Mário de Andrade e o ócio produtivo

Adna Candido de Paula

Resumo


Em 2008, a obra Macunaíma completou 80 anos de publicação, o que motivou a produção de textos em comemoração à data e à importância desse livro em algumas universidades brasileiras. Este artigo apresenta algumas considerações acerca de um dos elementos fortes dessa rapsódia – a preguiça. Mário de Andrade propõe a noção de ócio produtivo na figura do “herói sem nenhum caráter” e em seu estudo particular sobre a preguiça criativa, o artigo “A Divina Preguiça”. Além do artigo e do livro, também a poesia marioandradina incorpora a concepção estética da preguiça.

Palavras-chave


Mário de Andrade. Macunaíma. Ócio Produtivo.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.