O conto do magistrado de Geoffrey Chaucer: o processo de santificação na baixa idade média

Rafael Francisco Neves de Souza, Márcia Maria de Medeiros

Resumo


Geoffrey Chaucer é considerado, por muitos estudiosos do espaço literário, como o pai da literatura inglesa e do idioma em que ela é escrita. Em seu livro The Canterbury Tales (Os Contos da Cantuária), o autor faz um panorama da sociedade inglesa da baixa Idade Média e, dentre os contos que constituem o texto, está o “Conto do Magistrado” o qual pode ser considerado, por sua estrutura, uma hagiografia aos moldes da Legenda Áurea, de Jacopo de Varazze. Esse artigo foi desenvolvido tendo como objetivo principal comparar a santificação da personagem Constância, de Chaucer, com três santas presentes na hagiografia: Santa Cecília, Santa Ágata e Santa Anastásia, que são apresentadas na Legenda Áurea. Foram personagens presentes na hagiografia de Jacopo de Varazze e comparadas com a vida difícil de Constância em o “Conto do Magistrado”.

Palavras-chave


Literatura Inglesa. Legenda Áurea. Idade Média. Geoffrey Chaucer.

Texto completo:

PDF

Referências


CHAUCER, Geoffrey. The Canterbury Tales. London: Penguim Books, 2003.

DUBY, Georges. O modelo cortês. In: DUBY, Georges & PERROT, Michelle (orgs.) História das Mulheres no Ocidente, Lisboa: Afrontamento, 1990.

DUBY, Georges. Idade Média, Idade dos Homens. 3 ed, São Paulo: Cia das Letras, 1989.

VARAZZE, Jacopo de. Legenda Áurea. São Paulo: Cia das Letras, 2003






Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.