Trajetórias pornográficas: a literatura luso-brasileira por meio de livros e jornais

Natanael Duarte de Azevedo, José Temístocles Ferreira Júnior

Resumo


O artigo em tela trata de romances que circularam no Brasil e em Portugal por meio da literatura considerada popular. O termo popular não é utilizado aqui no seu sentido cultural, mas de suportes como jornais e livros de brochura que traziam a literatura pornográfica como tema de seus romances. Tratar desses suportes, jornais e brochuras, nos permite resgatar uma parte da história da literatura que está esquecida pela academia. Após muitas pesquisas no acervo digital da Biblioteca Nacional de Rio de Janeiro, deparamo-nos com alguns jornais que traziam de forma explícita a pornografia em sua composição. Com a leitura dos impressos, percebemos que além do teor sexual presente, os jornais apresentavam críticas políticas. Dessa forma, observamos que a pornografia não só estava a serviço da erotização, mas mantinha uma relação direta com o contexto político-social do Brasil oitocentista. Compreender o suporte e a materialidade do objeto, de acordo com o que propõem Darnton (2010) e McKenzie (2004), leva-nos por outros caminhos que não só o da história da literatura por meio do livro, mas observar o comportamento do suporte e da materialidade nos jornal oitocentista.


Palavras-chave


Literatura luso-brasileira; Literatura pornográfica; História da literatura; Impressos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.30612/raido.v11i26.4944

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.