A mobilização de conhecimento em situação de ensino de frações: um estudo envolvendo três professoras dos anos iniciais

Angelica da Fontoura Garcia Silva, Ruy Cesar Pietropolo, Maria Gracilene de Carvalho Pinheiro

Resumo


Neste artigo apresentamos uma discussão a respeito de parte de um questionário realizado com o objetivo de investigar os conhecimentos de professoras que lecionam Matemática para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental acerca da introdução do conceito de fração. As professoras participaram de um curso de formação vincunlado a um Projeto desenvolvido por pesquisadores em Educação Matemática no âmbito do Observatório da Educação. A coleta dos dados aqui apresentada foi realizada no início do processo e o instrumento analisado serviu de base para o planejamento e desenvolvimento da formação. À luz da Teoria do Conhecimento para o Ensino (Ball, Thames e Phelps) foram observadas evidências de que o ensino desenvolvido, pelas docentes investigadas,  sobre o tema em questão, era limitado a dois tipos de situação: parte-todo e operador. Percebeu-se também evidências de que elas não tinham consciência de tal fato, visto que em momentos posteriores afirmaram desconhecer os significados de fração propostos nas orientações curriculares. Tais informações motivaram, ao longo da formação, discussões acerca dos processos de ensino e de aprendizagem desse conceito por meio da apresentação de situações envolvendo diferentes significados.

Palavras-chave


Educação Matemática. Conhecimento Profissional Docente. Conceito de fração.

Texto completo:

PDF

Referências


BALL, D. L., , THAMES, M.H.; PHELPS, G. Content knowledge for teaching: what makes it special? In: Journal of Teacher Education, November/December 2008, vol. 59. P.403, 2008.

CAMPOS, T. M. M. Sobre o ensino e aprendizagem de frações. In: XIII Conferencia Interamericana de Educación Matemática, 2011, Recife. Anais XIII Conferencia Interamericana de Educación Matemática, 2011. Disponível em Acesso em: 25 março. 2013, às 20:02h.

CAMPOS, T. M. M.; NUNES, T.; LOBO COSTA, N. M.; CERAGIOLI, L. A Representação de Quantidades Menores do que uma Unidade. Representing Quantities Smaller than the Unit. Acta Scientiae, v. 14, n. 3, p. 363-373, 2012. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/viewFile/388/314. Acesso em: 15 dezembro. 2015, às 20:02h.

CANOVA, R. F. Crença, concepção e competência dos professores do 1º e 2º ciclos do Ensino Fundamental com relação à fração. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Pontifícia Católica de São Paulo - PUC, São Paulo, 2006.

CARAÇA, B. J. Conceitos fundamentais da Matemática – Tipografia Matemática, Lisboa,1952.

CARDOSO, P.; MAMEDE, E. Considerações sobre o Ensino-aprendizagem do Conceito de Fracção à Luz de um Estudo com Alunos do 6º ano do Ensino Básico. In: Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho, 2009. ISBN- 978-972-8746-71-1.

COSTA, F. M. Concepções e Competências de Professores Especialistas em Matemática em relação ao conceito de Fração em seus diferentes significados. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) – PUC/SP, São Paulo, 2011.

FARIA, M. Reflexão sobre o processo formativo. 2012. Entrevista concedida a M.G.C., Pinheiro. São Paulo, novembro.2012.

GARCIA SILVA, A. F. O desafio do desenvolvimento profissional docente: Análise da formação continuada de um grupo de professores das séries iniciais do Ensino Fundamental, tendo como objeto de discussão o processo do ensino e aprendizagem de frações. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – PUC/SP, São Paulo, 2007.

GARCIA SILVA, A. F.; CANOVA, R. F. O conceito de fração em livros didáticos brasileiros nos anos iniciais. Relatório de pesquisa não publicado. Pós graduação em Educação Matemática. UNIBAN/SP, São Paulo. 2011.

LIMA, V. S. Mapeamento Cognitivo: Um estudo do conceito de frações em estudantes de magistério e professores do primeiro grau (1ª a 4ª séries). Dissertação de Mestrado, Grupo de pesquisa em Psicologia da Educação Matemática (PSIEM), UNICAMP, 1996.

MAMEDE, E. The Effects of situations on Children’s Understanding of Fractions. 2007. Tese de PhD (não publicada), Oxford Brookes University. Oxford: OBU. 2007.

NUNES, T.; BRYANT, P. Crianças fazendo matemática. Porto Alegre: Artes Médicas. 1997.

NUNES, T.; BRYANT, P. Key understandings in Mathematics learning, Paper 3: Understanding rational numbers and intensive quantities. Nuffield Foundation. 2009. Disponível em: . Acesso em 15 junho. 2013.

NUNES, T.; BRYANT, P.; PRETZLIK, U.; BELL, D.; EVANS, D.; & WADE, J. La compréhension des fractions chez les enfants. In M. Merri (Ed.), Activité humaine et conceptualisation (pp. 255-262). Toulouse: Presses Universitaires du Mirail. 2007.

PEREIRA, R. Depoimento coletado durante o processo formativo. 2012. Entrevista concedida a M.G.C., Pinheiro. São Paulo. Novembro. 2012.

PINHEIRO, M. G. C. Formação de Professores dos Anos Iniciais: conhecimento profissional docente ao explorar a introdução do conceito de fração. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Universidade Anhanguera de São Paulo – UNIANSP,

São Paulo, 2014.

RODRIGUES, W. R. Números Racionais: um estudo das concepções dos alunos após o estudo formal. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – PUC/SP. São Paulo. 2005.

SANTOS, A. O conceito de fração em seus diferentes significados: um estudo diagnóstico junto a professores que atuam no Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado. São Paulo: PUC-SP, 2005.

VERGNAUD, G. La théorie des champs conceptuels. Recherches en Didactique des Mathématiques, 10 (23), p. 133-170. 1990.

VERGNAUD, G. A contribuição da psicologia nas pesquisas sobre a educação científica, tecnológica e profissional do cidadão. In: Fávero, M. H.; Cunha, C. da (Orgs.). Psicologia do conhecimento: o diálogo entre as ciências e a cidadania. 2009.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v7i21.8067

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.