GRAVIMETRIA DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UMA FÁBRICA DE RAÇÃO ANIMAL EM IGUATEMI – MATO GROSSO DO SUL

João Carlos Gonçalves Vilhalba, André Felipe de Souza, Gledson Martins, Selene Cristina de Pierri Castilho, Leandro Marciano Marra

Resumo


O manejo de resíduos industriais é um dos principais problemas vivenciados pelas empresas no que refere-se as exigências das leis ambientais vigentes no país. Assim, o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é um processo que busca a melhoria contínua, que permite à organização estabelecer seu nível de desempenho ambiental de modo a obter resultados satisfatórios. O objetivo foi realizar a gravimetria de resíduos sólidos em uma fábrica de produção de ração animal e determinar o índice Iguaphós de Resíduos Sólidos. A quantificação dos resíduos sólidos gerados na empresa Iguaphós Nutrição Animal foi realizada durante o período de 19 a 24 de março de 2018, totalizando cinco dias e meio de coleta. Nos cinco primeiros dias totalizando 8 horas de funcionamento e no sexto dia (sábado) apenas 4 horas de atividades. Os resíduos gerados na empresa foram resíduos recicláveis como plástico, papel, papelão, materiais metálicos, material de proteção individual, silicone e resíduos orgânicos como farelo e grãos de soja, milho, milheto e sorgo. Um total de 18 kg de resíduos, sendo que destes 10 kg são resíduos orgânicos. Os resíduos inorgânicos são coletados e destinados a triagem que fica responsável pela destinação final. Em relação a porcentagem dos diferentes tipos de materiais dos resíduos sólidos gerados na empresa, destaca-se que 55% é orgânico e que 34% é plástico. Portanto, resíduos orgânicos, seguidos de plástico, metal e papel são as principais classes de resíduos gerados na empresa Iguaphós, no município de Iguatemi, MS e o Índice Iguaphós de Resíduos Sólidos demonstra que para cada 97,84 kg de ração produzido gera-se 1,0 kg de resíduos sólidos.

Palavras-chave


Educação Ambiental. Descarte Consciente. Compostagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, A.M.P. Avaliação Ambiental e Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho na Rações Zêzere, S.A. Relatório de estágio para obtenção do título de Mestre. Escola Superior de Tecnologia de Tomar, 2016.

ABNT- Associação Brasileira de Normas e Métodos. Norma Brasileira n. 10004, Classificação de Resíduos, ABNT/NBR 10004/04. 2004

CARVALHO, J.G. Compostagens de resíduos agroindustriais. Lavras: Editora UFLA. 2006.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução N° 005, de 5 de agosto de 1993.

LIPOR, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, Caderno Técnico, 2000.

OLIVEIRA, G. D. Proposta de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (pgrs) para uma Empresa de Serviços Alimentícios do Município de Campo Mourão – PR, Universidade Tecnológica Federal do Paraná 2014.

ROCCA, A. C. C. Resíduos Sólidos Industriais. CETESB. São Paulo – SP, 1993.

ROSA, M. F.; SOUZA, F.M. S. .; FIGUEIREDO, M. C. B.; MORAIS, J. P. S.; SANTAELLA, S.T. Valorização de resíduos da agroindústria. II Simpósio Internacional sobre Gerenciamento de Resíduos Agropecuários e Agroindustriais – II SIGERA - Foz do Iguaçu PR,2011.

SOUZA, M.R.; SILVA, R.J. A geração de resíduos industriais e sua destinação final. Departamento de produção – Escola Federal de Engenharia de Itajubá MG, 2010.

SOUZA, S. S. P.; ALMEIDA, P. L. P.; SANTOS, M. F. S. Gestão Ambiental: Um Estudo sobre o Gerenciamento dos Resíduos Sólidos de uma Indústria de Embalagens Flexíveis em Campina Grande – PB, 2009.

PEREIRA, F. T. G., LEITE, H. E. A., GARCEZ, L.R. Composição Gravimétrica dos Resíduos Sólidos Urbanos da Cidade de Campina Grande-PB, In: SINRES-2º Simpósio Nordestino de Resíduos Sólidos, pp 19-21, Campina Grande, PB, Brasil, 2010.




DOI: https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v5i10.8599

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.