A proposta de redação do ENEM e a velha dissertação: uma relação problemática

Luciano Vidon

Resumo


O objetivo deste trabalho, com base em pesquisas de um grupo que tem se dedicado a investigar o ensino de língua portuguesa fundado na noção de gêneros do discurso, é refletir sobre esse horizonte discursivo no que diz respeito às propostas linguístico-pedagógicas de trabalho com gêneros discursivos de natureza argumentativa, tomando como material de análise o modelo atual de proposta de redação do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Os aspectos discursivos pertinentes à noção de gênero têm sido levados em consideração por esse modelo? Em que medida os fundamentos linguístico-pedagógicos dessa proposta vão de encontro aos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa, o principal documento governamental relacionado ao ensino dos últimos anos? Ao se repensar, nos últimos trinta anos, pelo menos, a prática escolar de ensino de leitura e produção de texto, a partir, principalmente, do conceito de gêneros do discurso, tem-se buscado repensar toda uma concepção de linguagem e de sujeito, presente nas escolas e na sociedade. No entanto, a despeito de mudanças importantes nesse contexto, a proposta de redação do Enem parece ainda se encontrar no limiar de uma visão objetivo-abstrata de língua e de uma visão cognitivo-idealista de sujeito da linguagem. Neste trabalho, a fim de observar essa “condição limiar” (BAKHTIN, 2009), colocamos em diálogo a Proposta de Redação do Enem, e seus fundamentos descritos no Guia de Redação do Enem (INEP, 2013), e alguns princípios presentes nos PCN de Língua Portuguesa (BRASIL, 1998). O cotejo entre esses dois discursos oficiais sobre o mesmo objeto, o texto, pode ser indiciário (GINZBURG, 1986) da relação tensa que tem se configurado, neste início do século XXI, tanto na teoria quanto na prática, entre uma perspectiva textual, de base logicista e uma perspectiva discursiva, de base dialógica.

Palavras-chave


Gêneros do discurso argumentativo. Ensino do texto. Enem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v11i25.6465

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.