Biografias silenciadas: um percurso semiótico do herói em Lima Barreto e Theodoro Sampaio

Cassia Vanessa Batalha, Daniela Raffo Scherer, Renan Luis Salermo

Resumo


Na tentativa de trazer à tona uma discussão acerca da contribuição dos negros na construção da identidade nacional brasileira, este trabalho analisa o percurso semiótico de duas personalidades: Lima Barreto e Theodoro Sampaio. O primeiro destacou-se na área da literatura e o segundo, na geografia. A trajetória do homem negro no Brasil foi marcada pela luta de forças, traduzida no desequilíbrio entre os sujeitos, marcada pelo discurso da intolerância e pela reprodução de preconceitos – presentes na educação escolar e cujo combate tem sido realizado por meio de políticas educacionais e legislação própria. A semiótica greimasiana serve de arcabouço teórico por meio do qual discutimos o percurso narrativo do herói negro, com vistas a desvelar sua luta e tornar visível sua identidade histórica e cultural em meio a uma história construída pelo pensamento europeizado.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Diana Luz Pessoa de. A identidade intolerante no discurso separatista. Filologia e Linguística Portuguesa, v. 9, p. 147-167, 2008.

FIORIN, José Luiz. Linguagem e ideologia. São Paulo: Ática, 2007.

GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de semiótica. São

Paulo: Ed. Contexto, 2013.

KOTHE, Flávio R. O Herói. São Paulo: Ática, 1987.

LANDOWSKI, Eric. Presenças do outro: ensaios de sociossemiótica. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2002.

MARQUES, Eugenia Portela Siqueira. Inter/multiculturalidade e formação

continuada de educadores: o protagonismo do movimento social negro por uma Pedagogia Decolonial. Série-Estudos, v. 1, p. 121-139, 2014.

MUSEU AFRO-BRASIL. Acervo História e Memória. Disponível em:

. Acesso em: 04 de abr. de 2016.

MUSEU AFRO-BRASIL. Lima Barreto. Disponível em:

www.museuafrobrasil.org.br/pesquisa/lima-barreto. Acesso em: 20 de abril de 2016.

MUSEU AFRO-BRASIL. Theodoro Sampaio. Disponível em:

www.museuafrobrasil.org.br/pesquisa/theodoro-sampaio. Acesso em: 23 de abril de 2016.

PEREIRA, Júnia Sales. Dialógos sobre o exercício da docência no contexto de recepção das Leis 10.639/03 e 11.645/08. Educação e Realidade, v. 36, p. 147 - 172, 2011.

PROPP, Vladimir. Morfologia do conto maravilhoso. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

TEIXEIRA, Lúcia. Museus on-line: novas práticas de visita. In: Linguagens na Cibercultura (Org.). TEXEIRA, Lúcia; CARMO, José Roberto Jr. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2014.

TIBEIRO, Wilson. Cenas de Candomblé. Disponível em:

https://entretenimento.uol.com.br/album/negros_pintores_album.htm#foto Nav=15. Acesso em: 1 de jun. de 2017.

YOUTUBE. Série: Conhecendo Museus – Museu Afro-Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=C_utYJ41hMM. Acesso em: 1 de jun. de 2017.




DOI: https://doi.org/10.30612/arredia.v6i10.5955



Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.