Culturas infantis, creche e intersecção: o feminismo negro interroga as pesquisas com crianças

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/eduf.v10i30.14676

Palavras-chave:

Educação, Nova História Cultural, Culturas Infantis

Resumo


 

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade. São Paulo: Polén, 2019.

BURKE, P. O que é História Cultural?. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2005 (revista ampliada). Tradução: Sérgio Goes de Paula.

 

SANTIAGO, F. Eu quero ser o sol! Crianças pequenininhas, culturas infantis, creche e intersecção. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019. 154p.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura Bonini Rodrigues de Souza, UNESP

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Faculdade de Filosofia e Ciências, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Marília - SP. Graduação em Direito pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília (UNIVEM). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas HiDEA-Brasil-História das disciplinas escolares e acadêmicas no Brasil (Saberes, práticas e culturas escolares e acadêmicas) e do NUDISE - Núcleo de gênero e diversidade sexual na Educação.

Referências

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade. São Paulo: Polén, 2019.

BURKE, P. O que é História Cultural?. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2005 (revista ampliada). Tradução: Sérgio Goes de Paula.

SANTIAGO, F. Eu quero ser o sol! Crianças pequenininhas, culturas infantis, creche e intersecção. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019. 154p.

Downloads

Publicado

04/12/2020

Como Citar

Souza, A. L. B. R. de. (2020). Culturas infantis, creche e intersecção: o feminismo negro interroga as pesquisas com crianças. Educação E Fronteiras, 10(30), 270–273. https://doi.org/10.30612/eduf.v10i30.14676