CHAMADA DOSSIÊ "CRIME E RELAÇÕES INTERNACIONAIS"

Chamada para Artigos

Dossiê “Crime e Relações Internacionais”

 

Monções, Revista de Relações Internacionais da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (ISSN 23168323) está selecionando artigos para o Dossiê "Crime e Relações Internacionais”. A revista aceita artigos inéditos em português, espanhol, francês ou inglês. O prazo máximo de submissão é 23 de dezembro de 2019.

 

Apresentação e objetivos

 

Tráfico de drogas, contrabando, crime organizado transnacional, tráfico de pessoas, tráfico de armas – estes são apenas alguns dos diversos tópicos que têm figurado com frequência no campo das Ciências Sociais e das Relações Internacionais nos últimos anos.

 

Aprofusão de análises sobre a dimensão transnacional do crime e o mundo do crime, principalmente a partir dos anos 2000, tem duas direções principais. De um lado, tensiona o lugar privilegiado que o fenômeno do monopólio do uso da violência legítima ocupa nas Relações Internacionais. Isso porque os chamados “ilegalismos transnacionais” mobilizam múltiplas formas de violência (estatais, privadas e ilegais), cujas lógicas e práticas merecem ser pensadas em relação ao que viemos a conhecer como guerra.De outro lado, a proliferação de análises desse tipo acaba por estimular a familiarização da disciplina de Relações Internacionais com dois temas até então estranhos ao campo: a polícia e os grupos paraestatais.

 

Diante desse quadro, este dossiê busca engajar aqueles que se dedicam aos estudos sobre crime a publicarem trabalhos sobre temas como: i) as polícias do mundo como objeto de pesquisa nas Relações Internacionais; ii) a fusão de crime e guerra nas práticas de segurança internacional; e iii) o estudo sobre a criminalização e a descriminalização de práticas em âmbito internacional.

 

Este número especial de Monçõesbusca oferecer insumos não apenas para pensar diferentes abordagens sobre o crime nas Relações Internacionais, mas também para expor efeitos contrastantes da mobilização analítica desse tema para a disciplina e os termos com que esta opera. Com isso, objetiva reunir um leque de estudos sobre os vínculos entre crime e Relações Internacionais de uma forma crítica, que não naturalize definições de “crime” ou de “espaço doméstico” e “espaço internacional”, em tempos de mudanças significativas na territorialização dos conflitos e na velocidade dos fluxos legais e ilegais de pessoas, produtos e capital.

 

Sendo assim, convidamos para participar deste dossiê pesquisadores voltados à análise de como o Brasil e outros países da América Latina se situam em meio a tais fluxos de ilegalismos transnacionais. Em especial, encorajamos o envio de artigos inéditos que problematizem aspectos da criminalidade transnacional e a disciplina acadêmica das Relações Internacionais.

 

São sugestões de perguntas sobre as quais esperamos receber contribuições originais:

 

1)    De que forma a construção do problema do crime desafia o lugar analítico da guerra na disciplina de Relações Internacionais? 

2)    Como tais abordagens desafiam o pensar a polícia como uma burocracia centralizada de ordenamento social eminentemente doméstica? 

3)    Como a discussão sobre criminalidade e suas políticas de controle nos permitem repensar as noções espaciais de local e global; nacional e internacional; fronteiras e margens? 

4)    De que forma o enquadramento da América Latina como a região mais violenta do mundo está relacionado com processos de construção do que constitui o crime?

5)    Quais os efeitos que enquadramentos contemporâneos de ameaças e inimigo interno/externo possuem sobre a fronteira que diferencia segurança pública e segurança internacional?

6)    Como a “guerra às drogas”, “guerra ao terror” e a “guerra contra o crime” constituem práticas (estatais e não estatais) de criminalização de condutas, territórios e populações?

7)    Como as dinâmicas capitalistas influenciam nos fluxos ilícitos e nas políticas de controle do crime na América Latina?

8)    Qual é o impacto das novas políticas de regulação das drogas nos mercados ilícitos na região latino-americana? 

9)    Qual é o papel da dinâmica global de privatização da segurança nas políticas de controle do crime na América Latina?  

10) Quais são as interferências recíprocas entre o crime e os processos de peacebuilding, especialmente no que se refere à reforma do setor de segurança?

11) O que os estudos sobre crime nos dizem a respeito da política do campo das Relações Internacionais?

 

Organizadores

Prof. Marcelo da Silveira Campos (UFGD/InEAC)

Profa. Manuela Trindade Viana (IRI/PUC-Rio)

Prof. Paulo Pereira (PPGRI-San Tiago Dantas/PUC-SP)

Prof. Thiago Rodrigues (INEST/UFF)

 

A revista eletrônica Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento das Relações Internacionais e seus campos afins a partir da publicação de artigos inéditos submetidos por pós-graduandos ou pós-graduados.

 

O público alvo da Monções são pesquisadores, acadêmicos e público interessado nas áreas de Política Externas, Política Internacional, Integração Regional, Economia Internacional, Teoria das Relações Internacionais, História das Relações Internacionais, Organizações Internacionais, Meio Ambiente, Direitos Humanos, Direito Internacional e Dinâmicas da Fronteira, entre outras.

 

Mais informações na página da Revista Monções.