhoria de condições na América Latina. http://www.eclac.org/brasil/.

DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma "Cultura Educacional Mundial Comum" ou localizando uma "Agenda Globalmente Estruturada para a Educação"?. Educ. Soc. [online]. maio/ago. 2004, vol.25, no.87 [citado 21 Outubro 2004], p.423-460. Disponível na World Wide Web:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-

&lng=pt&nrm=iso ISSN 0101-7330.

FALEIROS, Vicente de Paula. A política social do Estado Capitalista. 8ª ed.

São Paulo. Cortez, 2000.

GOHN, Glória. Movimentos Sociais, Políticas Públicas e Educação. In.

JEZINE, Edineide e PINTO, Ma. De Lourdes (Orgs.). Educação e Movimentos Sociais: novos olhares. Campinas. São Paulo. Atomo & alínea, 2007.

IAMAMOTO, Marilda; CARVALHO, Raul de. Relações sociais e Serviço

Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 10ª ed. São Paulo. Cortez, 1995.

JACOBI, Pedro. Políticas Sociais e Ampliação da Cidadania. Rio de Janeiro.

FGV Editora, 2000.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.