O grotesco em Shrek 2 (2004): um olhar semiótico

Luiz Antonio Xavier Dias

Resumo


A partir da base teórica pautada nos fundamentos semióticos de carnavalização e grotesco proposta por Bakhtin (1999; 1981; 2003; 1992) – neste artigo, apresentamos o resultado de pesquisa teórica que procurou investigar a noção de carnavalização do grotesco e também do riso em duas cenas enunciativas da obra cinematográfica Shrek 2 (2004). A animação da Dreamworks, teve sua inspiração na obra literária Shrek, seu maior mérito foi o de desconstruir personagens típicos como o ogro que se torna príncipe e uma princesa também  ogra, tais fatos trouxeram grande mudança para o seguimento de animações digitais. A partir da descrição das cenas e do arcabouço teórico proposto pelo teórico russo,  nosso objetivo foi de desvelar vários sentidos alicerçados no riso e no grotesco.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/arredia.v6i10.5941



Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.