Educação do campo rompe com os paradigmas conservadores da formação de professores/as

Heloisa da Silva Borges

Resumo


Este texto é resultado dos estudos de pesquisa realizados no Programa de Pós-Graduação em Educação, com objetivo de subsidiar a Linha de Pesquisa: Formação e Práxis do/a Educador/a Frente aos Desafios Amazônicos. Teve os seguintes objetivos específicos: 1) Estudar os paradigmas conservadores que sustentam a formação de professores/as na sociedade capitalista; 2) Investigar como a Educação do Campo rompe com os paradigmas conservadores, especialmente na formação de professores/as. A metodologia adotada deu-se em dois momentos: pesquisa bibliográfica e documental. Mas para facilitar o estudo elaboramos duas questões norteadoras: 1) Quais são os paradigmas conservadores que sustentam a formação de professores/as na sociedade capitalista? e 2) Por que a Educação do Campo rompe com os paradigmas conservadores, especialmente na formação de professores/as? Assim, conclui-se que a formação de professores/as do campo, que se sustentam nos referenciais teóricos da pedagogia crítica não dialoga com a formação de professores/as ligadas aos paradigmas conservadores liberais e neoliberais, pois ambos possuem projetos de sociedade diferentes.  


Palavras-chave


Educação do Campo. Paradigmas conservadores. Formação de professores/as

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Jackeline Silva. MELO JÚNIOR, Arlindo Lins de. CAIADO, Kátia Regina Moreno. Um Olhar sobre as Políticas Públicas da Educação do Campo e Educação Especial à Luz da Pedagogia Histórico-Crítica. Revista Educação e Fronteiras On-Line. Dossiê Direito à Educação: da previsão à concretização. Dourados/MS. v. 8, n. 23, 2018.

BORGES. Heloisa da Silva Borges. Formação contínua de formação de professores/as da educação do campo. Manaus-AM. PPGE-UFAM, 2015.

_______, Heloisa da Silva Borges. As Teorias que Legitimam a Educação do Campo. Boa Vista–RR. (ORG.) GHEDIN, Evandro. Fundamentos filosóficos a Educação do Campo. Editora da UFRR, 2016.

BRASIL. Constituição federal de 1988.

_______. Lei de diretrizes e bases da educação brasileira LDB N° 9.394/96.

_______. Resolução Nº 1/2002 - Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo (3/04/2002).

_______. Leis de reformas de 1° e 2° Graus n°5.692/71(11/08/1971).

______. Lei da reforma universitária n.º 5.540/68 (28/11/1968).

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do campo: sem terra. São Paulo. Expressão Popular, 2004.

______. Caminho para transformação da escola 2: agricultura camponesa, educação politécnica e escolas do campo. São Paulo. Expressão Popular, 2015.

______. Caminho para transformação da escola 4: trabalho, agroecologia e estudo nas escolas do campo. São Paulo. Expressão Popular, 2017.

FREITAS, Luiz Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo. Expressão Popular, 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio. CIAVATTA, Maria. Teoria e educação no labirinto no capital. São Paulo. Expressão Popular, 2016.

LUCKESI. Cipriano Carlos. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, 2017.

MOLINA, Mônica Castagna. Contribuições das licenciaturas em

educação do campo para as políticas de formação de educadores. Educ. Soc., Campinas, v. 38, n.. 140, p.587-609, jul.-set., 2017.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa. Currículos e programas no Brasil (Magistério: formação e trabalho pedagógico). Campinas - SP. Papirus Editora, 2014.

PERONI, Vera Marial Vidal. LIMA, Paula Valim de. KADER, Carolina Rosa. (Org.) Redefinições das fronteiras entre o público e o privado: implicações para a democratização da educação. São Leopoldo-Oikos, 2018.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Campinas, SP. Autores Associados, 2018.

SILVA, Maria do Socorro. 50 Anos da CONTAG: fortalecendo o movimento sindical para melhorar a qualidade de vida no campo. Brasília-DF, 2013.

SILVEIRA, Ana Paula de Carvalho. SANTOS, Taís Conceição dos. CHRISPINO, Álvaro. Uma Análise do Conceito de Interdisciplinaridade no Ensino CTS Brasileiro. Revista Educação e Fronteiras On-Line. Dossiê "Educação ciência-tecnologia-sociedade-ambiente: diálogos e caminhos para a inter e a transdisciplinaridade”. Dourados/MS. v. 9, n. 25, 2019.

TROQUEZ, Marta Coelho Castro. Currículo e materiais didáticos para a educação escolar indígena no Brasil. Revista Educação e Fronteiras On-Line - Dossiê "Educação ciência-tecnologia-sociedade-ambiente: diálogos e caminhos para a inter e a transdisciplinaridade". Dourados/MS, v.9, n.25, p.166-182, jan./abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.30612/eduf.v10i30.14587

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.