Mapa mental: uma abordagem possível para o ensino de matemática inclusiva

Ronaldo Gobbis Dolival, Maristela da Silva, Nilce Léa Lobato Cristovão, Rômulo Pereira Nascimento

Resumo


O artigo resulta uma investigação parcial sobre práticas pedagógicas inclusivas, com a proposta de contribuir para o letramento matemático dos alunos com deficiência intelectual, dificuldades de aprendizagens e comportamentos desviantes. Iniciamos com um levantamento bibliográfico sobre as práticas inclusivas utilizadas para o ensino de matemática. O objetivo geral consistiu em investigar junto aos educadores e corpo diretivo, procedimentos iniciais para a elaboração de atividades pedagógicas no processo de inclusão dos alunos com deficiência intelectual e dificuldades de aprendizagens. Obtivemos resultados satisfatórios mesmo com interferências do cotidiano da aula e as dificuldades de aprendizagens apresentadas pelos alunos com deficiência intelectual. Há indícios que a prática possibilite trabalhar com multidisciplinaridade.

Palavras-chave


Práticas pedagógicas. Matemática inclusiva. Deficiência intelectual.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Diretrizes Nacionais da Educação Especial, na Educação Básica. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Resolução Conselho Nacional de Educação e Conselho de Educação Básica, nº 2. Brasília, 2001.

BRASIL. Secretaria do Ministério à Educação. Legislação Federal Brasileira e a educação de alunos com deficiência. Disponível em . Acesso 20/06/2018.

BUZAN, T.; BUZAN, B. The Mind Map. Editora Plume Books, Londres. Edição Reprint, 1996.

BUZAN, T. Mapas Mentais. Editora Sextante, Rio de Janeiro, 2009.

CODO, W.; MENEZES, I. M. O que é burnout ? Educação: carinho e trabalho. Petrópolis, RJ, Vozes. Brasília, 1999.

FERREIRA, J. R. A nova LDB e as necessidades educativas especiais. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 1ª. ed. 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. EGA, 1996.

FUENTES, D., Malloy, Diniz L.F, De Paula J.J, Sedó M, Leite WB. Neuropsicologia das funções executivas e da atenção. In: Fuentes D, Malloy-Diniz LF, Camargo CHP, Cosenza R, editors. Neuropsicologia: teoria e prática. 2nd edition. Porto Alegre: Artmed; 2014.

MARCONDES, M. A. S. Educação Comparada: perspectivas teóricas e investigações. EccoS – Revista científica, Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2005.

MORAN, J. M. Mudar a forma de ensinar com a Internet. Disponível em:

Acesso em: 22 abril, 2018.

MEC, Ministério da Educação e Cultura, Secretaria de Educação Especial. Catálogo de Publicações. Disponível em Acesso em 23 abril. 2018.

SADALLA, A. M. Com a palavra a professora: suas crenças, suas ações. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, 1997.

SEMETKO, H. SCAMMELL, M - The SAGE handbook of political communication. London. SAGE. 2012.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1984.




DOI: https://doi.org/10.30612/hre.v5i10.8521

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.