Silvino Jacques: o último dos bandoleiros – cartografias do eu

Maria de Lourdes Gonçalves de Ibanhes

Resumo


Este trabalho tem como objetivo principal abordar a vida e feitos do bandoleiro gaúcho sul-mato-grossense, Silvino Jacques, parte integrante das histórias que emergem do soterramento do que Foucault denominou “saber desqualificado”, para se transformar em um saber popular, posto que migra de “boca em boca”, por meio de muitas memórias, e se expande em várias representações, a exemplo do livro Silvino Jacques: O último do bandoleiros, uma metaficção historiográfica, do escritor Brígido Ibanhes. Este relato dá “conta” do particular, do local, do regional, do fronteiriço, contribuindo dessa forma para a construção da identidade da região, ou seja, “inventando” o locus de sua enunciação e recepção.

Palavras-chave


Silvino Jacques. Bandoleiro. Fronteira. Memórias.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.