As concepções de criança nas pesquisas do grupo de trabalho 07: educação de crianças de 0 a 6 anos da ANPED

Rúbia Emmel, Alexandre José Krul

Resumo

Esta pesquisa busca compreender as concepções de criança encontradas nas publicações do Grupo de Trabalho – GT 07 - Educação de Crianças de 0 a 6 anos, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Trata-se de uma pesquisa documental e a análise dos dados ocorreu através da Análise Textual Discursiva (ATD), foi possível identificar 12 categorias referentes a criança. A categoria que teve mais recorrência de publicações: “Criança como sujeito histórico e de direitos”, com 58 artigos que abordam a criança dentro deste aspecto. Ao analisar os excertos percebe-se que as pesquisas envolvem a a luta pela ampliação das políticas públicas para a infância. Portanto, através desta pesquisa foi possível reconhecer nas análises realizadas que os conceitos de criança são construções que estão teorizadas por pesquisadores que buscam defender a Educação Infantil e as crianças como protagonistas.

Palavras-chave

Criança. Educação infantil. Pesquisa em educação.

Texto completo:

PDF

Referências

ABRAMOWICZ, A. A pesquisa com crianças em infâncias e a sociologia da infância. in: FARIA, A. L. G.; FINCO, D. (orgs.). Sociologia da Infância no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011. pp. 17-36.

ALMEIDA, M. T. F; SODRÉ, L. G. P. As Crianças e o Brincar na Educação Infantil: Possibilidades e Embates. in: SODRÉ, L. G. P. (org.). Crianças, Infâncias e Educação Infantil. Curitiba: Editora CRV, 2015. pp. 189-208.

BARBOSA, M. C. S.; HORN, M. G. S. Projetos Pedagógicos na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BRASIL. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. 1943. Consolidação das leis do trabalho. Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a consolidação das leis do trabalho. Disponível em: . Acesso em: 15 Mai 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 20 Maio 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm#art92. Acesso em: 20 Maio 2017.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm. Acesso em: 20 Maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para Educação Infantil. v.1 e 2. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Política Nacional de Educação Infantil: pelos direitos das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006c.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil. Brasília. MEC, 2010a.

BRASIL. Lei nº 8035 de 2010. Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2010b. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=831421&filename=PL+8035/2010. Acesso em: 20 Out 2017.

CANAVIEIRA, F. O.; CALDEIRON, A. C. Relações entre as crianças pequenas e a produção das culturas infantis: vistas, ouvidas e citadas. in: Vários Autores, GEPEDISC, Culturas Infantis. Culturas infantis em creches e pré-escolas: estágio e pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2011. pp. 153-171.

FRIEDMANN, A. O brincar na Educação Infantil: observação, adequação e inclusão. São Paulo: Moderna, 2012.

GONÇALVES, G. A criança como sujeito de direitos: limites e possibilidades. in: ANPED SUL, 11, 2016. Curitiba. Anais. Curitiba: Editora Setor de Educação da UFPR, 2016. p. 1-14.

KRAMER, S.; NUNES, M. F. R.; CORSINO, P. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 69-85, jan.-abr., 2011.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MADEIRA, R. As crianças como participantes na reconstrução de contextos e processos de intervenção na família e na comunidade. in: SARMENTO, T.; FERREIRA, F. I.; SILVA, P.; MADEIRA, R. (orgs.). Infância, família e comunidade: as crianças como atores sociais. Porto, Portugal: Porto Editora, 2009. pp. 99-118.

MARTINS FILHO, A. J. Jeitos de ser criança: balanço de uma década de pesquisas com crianças apresentadas na Anped. in: MARTINS FILHO, A. J.; PRADO, P. D. (orgs.) Das pesquisas com crianças à complexidade da infância. Campinas: Autores Associados, 2011. pp. 81-106.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, Bauru, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C. Análise Textual Discursiva. Ijuí: UNIJUÍ, 2007.

OLIVEIRA, Z. M. R. Educação Infantil: fundamentos e métodos. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

PONTE, A. E. S.; MENDES, C. S.; LAURINDO, M. J. S. F. A distância adulto/criança e seus reflexos no processo educacional. in: SODRÉ, L. G. P. (org.). Crianças, Infâncias e Educação Infantil. Curitiba: Editora CRV, 2015. pp. 169-188.

PRADO, P. D. As crianças pequenininhas produzem cultura? Considerações sobre educação e cultura infantil em creche. Pro-posições, Campinas, v. 10, n. 1, p. 110-118, março. 1999.

SARMENTO, M. J.; PINTO, M. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. in: PINTO, M.; SARMENTO, M. J. (orgs.). As crianças: contextos e identidades. Braga, Portugal, Centro de Estudos da Criança, 1997. pp. 9-30.

TONUCCI, F. Frato: 40 anos com olhos de criança. Porto Alegre: Artmed, 2008.