Empreendimento, comunidade e território: três objetos de incubação em economia solidária

Sanyo Drummond Pires

Resumo


O presente artigo se propõe a construir uma referência conceitual para as ações de incubadoras universitárias em economia solidária, a partir da diferenciação de objetos e de objetivos que essas incubadoras apresentam em relação às incubadoras tradicionais, e das diferentes formas de avaliar os resultados das ações de extensão desenvolvidas nessas incubadoras. Observa-se que diferente das incubadoras tradicionais, o desenvolvimento de empreendimentos não se configura como o objetivo principal da incubadora, mas sim o desenvolvimento de espaços comunitários e articulações territoriais que possibilitem o fomento de práticas de busca de soluções coletivas para problemas econômicos, baseados na solidariedade e gestão coletiva.

Palavras-chave


Incubadoras Universitárias. Economia Solidária.

Texto completo:

PDF

Referências


BORDO, A.A.; SILVA, C.H.P.; NUNES, M.; BARBOSA, T.; MIRALHA, W. Diferentes abordagens do conceito de território. 2004. Disponível em http://forumeja.org.br/sites/forumeja.org.br/files/diferentesabordterr.pdf. Acessado em 27/04/2017.

BORGES, C. M. A memória e os espaços sagrados: Os colonos e a apropriação simbólica dos lugares. Locus: Revista de História, v. 16, n. 2, p. 119-130, 2010. Disponível em http://www.editoraufjf.com.br/revista/index.php/locus/article/view/1055. Acessado em 04/04/2017.

BOSI, E. Pesquisa em Memória Social. Revista Psicologia USP, v. 4 n. 1-2, p. 277-284, 1993. Disponível em http://www.revistas.usp.br/psicousp/article/download/34480/37218 Acessado em 25/10/2013.

BOSI, E. Memória da Cidade: Lembranças Paulistas. Estudos avançados v. 17, n. 47, p. 197-211, 2003. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40142003000100012&script=sci_arttext. Acessado em 25/10/2013.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças dos velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

BRASIL. Projeto de Lei n° 4685 de 2012. Disponível em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=74626556BA159FC09AA29CE56A574C48.proposicoesWebExterno2?codteor=1037445&filename=PL+4685/2012.

CALBINO, D; PAULA, A.P.P. Economia Solidária: investigação sobre o estado da arte. Gestão Contemporânea, Porto Alegre, v. 10, n. 14, p. 371-397, 2013. Disponível em http://seer4.fapa.com.br/index.php/arquivo/article/viewFile/302/145.

CARVALHO, R.A.; PIRES, S.D. Em busca de novas solidariedades: os empreendimentos da economia social em questão. Sociedade e Estado, n.16 v. 1-2, p. 159-185, 2001. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922001000100008, acesso em 03 de fevereiro de 2018.

CHAUI, M. Conformismo e Resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. 6a ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1996.

CULTI, M.N. Economia solidária: Incubadoras universitárias e processos educativos. Proposta, v. 31, n. 111, p. 16-22, 2007. Disponível em http://www.unitrabalho.uem.br/administracao/bd_artigos/arquivos/010614153016.pdf. Acesso em 03 de fevereiro de 2018.

CULTI, M.N. Economia Solidária no Brasil: Tipologia dos Empreendimentos Econômicos Solidários. São Paulo. Ed. Todos os Bichos. 2010.

DAGNINO. R. . Em direção a uma Estratégia para a redução da pobreza: a Economia Solidária e a Adequação Sócio-técnica. OEI, 2000. Disponível em http://www.oei.es/historico/salactsi/rdagnino5.htm. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

DIAS, R.B. et All. Tecnologia Social e Economia Solidária: construindo a ponte. Revista Latinoamericana de Políticas y Acción Pública v. 1, n, 1, p. 59-78. 2014. Disponível em http://repositorio.flacsoandes.edu.ec/bitstream/10469/6443/1/RFLACSO-MP1-04-GAPI.pdf.

DUBEUX, A. O papel das universidades na construção da economia solidária no Brasil. Proposta, v. 31, n. 111, p. 3-15, 2007. Disponível em http://fase.org.br/wp-content/uploads/2007/03/proposta-111-final.pdf., Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

FARIA, H., SERRA, N. Economia Solidária da Cultura e Cidadania Cultural. Editora UFABC: Santo André, 2016.

FARIA, M.S.; DAGNINO, R.; NOVAES, H.T. Do fetichismo da organização e da tecnologia ao mimetismo tecnológico: os labirintos das fábricas recuperadas. Revista Katálise, v. 11 n. 1 p. 123-131, 2008. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/viewFile/5394/4738. Acesso em 23 de maio de 2017.

GAIGAER Luiz Inácio Germany. (Org) (2004) Sentidos e experiências da economia solidária do Brasil. Editora da UFRGS, Porto Alegre.

GAIGER, L.I.G. O Mapeamento Nacional e o Conhecimento da Economia Solidária. Revista da ABET, v. 12, n. 1, p. 7-24, 2014. Disponível em http://base.socioeco.org/docs/_ojs_index.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

GAIGER, L.I.G. The legal framework for Solidarity Economic Enterprises in Brazil: backgrounds and perspectives. 5th EMES International Research Conference on Social Enterprise Building a Scientifc Fild to Foster the Social Enterprise Eco-Sistem. HElsink, 2015. Disponível em http://emes.net/content/uploads/publications/the-legal-framework-for-solidarity-economic-enterprises-in-brazil-backgrounds-and-perspectives/ESCP-5EMES-10_Lega_framework_solidarity_Economic_Entreprises_Brazil_Gaiger.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

GHIZELINI, A.A.M. Reflexões uma crítica à economia solidária: do materialismo histórico à teoria da ação. Revista Escritos, v. 11, n.2, 1-19, 2015. Disponível em http://faculdadebagozzi.edu.br/wp-content/uploads/2016/01/Revista-Escritos-v.11-n.2-2015.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

LIMA, J.S. Desenvolvimento Territorial e Economia Solidária: das concepções e práticas entre o Estado brasileiro e os coletivos organizados no Território do Sisal-BA. Revista Espaço Acadêmico, n. 131, p. 172-180, 2012. Disponível em file:///C:/Users/Admin/Desktop/economia%20solid%C3%A1ria%20e%20desenvolvimento%20territorial.pdf. Acesso em 09 de maio de 2015.

LISBOA, A. M.. Economia solidária e autogestão: imprecisão e limites. RAE. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 3, p. 109-115, 2005. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rae/v45n3/v45n3a06.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

MACHADO, M. C. (Re)significações no mundo rural mineiro: o carro de boi do trabalho ao festar (1950-2000). Revista Brasileira de História, v. 26, n. 51, p. 25-45. 2006. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-01882006000100003&script=sci_arttext. Acessado em 04/04/2017

MANCE, E. Cadeias produtivas solidárias. In CATANNI, D. A Outra Economia. Porto Alegre: Editora Veraz, p. 26-28. 2003.

MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2015.

OGANDO, C.B. As Fronteiras da Economia Solidária. Uma análise a partir do Mapeamento Nacional. 2013. Disponível em http://www.socioeco.org/bdf_fiche-document-3533_pt.html. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

OLIVEIRA, F.J.G. Reestruturação econômica, poder público e desenvolvimento social: possibilidades de disputa e de recomposição de poder no território. Revista Electrônica de Geografia y Ciências Sociales, v. 11, n. 245, p. 0-0, 2007. Disponível em http://www.ub.edu/geocrit/sn/sn-24565.htm. Acesso em 09 de maio de 2017.

OLIVEIRA, M.C.S.B., ZANIN, M. Economia Solidária: Uma temática em evolução nas dissertações e teses brasileiras. Revista Brasileira de Ciência, Tecnologia e Sociedade, v. 2, n. 1, pp. 181-193, 2011. Disponível em http://www.revistabrasileiradects.ufscar.br/index.php/cts/article/viewFile/121/69. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

PERUZZO, C.M.K; VOLPATO, M.O. Conceito de Comunidade, local, e região: inter-relações e diferenças. Líbero, v. 12, n. 24, p. 139-152 2009. Disponível em http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/libero/article/viewFile/6790/6132. Acesso em 30 de março de 2017.

PINHEIRO, D.C. O Estado da Arte da Produção Científica em Economia Solidária. Administração Pública e Gestão Social, v. 8, n. 2, p. 95-103, 2016. Disponível em http://www.apgs.ufv.br/index.php/apgs/article/view/843#.WOOfBE9Viko. Acesso em 04/04 de 2017.

PIRES, S. D. A dimensão psicossocial da autonomia em cooperativas de trabalho, 09/12/2005, (200f) Dissertação de Mestrado em Psicologia, UFMG. Belo Horizonte, 2005.

PIRES, S.D. Perlaboração de Mecanismos defensivos em relação ao trabalho em empreendimentos de economia solidária. Desenvolve Revista de Gestão do Unilasalle, v 7, n 1, (no prelo), 2018.

PIRES, S.; COUTO, G.; ALVES, A. Constituição dos mecanismos de defesa psíquicos e sociais no trabalho autogestionário. In: VASCONCELOS-SILVA, A.; BUENO, M. (Org.). Novas concepções sobre organizações e trabalho. Catalão: Editora UFG, p. 158-170, 2013.

ROCHA FILHO, A.N.; CUNHA, L.A.G. Economia Solidária para qual desenvolvimento territorial? Anais do I Congresso de Pesquisadores de Economia Solidária (CONPES). São Carlos, 2015. Disponível em http://docplayer.com.br/34404190-I-conpes-congresso-de-pesquisadores-de-economia-solidaria.html. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

RODRIGUES, I.; BARBIERI, J.C. A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia adequada como estratégia de desenvolvimento sustentável. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 6, p. 1069-1094, 2008. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-76122008000600003&script=sci_abstract&tlng=pt. . Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

SALUM, C. C.; MAHFOUD, M. Produção de Imagem e Cultura: A criação de uma bandeira em uma comunidade tradicional. Anais do III Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos qualitativos e V Encontro de Fenomenologia e Análise do Existir, São Paulo. 2006. Disponível em http://www.sepq.org.br/IIIsipeq/anais/pdfs/pmchf3.pdf. Acesso em 04/04/2017. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

SANTOS, M.; SOUZA, M. A. A. de; SILVEIRA, M. L. (org.). Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec; Annablumme, 2002.

SCHIOCHET, V.; BRANDE, M.E. Espaço e Cadeias Produtivas Solidárias. O Caso da Reciclagem. III Encontro Catarinense de Economia, Blumenau, 2009. Disponível em http://base.socioeco.org/docs/artigo_45.pdf. Acesso em 23 de maio de 2017.

SCHMITT, C.J. Economia Solidária e Agroecologia: Convergências e desafios na construção de modos de vida sustentáveis. Revista Mercado de Trabalho (IPEA), n. 42, p. 55-64, 2010. Disponível em http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/4050/1/bmt42_08_Eco_02_convergencias.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

SILVA, F.L. Universidade: A ideia e a história. Estudos Avançados, v. 20, n.56, p. 191-202, 2006. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142006000100013. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

SILVA, R.F.; SILVA, S.P. Em busca de um marco legal para a Economia Solidária no Brasil: Análise da trajetória do PL 4685/2012. Mercado de Trabalho, v. 21, n. 58, p. 91-100, 2015. Disponível em http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/4231/9/bmt_58_economia_busca.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2018.

SINGER, P. Economia Solidária versus Economia Capitalista. Sociedade e Estado, v. 6, n. 1-2, p. 100-112, 2001. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/se/v16n1-2/v16n1-2a05.pdf. Acesso em 04 de abril de 2017.

SPINK, P.K. Micro cadeias produtivas e a nanoeconomia: repensando o trabalho decente. Cadernos de Psicologia Social e do Trabalho, v. 12, n. 2, p. 227-241, 2009. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-37172009000200008. Acesso em 22 de maio de 2017.

VISEU, F. Contribuição da Sociologia da Dádiva aos estudos dobre as Organizações Substantivas. Organização e Sociedade, v. 16, n. 50, p. 409-427. (2009). Disponível em http://www.scielo.br/pdf/osoc/v16n50/01.pdf. Acesso em 31/03/2017.

WARREN, Ilse Scherer (2006) Das mobilizações às redes de movimento sociais. Revista Sociedade e Estado, v. 21, n. 1, p. 109-130. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/se/v21n1/v21n1a07.pdf. Acessado em 04/04/2017.




DOI: https://doi.org/10.30612/re-ufgd.v4i8.6883

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.