A poética do vazio em Do Domínio Plástico de António Ramos Rosa

Letícia Pereira de Andrade

Resumo


Este artigo analisará alguns poemas de Do domínio plástico, os quais formam uma espécie de promoção de algumas categorias dos valores pictóricos presentes também na poesia. Esses poemas que falam sobre o próprio ato de poetar no vazio e sobre o vazio, a partir de um "olhar", também, "vazio de tudo" (ROSA, 2004, p. 11) serão estudados sob o aparato teórico de Otavio Paz (1972), Todorov (1980), Friedrich(1991), Mendes (2005) e Borges (2010).

Palavras-chave


Pintura. Poesia. Vazio. Do domínio plástico. Ramos Rosa.

Texto completo:

PDF

Referências


BORGES, Paulo. Do imediato, da palavra, do silêncio, do vazio em

António Ramos Rosa. Revista cultura entre culturas. Dossiê: Antonio Ramos Rosa. Lisboa: Ancora editora, nº 4, 2010.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, Ed. da

Universidade de São Paulo. 1977.

CARDOSO, Sérgio. O Olhar do Viajante. (do etnólogo). In: NOVAIS,

Adauto. (Org.) O Olhar. São Paulo: Cia das Letras, 1988. p.347-360.

FERNANDES, Maria João. Letteraamorosa.Revista cultura entre

culturas.Dossiê: Antonio Ramos Rosa. Lisboa: Ancora editora, nº 4, 2010.

FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna (da metade do século XIX a meados do século XX). Trad. Maure M. Curioni e Dora F. da Silva. 2 ed.

São Paulo: Duas cidades, 1991.

JENNY, Laurent. A estratégia da forma. 'Poétique' revista de teoria e análise literária. Intertextualidades. Trad. Clara Crabbé Rocha. Coimbra:

Almedina, 1979, nº. 27, p. 5-49.

MENDES, Ana Paula Coutinho. Poesia do século XX com António Ramos

Rosa ao fundo. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Porto, 2005. Disponível em: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11514.pdf >. Acessoem: 14 mar. 2014.

PAZ, Octavio. El arco y la lira. 3 ed. México: Fondo de Cultura Económica,

PESSANHA, Fábio Santana. O rio como insólito na terceira margem do

homem. In: GARCÍA, Flavio; PINTO, Marcello de Oliveira; MICHELLI,

Regina (orgs.). O insólito em questão: Anais do V Painel Reflexões sobre o Insólito na narrativa ficcional/ I Encontro Nacional Insólito como Questão na Narrativa Ficcional. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2010.

POE, Edgar Allan. Ficção Completa, poesia e ensaios. Org. e Trad. Oscar

Mendes. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997.

ROSA, António Ramos. Do domínio plástico. Porto: Asa, 2004 p. 1-57.

ROSA, Gisela Ramos. Só existe uma única alma para todas as coisas.

Revista cultura entre culturas.Dossiê: Antonio Ramos Rosa. Lisboa: Ancora editora, nº 4, 2010.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. 15 ed. Trad. Paulo Perdigão. Petrópolis:Vozes, 2007. Disponível em:

http://pensamentosnomadas.files.wordpress.com/2013/12/o-ser-e-onada-texto.pdf>. Acesso em: 14 mar. 2014.

TODOROV, Tzvetan. Simbolismo e Interpretação. Trad. Maria de Santo

Cruz. São Paulo: Edições 70, 1980.






Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.