Pensando os objetos no ensino a partir dos estudos Foucaultianos

Autores

  • Rosilene Batista de Oliveira

Palavras-chave:

Objetos no ensino. Tecnologias. Discurso. Estudos foucaultianos.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo mostrar como os estudos de Michel Foucault, tomados como pressupostos teórico-metodológicos podem contribuir para entendermos e compreendermos as formas como os objetos tem sido pensado dentro dos discursos que enunciam a sua importância na educação, considerando as relações entre poder e saber que permeiam esses discursos. Buscando atingir este objetivo, discutimos neste trabalho alguns conceitos tratados por Michel Foucault, relacionando-os com o foco central de nossos estudos: a utilização de objetos na sala de aula, e o pensamento que rodeia esta utilização, considerando tanto as velhas como as novas tecnologias, as quais adentram o ambiente escolar a partir da preocupação com a qualidade e inovação das práticas escolares. Pelos resultados e discussão, com destaque para os discursos, vemos a necessidade de considerar a diversidade dos mesmos, onde são produzidos, os contextos situacionais em que nascem, as pessoas que os produzem, e as "verdades" que são construídas em torno desse objeto e seu uso. A aproximação do referencial teórico com o objeto de nosso estudo permite observar que a introdução de qualquer tecnologia na escola deve ser discutida também no âmbito dos discursos que legitimam a sua utilização, e a maneira como os mesmos são apropriados pelos sujeitos escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARNEIRO, Vera Clotilde. Pesquisa foucaultiana: uma alternativa entre os caminhos alternativos. Revista Educação, Porto Alegre, n.41, p.181-202, 2001.

FISCARELLI, Rosilene Batista de Oliveira. Material didático: discursos e saberes. Araraquara: Junqueira e Marin Editores, 2008.

FISCHER, Rosa Maria. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de pesquisa, nº. 114, 2001, p.197-223.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

__________. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

__________. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

__________. História da sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2003.

__________. Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

GASPAR, Nádea Regina. Foucault nas visibilidades enunciativas. In: SARGENTINI, Vanice e NAVARRO-BARBOSA, Pedro. (Orgs.). Michel Foucault e os domínios da linguagem: discurso, poder, subjetividade. São Carlos: Clara Luz, 2004, p.231-260.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas, SP: Papirus, 2007.

MARSHALL, James. Governamentalidade e Educação liberal. In: SILVA, Tomás Tadeu. (Org.) O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002. p.21-34.

POPKEWITZ, Thomas S. Reforma Educacional: uma política sociológica. Porto Alegre: artes Médicas, 1997.

SOUZA, Rosa Fátima de. Objetos de ensino: a renovação pedagógica e material da escola primária no Brasil, no século XX. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n.49, p.103-120, jul/set. 2013. Editora UFPR.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2004

Downloads

Publicado

24/11/2016

Como Citar

Oliveira, R. B. de. (2016). Pensando os objetos no ensino a partir dos estudos Foucaultianos. Educação E Fronteiras, 6(17), 176–189. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/5794

Edição

Seção

Demanda Contínua