Utilização de biodigestor no assentamento Itamarati: Sustentabilidade para a comunidade rural

Autores

  • Jefferson Rodrigues Gandra Docente, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Marabá, PA.
  • Cibeli de Almeida Pedrini Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Bruna da Silva Alem Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Euclides Reuter de Oliveira Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Eduardo Lucas Terra Peixoto Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Andréa Maria de Araújo Gabriel Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS
  • Murilo Matias Lima Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Hellén Felicidade Durães Mestranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Janaína Tayna Silva Doutoranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Nathálie Ferreira Neves Doutoranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Hindyra Marihellym Folador Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.
  • Rayrana Carvalho Costa Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

DOI:

https://doi.org/10.30612/realizacao.v8i16.15340

Palavras-chave:

Agricultura Familiar. Dejetos. Preservação. Subprodutos.

Resumo

O objetivo do projeto foi orientar os produtores sobre um destino e manejo adequado de resíduos, gerando energia “limpa” e auxiliando nas questões econômicas e de sustentabilidade do assentamento. O projeto de implantação do biodigestor foi realizado no Assentamento Itamarati, em Ponta-Porã, com um grupo de produtores locais, que foram contemplados com um biodigestor. Foi realizado um curso de capacitação em construção de biodigestores que ocorreu em 2019, com suporte  do convênio firmado entre a prefeitura de Ponta Porã, PROEX/UFGD conjuntamente aos projetos aprovados a UFGD, onde os produtores receberam o treinamento inicial. A adoção do sistema visa garantir o descarte adequado de resíduos, e ainda gerar biofertilizante que será utilizado na produção de hortaliças no sistema orgânico e o biogás que será destinado ao consumo do produtor assentado. O biodigestor é composto de três partes, sendo elas a caixa de carga, tanque de fermentação e caixa de descarga, e é abastecido semanalmente por meio de abastecimento manual, o mesmo foi construído com materiais de baixo custo, para proporcionar um menor tempo de retorno do investimento. São realizadas visitas a cada 30 dias por um profissional da área e após o encerramento, a avaliação será feita com base nas reuniões e avaliação dos produtores. A comunidade demonstrou satisfação com a implantação do biodigestor, o que possibilita o desenvolvimento e permanência do homem no campo, além de ser uma tecnologia viável e eficiente, trazendo benefícios ao produtor e ao meio ambiente, pela retirada de possíveis poluentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jefferson Rodrigues Gandra, Docente, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Marabá, PA.

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa (2005), mestrado em Medicina Veterinária (Nutrição e Produção Animal) pela Universidade de São Paulo (2009) e doutorado em Nutrição e Produção Animal pela Universidade de São Paulo (2012).  Atualmente é professor Adjunto do Instituto de Desenvolvimento Agrário e Regional da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará ministrando aulas para os cursos de Zootecnia , Agronomia e Medicina Veterinária. 

Cibeli de Almeida Pedrini, Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduanda de Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados.

Bruna da Silva Alem, Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduanda de Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados.

Euclides Reuter de Oliveira, Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Goiás (1990), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (1998) e doutorado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (2002). Atualmente é professor associado II - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Eduardo Lucas Terra Peixoto, Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Zootecnista (2009) e Mestre em Zootecnia (2011) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, possui especialização em Estatística Quantitava (2014) e doutor em Ciência Animal (2014) pela Universidade Estadual de Londrina. É professor Adjunto C nível III da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados MS.

Andréa Maria de Araújo Gabriel, Docente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1992), mestrado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1996) e doutorado em Biologia Animal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2000). Atualmente é professor associado da Universidade Federal da Grande Dourados. 

Murilo Matias Lima, Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduando de Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados.

Hellén Felicidade Durães, Mestranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Possui Bacharelado em Zootecnia pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, campus Janaúba (2019). Mestranda em Nutrição de ruminantes, pela Universidade Federal da Grande Dourados -UFGD (2020 - atual). Atuando nas áreas de produção de ruminantes. 

Janaína Tayna Silva, Doutoranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Campus Janaúba (2019). Mestrado em Zootecnia (Nutrição e Produção Animal) pela Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD, (2021). Atualmente Doutoranda em Zootecnia na Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD.

Nathálie Ferreira Neves, Doutoranda, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Médica Veterinária pela Universidade Federal do Pampa, Mestre e Doutoranda em Zootecnia na Universidade Federal da Grande Dourados, Bolsista CAPES (2018-2020). Técnica em Agropecuária pela Escola Técnica Estadual Cruzeiro do Sul - São Luiz Gonzaga -RS.

Hindyra Marihellym Folador, Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduanda em Zootecnia, na Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados.

Rayrana Carvalho Costa, Discente, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

Graduanda em Zootecnia, na Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Grande Dourados.

Referências

ALVES, E. S. et al. Experiências na Extensão Universitária no Assentamento Abril Vermelho – Belém, Pará. Agroecologia em foco. Editora Poisson. Belo Horizonte – MG. c. 4, v. 4, p. 31-38, 2020.

BRASIL. Lei Federal nº 4.504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília - DF, 30 nov. 1964. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4504.htm>. Acesso em: 20 julho. 2020.

CHAVES, D. C. et al. Sistemas de biodigestão: um modelo de economia e sustentabilidade para a comunidade rural. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v.7, n.3, p. 26143-26168, 2021.

HELING, C.A. et al. Território da Cidadania Cone Sul: um novo olhar sobre à agricultura familiar. Revista online de Extensão e Cultura Realização, v. 3, n. 5, 2016.

MAUAD, J.R.; MUSSURY, R.M. Centro de desenvolvimento rural do Itamarati – Relatos e vivências. In: DURÃES, H.F.; OLIVEIRA, E.R.; GABRIEL, A.M.A.; GANDRA, J.R.; NEVES, N.F.; SILVA, J.T.; MARQUES, O.F.C.; LIMA, B.M.; LIMA, M.M.; ALVES, R.T. Utilização do biodigestor no assentamento rural itamarati-ms visando o aproveitamento do biofertilizante e do biogás. Dourados: Editora gráfica Seriema, p.85-96, 2021.

MENEGAT, A.S. et al. A Extensão Universitária no Assentamento Areias, Nioaque/MS: diálogos transformando pessoas, saberes e processos de produção. Revista online de Extensão e Cultura Realização, v.6, n.12, p. 16-35, 2019.

MENEGHETI, G. Percepção socioambiental dos produtores rurais após a implantação de biodigestores. Tese de Mestrado, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Ponta Grossa, PR, 2021.

LEANDRO, J. B. Ocupações rurais não agrícolas e pluriatividade como estratégias de permanência do campo. Edição Especial – IX SINTAGRO. Revista Tekhne e Logos. Botucatu, SP, v.8, n.3, 2017.

PASQUALINI, A. A. Aplicação dos biodigestores na pecuária sustentável. Revista Faculdades do Saber. Mogi Guaçu/SP. v.5, n. 9, p. 598 - 609, 2020.

SANTOS, E. L. et al. Uma alternativa energética e ambientalmente sustentável ao agricultor familiar: dia de campo sobre biodigestores rurais. Diversitas Journal. Santana do Ipanema/AL. vol 2, n.1, p. 32-38, 2017.

OLIVEIRA, A. J. S. et al. Biodigestor Caseiro Aplicado à Produção de Biofertilizante a Partir de Biomassa Bovina. Scientia Amazonia, Revista online. v. 8, n.1, e14 - e19, 2019.

Downloads

Publicado

2021-12-17

Como Citar

Gandra, J. R., Pedrini, C. de A., Alem, B. da S., de Oliveira, E. R., Peixoto, E. L. T., Gabriel, A. M. de A., Lima, M. M., Durães, H. F., Silva, J. T., Neves, N. F., Folador, H. M., & Costa, R. C. (2021). Utilização de biodigestor no assentamento Itamarati: Sustentabilidade para a comunidade rural. RealizAção, 8(16), 21–32. https://doi.org/10.30612/realizacao.v8i16.15340

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>