Neoconservadorismo no campo da educação (2002-2019): análise bibliométrica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30612/eduf.v10i30.11875

Palavras-chave:

Neoconservadorismo, Educação, Análise bibliométrica

Resumo

Este estudo teve por objetivo identificar e caracterizar a produção científica, em especial brasileira, consolidada em artigos científicos, teses e dissertações acadêmicas sobre o neoconservadorismo no campo da educação. Sustentada em Antonio Gramsci, trata-se de uma pesquisa quanti-qualitativa, que fez uso da abordagem bibliométrica e análise de conteúdo a partir dos trabalhos coletados em seis bancos de dados. O corpus documental constitui-se de 38 trabalhos – 27 artigos, nove dissertações e duas teses – publicados entre 2002-2019, por 53 autores, com 57 contribuições e participação significativa do sexo masculino. A maioria dos estudos são do Brasil, de língua portuguesa. As autorias, em suas grande parte, foram individuais e contaram com diversas instituições de ensino das regiões brasileiras, com maior incidência da Região Sudeste. Os trabalhos fazem parte de estudos e periódicos na área da Educação, embora teve presença das áreas de Serviço Social, Sociologia e entre outras. Os temas dos trabalhos dedicaram-se prioritariamente na compreensão do neoconservadorismo no campo educacional, discutindo desde as políticas até as práticas pedagógicas. Conclui-se que neoconservadorismo é um fenômeno atual na realidade brasileira, devido a revolução passiva realizada no Estado, o qual sofreu influências nas elaborações e implementações de políticas educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Henrique da Silva, Universidade Federal de Roraima

Doutor em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos. Professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Roraima (PPGE/UFRR). Editor Adjunto da Revista Educação, Pesquisa e Inclusão

Referências

APPLE, M. W. Educando à direita: mercados, padrões, Deus e desigualdade. Tradução de Dinah de Abreu Azevedo. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.

BARROCO, Maria Lucia S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Serv. Soc. Soc. São Paulo, n. 106, p. 205-218, jun. 2011. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282011000200002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 05 de maio de 2020.

BRANDÃO, N. A.; DIAS, E. F. A questão da ideologia em Antonio Gramsci. Revista Trabalho & Educação, UFMG, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 81-98, jul./dez. 2007.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. PL 246/2019. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2190752. Acesso em: 03 de maio de 2020.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. PL 7180/2014. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=606722. Acesso em: 03 de maio de 2020.

CENTRO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO E SOCIEDADE (Cedes). Educação & Sociedade. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0101-7330&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 abr. 2020.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (Capes). Portal de Periódicos. Disponível em: https://www.periodicos.capes.gov.br/. Acesso: abr. 2020a.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (Capes). Catálogo de Teses e Dissertações. Disponível em: https://catalogodeteses.capes.gov.br/catalogo-teses/#!/ . Acesso: abr. 2020b.

CAPES. GEOCAPES - Sistema de Informações Georreferenciadas. Dados de 2018. Disponível em: https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/. Acesso em: 21 abr. 2020.

DI FRANCO, M. G.; DI FRANCO, N. B.; SIDERAC, S. A formação docente nas políticas públicas: o campo das práticas como a possibilidade. Praxis & Saber, v. 7, n. 15, p. 17-40, 2016.

ESCOLA SEM PARTIDO. Home. Disponível em: http://escolasempartido.org/. Acesso em: 03 de maio de 2020.

GOULART DA SILVA, M. O Escola Sem Partido como expressão do ideário militar. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 10, n. 3, p. 169-175, mai. 2019. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/28612. Acesso em: 02 de maio de 2020.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere – volume 1: introdução ao estudo da filosofia; a filosofia de Benedetto Croce. 7. ed. Trad. de Carlos Nelson Coutinho; coedição de Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere – volume 3: Maquiavel; notas sobre o Estado e a política. 3. ed. Trad. de Carlos Nelson Coutinho; coedição de Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere – volume 2: os intelectuais; o princípio educativo; jornalismo. 2 ed. Trad. de Carlos Nelson Coutinho; coedição de Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GRUPPI, L. Conceito de Hegemonia em Gramsci. 2. ed. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1980.

HAYASHI, M. C. P. I. H. Análise bibliométrica: leituras teóricas, procedimentos metodológicos e protocolo de coleta de dados. São Carlos, 2014. (mimeo).

HAYASHI, M. C. P. I.; MUGNAINI, R.; HAYASHI, C. R. M. (Org.). Bibliometria e cientometria: metodologia e aplicações. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013.

HUNTINGTON, S. P. Robust Nationalism. The National Interest, New York: The Nixon Center, n. 58, inverno de 1999, p. 37. Disponível em: https://nationalinterest.org/article/robust-nationalism-698. Acesso em: 02 maio 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO PARA CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT). Oasisbr. Disponível em: http://oasisbr.ibict.br/vufind/. Acesso: abr. 2020a.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO PARA CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT). Biblioteca Digital de Teses e Dissertações. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/. Acesso: abr. 2020b.

LEHER, R.; VITTÓRIA, P.; MOTTA, V. C. Educação e mercantilização em meio à tormenta político-econômica do Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, p. 14-24, mai. 2017. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/21792. Acesso em: 01 de maio de 2020.

LIMA, I. G. de; HYPOLITO, A. M. A expansão do neoconservadorismo na educação brasileira. Educação & Pesquisa, São Paulo, v. 45, 2019. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022019000100567&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 13 abr. 2020.

MARTINS, M. F. Gramsci, os intelectuais e suas funções científico-filosófica, educativo-cultural e política. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 3, p. 131-148. set./dez. 2011.

MARTINS, M. F. Sociedade civil e “terceiro setor”: apropriações indébitas do legado teórico-metodológico de Gramsci. Revista de Filosofia Aurora, PUC-PR, v. 20, n. 26, p. 75-100. jan./jun. 2008.

MARTINS, M. F. Conhecimento e disputa pela hegemonia: reflexões em torno do valor ético-político e pedagógico do senso comum e da filosofia em Gramsci. LOMBARDI, José C.; SAVIANI, Dermeval. Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas-SP: Autores Associados e HISTED-BR, 2005. p. 123-159.

MARTINS DE OLIVEIRA, A. L. A. R.; OLIVEIRA, G. G. S. de. Novas tentativas de controle moral da educação: conflitos sobre gênero e sexualidade no currículo e na formação docente. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 22, n. 1, p. 16-25, jan./mar. 2018. Disponível em: http://www.revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2018.221.02. Acesso em: 03 de maio de 2020.

MINAYO, M. C. de S.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 237-248, set. 1993. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1993000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 02 de maio de 2020.

MINTO, L. W. Educação superior no PNE (2014-2024): apontamentos sobre as relações público-privadas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 23, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782018000100208&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 03 de maio de 2020.

MOCHOCOVITCH, L. G. Gramsci e a Escola. 3. ed. São Paulo: Ática, 1992. (Série Princípios).

MOLL, R. Diferenças entre neoliberalismo e neoconservadorismo: duas faces da mesma moeda? Unesp, 2015. Disponível em: http://ieei.unesp.br/portal/wp-content/uploads/2016/11/Diferen%C3%A7as-entre-neoliberalismo-e-neoconservadorismo.pdf. Acesso em: 02 de maio de 2020.

PRENDERGAST, L. M.; HILL, D.; JONES, S. Social Exclusion, Education and Precarity: neoliberalism, neoconservatism and class war from above. Journal for Critical Education Policy Studies, v. 15, n. 2, p. 23-58, out. 2017. Disponível em: http://www.jceps.com/archives/3526. Acesso em: 02 de maio de 2020.

RED DE REVISTAS CIENTÍFICAS DE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE, ESPAÑA Y PORTUGAL (Redalyc). Sistema de Información Científica Redalyc Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe. Disponível em: https://www.redalyc.org/. Acesso: abr. 2020.

RIGOLIN, C. C. D.; HAYASHI, C. R. M.; HAYASHI, M. C. P. I. Métricas da participação feminina na ciência e na tecnologia no contexto dos INCTs: primeiras aproximações. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 9, p. 143-170, 2013. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3400. Acesso em: 02 maio 2020.

SENADO FEDERAL. Projeto de Lei do Senado n° 193, de 2016. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/125666. Acesso em: 03 de maio de 2020.

SILVA, J. H. da. Mapeamento da produção científica veiculada em periódicos sobre a temática APAE (2000-2015). Perspec. Dial.: Rev. Educ. e Soc., Naviraí, v. 4, n. 7, p. 64-79, jan./jun. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/persdia/article/view/2855. Acesso em: 02 maio 2020.

SILVA, J. H. da; HAYASHI, M. C. P. I. Estudo bibliométrico da produção científica sobre a associação de pais e amigos dos excepcionais. Revista Educação Especial, Santa Maria, p. 65-80, mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/18170. Acesso em: 02 maio 2020.

SILVA, M. L. Notas gramscianas: golpe de estado e luta de classes no Brasil do século XXI. MovimentAção, v. 4, n. 07, p. 01-32, jul. 2017. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/movimentacao/article/view/8427/4482. Acesso em: 01 de maio de 2020.

SILVA, M. L. A base do golpe: a nova colonização pela captura da subjetividade. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 11, n. 1, p. 74-102, set. 2019 Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/30693. Acesso em: 01 maio de 2020.

STELMACHUK, A. C. da L.; HAYASHI, M. C. P. Análise bibliométrica sobre avaliação de pessoas com deficiência intelectual para ingresso em serviços de Educação Especial. REICE - Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 13, n. 2, dez. 2015. Disponível em: https://revistas.uam.es/index.php/reice/article/view/2789. Acesso em: 21 abr. 2020.

TANNURI DE OLIVEIRA, E. F.; GRACIO, M. C. Biblioteconomia e ciência da informação no Brasil: comparando indicadores bibliométricos entre países de destaque. HAYASHI, M. C. P. I.; MUGNAINI, R.; HAYASHI, C. R. M. (Org.). Bibliometria e cientometria: metodologia e aplicações. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013. p. 75-87.

TEIXEIRA, C. G. P. Quatro temas fundamentais do pensamento neoconservador em política externa. Rev. bras. polít. int., Brasília, v. 50, n. 2, p. 80-96, dez. 2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292007000200006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 02 de maio de 2020.

Downloads

Publicado

04/12/2020

Como Citar

Silva, J. H. da. (2020). Neoconservadorismo no campo da educação (2002-2019): análise bibliométrica. Educação E Fronteiras, 10(30), 90–118. https://doi.org/10.30612/eduf.v10i30.11875

Edição

Seção

Dossiê “Neoconservadorismo e Educação: reflexões sobre justiça social, inclusão e democracia”