Entre saudades e contaminações: o artista à procura de um olhar perdido em Mato Grosso do Sul

Marcos Antônio Bessa-Oliveira, Edgar Cézar Nolasco

Resumo


As produções artísticas e artistas de Mato Grosso do Sul, quase sempre, sofrem de uma saudade produzida pela divisão do Estado de Mato Grosso. Esses artistas e suas produções também tentam burlar uma “contaminação” artística com os Países fronteiriços Paraguai e Bolívia. Tal constatação é percebida, no caso da saudade, quando identificamos que a música, a literatura e as artes plásticas, nosso objeto principal neste trabalho, têm características que hoje são sul-mato-grossenses e que também são mato-grossenses; já no caso da contaminação percebemos que as obras produzidas por artistas que participam do discurso estatal tentam, a todo custo, negar a referência fronteiriça com os dois Países. Desse modo, nosso ensaio, pautado nos conceitos de saudade e de contaminação propostos pela crítica cultural, discutirá sobre a DissemiNação desses artistas e de suas respectivas obras, já que, segundo Homi K. Bhabha, os sujeitos são tornados objetos de uma série de narrativas sociais e literárias.

Palavras-chave


Artes. Saudade. Contaminação. Identidade Cultural.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.